Navegando Posts marcados como São Caetano


Vídeos: (1) Gols e (2) melhores momentos.

Santos 1 x 1 São Caetano

Data: 04/04/2013, quinta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 17ª rodada
Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo, SP.
Público: 10.780 pagantes
Renda : R$ 233.935,00
Árbitro: Antônio Rogério Batista do Prado
Auxiliares: Anderson José de Moraes Coelho e Ricardo Pavanelli Lanutto.
Cartões amarelos: Neymar e Durval (S); Pirão, Éder, Moradei, Bruno Aguiar e Fábio (SC).
Gols: Jael (06-1) e Neymar (07-2).

SANTOS
Rafael; Rafael Galhardo, Neto, Durval e Léo; Renê Júnior, Alan Santos, Cícero (Patito Rodriguez) e Montillo; Giva (André) e Neymar.
Técnico: Muricy Ramalho

SÃO CAETANO
Fábio; Bruno Aguiar, Eli Sabiá e Adriano (Bustamante); Samuel Xavier, Fabinho, Pirão (Rogério), Éder (Moradei) e Diego; Danielzinho e Jael.
Técnico: Daniel Martine



Neymar e Jael marcam de falta e Santos e São Caetano só empatam no Pacaembu

Time do ABC saiu na frente, mas cedeu o empate no segundo tempo de um jogo muito fraco

Com dois gols de falta, Santos e São Caetano não saíram do empate em 1 a 1, na noite desta quinta-feira, no Pacaembu. Jael abriu o placar para o São Caetano, no primeiro tempo, enquanto o craque Neymar empatou na etapa complementar. O Santos criou várias oportunidades de gol durante a partida, mas não conseguiu superar o clube do ABC Paulista.

Com o empate, os dois times se mantiveram nas mesmas colocações de antes do começo da rodada. Os santistas estão na terceira posição, com 33 pontos. O São Caetano segue na penúltima colocação, agora com 12 pontos ganhos.

Classificados para o mata-mata do Campeonato Paulista, os alvinegros dão um tempo na disputa do Estadual para a estreia na Copa do Brasil. A equipe praiana inicia a sua trajetória na competição nacional enfrentando o Flamengo-PI, na próxima quarta-feira, às 21h50 (horário de Brasília), no Estádio Albertão.

Já o São Caetano tenta se manter na elite do futebol paulista e visita o Penapolense, no próximo dia 13, no Estádio Tenente Carriço.

O jogo

A primeira boa chance de gol do jogo foi do Santos. Com um minuto, Cícero soltou a bomba de perna esquerda, mas a bola passou por cima do gol defendido por Fábio.

Em situação delicada no Paulistão, o São Caetano não ficou apenas se defendendo e foi ao ataque. Foi assim que, aos seis, saiu o gol do São Caetano. Aos seis, Jael cobrou falta com perfeição, sem chances de defesa para Rafael: 1 a 0 para o time do ABC Paulista.

No minuto seguinte, o Santos tentou dar a resposta. Léo cruzou pela esquerda e Neymar tocou de cabeça, mas a bola saiu ao lado do gol.

Com mais posse de bola, os santistas tiveram mais duas boas oportunidades com a Joia. Aos 21, Neymar arriscou fora de área, o goleiro do São Caetano não segurou o chute, mas Bruno Aguiar afastou o perigo. Um minuto depois, Montillo fez boa jogada e tocou para Neymar, da entrada da área, isolar a bola, por cima da meta de Fábio.

Apesar da pressão alvinegra, o São Caetano também assustava o adversário e quase ampliou aos 28, quando Jael lançou Fabinho, livre de marcação. O volante do São Caetano invadiu a área e chutou forte, com a bola tocando a rede, pelo lado de fora.

Com a vantagem dos visitantes no placar, o técnico Daniel Martine resolveu dar maior poder de marcação ao seu meio-campo. Aos 34, o meia Éder saiu para a entrada do volante Moradei.

Apesar disso, o Santos continuou criando boas chances. Aos 37, Neymar cobrou para Cícero tocar de cabeça. Atento, Fábio fez boa defesa, espalmando a bola para escanteio.

No último lance do primeiro tempo, os santistas quase chegaram ao empate. Aos 44, após roubada de bola de Alan Santos, o time praiano puxou rápido contra-ataque, com Montillo encontrando Giva livre para a finalização. Porém, o atacante chutou em cima de Fábio, salvando o São Caetano de sofrer o gol antes do intervalo.

Na volta para a etapa complementar, o treinador Muricy Ramalho trocou Giva por André, no Santos. No São Caetano, Martine sacou Pirão, que havia recebido cartão amarelo no primeiro tempo, para a entrada de Rogério.

Após criar boas oportunidades na etapa inicial, os alvinegros finalmente chegaram ao empate, no segundo tempo. Aos sete, Neymar acertou bela cobrança de falta, deixando tudo igual no Pacaembu.

O Santos teve a chance da virada com André, aos 16. Léo cruzou e o centroavante escorou firme, mas viu Fábio fazer boa defesa. No rebote, André tentou o cruzamento rasteiro para dentro da área, mas a bola desviou na zaga e saiu para escanteio.

Com câimbras, o zagueiro Adriano teve que deixar a partida e o técnico do São Caetano queimou a sua última alteração. Bustamante entrou na sua vaga, recompondo a defesa do São Caetano.

Na base da pressão, o Santos mais uma vez esteve perto do segundo gol. Aos 28, Montillo cruzou pela direita, Neymar se antecipou a Samuel Xavier, mas a sua cabeçada não foi o suficiente para balançar a redes. A bola passou ao lado do gol de Fábio.

Mesmo priorizando a defesa, o São Caetano, de vez em quando, ainda se arriscava no ataque. Em uma destas oportunidades, aos 34, Diego acertou o travessão de Rafael, em cobrança de falta pelo lado direito do campo.

Nos últimos minutos, com o argentino Patito Rodrigues substituindo Cícero, os santistas tentaram o gol da vitória. Aos 42, Neymar ainda teve mais uma chance para marcar, em cobrança de falta, mas chutou para fora e não conseguiu levar a sua equipe ao segundo gol.

Muricy elogia atuação santista contra São Caetano: “Nosso melhor jogo”

Mesmo com o empate com o time do ABC, Muricy elogiou a posse de bola e a intensidade de sua equipe no jogo

Apesar do empate em 1 a 1 com o São Caetano na noite desta quinta-feira, no Pacaembu, com direito a algumas vaias da torcida do Santos ao final da partida, o técnico Muricy Ramalho gostou da atuação de sua equipe. O treinador gostou da postura do time em campo e classificou o jogo contra o Azulão como o melhor do Peixe nesta temporada.

“Em termos de futebol apresentado, foi o nosso melhor jogo. Não sei quanto tivemos de posse de bola, mas deve ter sido um número muito alto. Tivemos intensidade do começo até o fim. Criamos inúmeras oportunidades e isso deixa a gente triste, pelo resultado. Mas ficamos contentes com a postura da equipe”, afirmou.

Muricy acredita que o desempenho da dupla de volantes, formada por Renê Júnior e Alan Santos – que substituiu Arouca, com uma lesão na região postero-medial da coxa direita – foi fundamental para que o rendimento da equipe praiana lhe agradasse.”Se a gente jogar com os dois volantes como hoje, que jogam futebol, a posse de bola aumenta. Geralmente, por termos uma equipe muito rápida, é difícil ter tanto toque de bola. Mas eles armaram o time. E é por isso que melhorou. Os dois deram muita qualidade no passe, armaram muito bem”, comentou.

Com os alvinegros classificados para a próxima fase, o comandante preferiu destacar a evolução do time, restando apenas duas rodadas para o término da primeira etapa da competição, antes do início do mata-mata que irá apontar o campeão estadual de 2013.

“A nossa apresentação me deixou contente. Nós tivemos oportunidades, fomos organizados e intensos durante todo o tempo. É muito importante começar a ter esse volume de jogo, perto das finais”, encerrou.

Cícero e Montillo minimizam vaias e elogiam desempenho do Santos

Volante e meia entenderam que o time teve mais posse de bola e criou boas chances de gol no empate diante do São Caetano

Apesar das vaias ao Santos , após o empate com o São Caetano, na noite da última quinta-feira, no Pacaembu, os jogadores da equipe praiana se mostraram satisfeitos com o rendimento do Peixe. Para os meias Cícero e Montillo, os santistas poderiam ter tido melhor sorte, no que diz respeito ao resultado final da partida.

“A equipe desempenhou melhor a posse de bola no primeiro tempo e mantivemos a média no segundo. Criamos bastante e poderíamos ter vencido. As vaias são porque todo torcedor quer a vitória”, analisou Cícero, que foi substituído perto do fim do confronto, pelo argentino Patito Rodriguez.

Outro argentino a participar do empate com o Azulão, Montillo teve a mesma visão de Cícero sobre o duelo. Para o camisa 10 alvinegro, o Santos criou chances suficientes para sair de campo vitorioso, só que faltou mais precisão nos arremates ao gol.

“O time queria ganhar, criou muito, mas a bola não quis entrar. Jogamos bem, erramos muito na finalização. No segundo tempo empatamos (com Neymar, em cobrança de falta) e poderíamos ter virado. Infelizmente, não aconteceu”, opinou.

São Caetano 2 x 1 Santos

Data: 08/04/2012, domingo, 18h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano do Sul, SP.
Público: 4.283 pagantes
Renda: R$ 187.210,00
Árbitro: Mauricio Antonio Fioretti
Auxiliares: Leandro Almeida dos Santos e Matheus Camolesi
Adicionais: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza e Alysson Fernandes Matias
Cartões amarelos: Augusto Recife, Marcone (SC); Arouca (S).
Gols: Neymar (30-1); Geovane (12-2) e Marcelo Costa (21-2).

SÃO CAETANO
Luiz; Marcone, Gabriel, Eli Sabiá e Diego; Augusto Recife, Moradei, Anselmo e Marcelo Costa; Kleber (Aílton) e Geovane.
Técnico: Márcio Araújo

SANTOS
Rafael; Fucile (Elano), Edu Dracena, Durval e Juan; Henrique, Arouca, Ibson (Renteria) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho



Santos abre placar com Neymar, mas sofre virada contra o São Caetano

Apesar da derrota neste domingo, o time da Vila Belmiro continua na terceira colocação do Campeonato Paulista

Em uma jornada pouco inspirada, o Santos conheceu a sua quarta derrota na atual edição do Campeonato Paulista. Os santistas abriram o placar com Neymar, porém, viram o São Caetano virar o confronto. Com os gols de Geovane e Marcelo Costa, o time do ABC venceu o duelo, por 2 a 1, na noite deste domingo, no Anacleto Campanella.

Mesmo com a derrota, os santistas, já classificados para as quartas de final do Paulistão, continuam na terceira posição, com 36 pontos ganhos – o Guarani tem a mesma pontuação, mas perde no saldo de gols (23 contra 9). O São Caetano, sem chances de avançar a etapa seguinte do torneio, é o 11° colocado, agora com 22 pontos.

Na próxima rodada, a última do Estadual, o Santos recebe o Catanduvense, no próximo domingo, às 16 horas (horário de Brasília), na Vila Belmiro. No mesmo dia e horário, o São Caetano visita o Guaratinguetá, no Dário Rodrigues Leite.

O jogo:

O Santos começou a partida no ataque e, logo no primeiro minuto, quase balançou as redes dos donos da casa. Neymar fez boa jogada e soltou a bomba, mas a bola bateu na rede, pelo lado de fora.

Após essa primeira chance, o time da Vila Belmiro teve domínio territorial do jogo, porém, pouco ameaçava o gol de Luiz. Se aproveitando disso, o São Caetano respondeu e, em duas oportunidades, levou perigo aos santistas. Na primeira, aos 22, Rafael espalmou chute forte de Geovane, de fora da área. Na segunda, aos 27, Augusto Recife recebeu de Anselmo e disparou um arremate cruzado, por cima do gol.

Mas quando o time da casa tentava se impor, o Santos respondeu em grande estilo e chegou ao gol. Aos 30, Paulo Henrique Ganso deixou Neymar na cara do gol para, com tranquilidade, vencer Luiz e estufar as redes do São Caetano: 1 a 0 para o Santos.

Antes do intervalo, o Santos ainda teve uma chance para ampliar a sua vantagem no placar. Ganso encontrou Neymar com mais uma bela assistência e o camisa 11 santista, depois de se livrar dos marcadores, acertou o travessão da equipe do ABC Paulista.

Na volta para o segundo tempo, os dois times sofreram alterações. Alan Kardec entrou no lugar de Borges, no Santos, enquanto Aílton substituiu Kleber, no São Caetano.

Com uma melhor produção no início da etapa complementar, o São Caetano logo chegou ao empate. Aos 12, Moradei driblou dois adversários e cruzou na medida, para a cabeçada de Geovane, que deixou tudo igual no placar.

O empate motivou mais uma troca no Santos, com o técnico Muricy Ramalho sacando o lateral direito uruguaio Fucile para a entrada do meia Elano. Pouco antes, aos 18, Juan quase marcou o segundo gol santista, mas a bola passou rente a trave esquerda de Luiz.

Só que o São Caetano não desperdiçou a chance que teve e chegou a virada, aos 21. Geovane fez boa jogada individual e tocou para Aílton, que dividiu com Rafael, com a bola sobrando para a finalização de Marcelo Costa para o fundo do gol: 2 a 1.

Irritado com o gol do oponente, Muricy queimou a sua última troca no Peixe. Aos 23, o treinador colocou a sua equipe ainda mais no ataque, substituindo o volante Ibson pelo atacante colombiano Renteria.

Na pressão, os santistas quase chegaram ao empate. Em lance polêmico, aos 30, Ganso aproveitou o rebote de um chute de Elano, que explodiu no travessão, e empurrou a bola para as redes. No entanto, a arbitragem anulou a jogada alegando impedimento.

Pouco depois, aos 36, Ganso teve mais uma boa oportunidade para empatar, ao receber passe de Renteria, na entrada da área. O camisa 10 bateu colocado, buscando o canto direito de Luiz, mas a bola passou ao lado do gol do time do ABC.

Nos minutos finais, o Santos tentou o gol de empate, mas o São Caetano soube suportar a pressão até o apito final do árbitro.

Data: 26/01/2011 – às 19h30
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 4ª rodada
Local: Arena Barueri, em Barueri, SP.
Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima
Auxiliares: Celso Barbosa de Oliveira e Carlos Alberto Funari
Cartões amarelos: Rodrigo Possebon (S) e Artur (SC)
Gols: Elano (08-1), Artur (37-1) e Vandinho (45-1); Keirrison (03-2), Elano (07-2) e Vandinho (33-2).

SANTOS
Rafael; Jonathan (Rodrigo Possebon), Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Pará e Elano (Rodriguinho); Róbson (Moisés); Keirrison e Maikon Leite.
Técnico: Adilson Batista

SÃO CAETANO
Luiz; Artur, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Bruno (Eduardo); Ricardo Conceição, Augusto Recife, Souza (Kleber) e Ailton; Luciano Mandi (Fernandes) e Vandinho.
Técnico: Márcio Griggio



Santos falha na defesa e deixa de ser 100%

O Santos viveu o velho problema do desequilíbrio apresentando em 2010 na partida contra o São Caetano, na noite desta quarta-feira, na noite desta quarta-feira, na Arena Barueri, pela quarta rodada do Campeonato Paulista. O poderoso ataque funcionou, mas a defesa cometeu falhas excessivas, e o alvinegro empatou com o então lanterna da competição por 3 a 3.

Elano abriu o placar em de pênalti, mas ainda no primeiro tempo o adversário virou o placar com gols de Artur e Vandinho. No começo da etapa complementar, Keirrison e, novamente, Elano marcaram. Só que aos 33 minutos, Vandinho tornou-se o carrasco santista ao marcar o gol de empate.

Com o empate, o Santos perde o 100% de aproveitamento no Paulista, mas ainda segue na liderança, agora com 10 pontos. Já o São Caetano agora é o 19º colocado, com apenas um ponto. O novo lanterna, o Grêmio Prudente, encara o Botafogo-SP, nesta quinta-feira, às 21h, em Presidente Prudente.

O Santos cumpriu o mando de campo ante o São Caetano na Arena Barueri, pois a Vila Belmiro está fechada devido às obras de troca do gramado. Na quinta rodada da competição, o alvinegro encara o São Paulo, novamente na Arena, domingo, às 17h. Já o time do ABC joga sábado, às 19h30, diante da Ponte Preta, em Campinas.

O Santos manteve o ritmo marcante do início do campeonato nos minutos inicias da partida na Arena Barueri. Tanto que logo aos 6 minutos, a tabela entre Maikon Leite e Jonathan terminou com a queda do lateral na área, e a marcação pênalti. Na cobrança, Elano chutou no canto direito e abriu o placar.

O confronto parecia ser fácil para o Santos. Doce ilusão. O São Caetano pouco pressionava, mas conseguia evitar novos sustos. Com o passar do tempo, o adversário cresceu.

Os gols da virada do São Caetano demoraram para acontecer. Aos 37 minutos, Artur aproveitou a cobrança de escanteio para marcar. E em nova jogada área, aos 45 minutos, Luciano Mandi deixou Vandinho livre na área, só com o trabalho de empurrar para o gol.

Desta forma, um teste de fogo para o Santos foi desenhado para o segundo tempo. Pela primeira vez no ano, a equipe começava uma etapa em desvantagem. Era a hora de mostrar a capacidade de reação.

Em apenas 7 minutos, com os bonitos gols de Keirrison e Elano, o Santos demonstrou ter excelente capacidade de reação. O grande problema é que a equipe, novamente, não soube segurar a vantagem.

O São Caetano passou a pressionar com frequência até conseguir o gol de empate, aos 33 minutos, novamente em jogada de Vandinho, que a arbitragem anulou gol contra para Durval.

Gols foram perdidos pelo Santos nos minutos finais de jogo. Não será sempre que o ataque santista será capaz de fazer diversos gols. O problema, no entanto, não é esse. O rendimento ruim da defesa da equipe é que foi o culpado do empate contra o São Caetano.

Agora não adianta culpar a defesa. É culpa de todos. Enfrentamos uma equipe que não ia jogar por jogar. Temos que melhorar”, disse Léo.

São Caetano 1 x 3 Santos

Data: 04/04/2010, domingo.
Competição: Campeonato Paulista – Primeira fase – 18ª rodada (penúltima)
Local: Estádio Anacleto Campanella, em São Caetano, SP.
Árbitro: Guilherme Cereta de Lima
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Danilo Ricardo Simom
Cartões amarelos: Lucas e Marcelo Batatais (SC); Léo e Pará (S).
Cartão vermelho: Léo (S)
Gols: Marquinhos (02-1) e Hugo (38-1); Neymar (22-2) e Robinho (34-2).

SÃO CAETANO
Luiz; Moradei, Marcelo Batatais, Anderson Marques e Romário; Jairo, Lucas, Fernandes e Éverton Ribeiro (Luciano Mandi); Hugo (Eduardo) e Wanderley (Fábio).
Técnico: Roberto Fonseca

SANTOS
Felipe, Pará (Rodriguinho), Edu Dracena, Durval e Léo; Arouca, Wesley e Marquinhos; Robinho (Zezinho), André e Neymar (Maikon Leite).
Técnico: Dorival Júnior



Na volta de Robinho, Santos ‘joga para o gasto’ e vence São Caetano no ABC

Na volta de Robinho aos gramados, neste domingo, no Anacleto Campanella, o já classificado Santos (e com a liderança garantida) não repetiu as atuações que vêm ‘enchendo os olhos’ da torcida. Mesmo assim, jogou o suficiente para vencer o São Caetano por 3 a 1, abrir sete pontos em relação ao segundo colocado e de quebra acabar com as esperanças do time do ABC em conquistar uma vaga nas semifinais do Campeonato Paulista.

Ausente da equipe do litoral por quatro partidas em função de uma lesão no músculo adutor da coxa esquerda, o Rei das pedaladas – que completou seu jogo de número 200 com a camisa do Santos – não teve uma boa apresentação, mas acabou marcando um belo gol, o terceiro do Peixe, que avançou para 44 pontos na tabela. Por outro lado, o São Caetano parou nos 27 e, restando apenas uma rodada para o fim da primeira fase, não pode mais alcançar o São Paulo, quarto colocado com 33. Com isso, passa a se concentrar no Troféu Campeão do Interior.

O Santos – que não contava com Ganso, suspenso – não perdeu tempo após o apito inicial e em sua primeira chegada à área do São Caetano conseguiu abrir o placar com uma ‘ajudinha’ do adversário. Marquinhos cobrou falta pela esquerda e o atacante Hugo desviou de cabeça contra sua própria meta, tirando qualquer chance do goleiro Luiz intervir no lance. Um novo lance de bola parada, outro com o camisa 10 santista, aos 13min, voltou a assustar os anfitriões, mas desta vez o travessão acabou evitando o segundo gol.

Nem parecia ser o São Caetano que precisava do resultado. Mesmo após um período de equilíbrio entre as duas equipes, foi o Santos quem voltou a levar perigo após dois vacilos da defesa do time do ABC, que foi recuando em direção ao seu próprio gol e acabou dando espaço para Robinho e Marquinhos finalizarem com perigo da entrada da área. No primeiro lance, do camisa 7, Luiz defendeu para o meio da área e o atacante André, no rebote, tirou tinta da trave direita.

Errando poucos passes e contando com muita movimentação de seu setor ofensivo, o Santos não oferecia ataques ao São Caetano. Mas uma falha do lateral Pará na entrada da área acabou dando a chance que os donos da casa precisavam; o atacante Hugo ficou com a bola e finalizou no canto esquerdo do goleiro Felipe, redimindo-se do gol contra do início do jogo. Na saída para o intervalo, Pará explicou o erro que provocou o gol de empate do São Caetano.

“Eu vi o Robinho sozinho, fui tocar para ele, mas infelizmente o Fernandes esticou o pé e ficou com a bola”, lamentou Pará. Antes do início do segundo tempo, o técnico Dorival Júnior criticou a falta de objetividade de sua equipe nos 45 minutos iniciais e pediu mais seriedade a seus jogadores. A resposta veio aos 7min, mas o assistente viu impedimento de Neymar, que em posição legal finalizou de direita na saída de Luiz. Antes disso, Wanderley quase havia virado a partida ao acertar o travessão.

Diferente do primeiro tempo, o São Caetano passou a ficar mais perigoso, especialmente em lances de contra-ataque. Mas foi o Santos quem, em bola alçada na área, mexeu novamente no placar. André cruzou da linha de funda, quase da marca do escanteio, e Neymar, sem marcação, cabeceou com estilo para as redes, aos 22min.

Depois de leve pressão do time da casa, o Santos aproveitou rápido contra-ataque para ampliar e praticamente definir a partida. Arouca achou Robinho livre no campo de ataque; o camisa 7 avançou, ficou cara a cara com o Luiz e finalizou para as redes após deixar o goleiro praticamente no chão, aos 34min. Ainda houve tempo para Léo receber o segundo cartão amarelo após chutar a bola longe e ser expulso antes do apito final.

Santos FC x AD São Caetano
Santos Futebol Clube x Associação Desportiva São Caetano


Retrospecto:

29 jogos
15 vitórias
06 empates
08 derrotas
47 gols pró
35 gols contra
12 saldo

Resultados:

21/04/2001 – Santos 2 x 1 São Caetano – Paulista – Anacleto Campanella
28/07/2001 – Santos 1 x 0 São Caetano – Amistoso – Anacleto Campanella
06/10/2001 – Santos 1 x 2 São Caetano – Brasileiro – Vila Belmiro
17/02/2002 – Santos 2 x 1 São Caetano – Torneio Rio SP – Vila Belmiro
17/11/2002 – Santos 2 x 3 São Caetano – Brasileiro – Anacleto Campanella
15/06/2003 – Santos 0 x 1 São Caetano – Brasileiro – Vila Belmiro
17/09/2003 – Santos 1 x 0 São Caetano – Sul-Americana – Anacleto Campanella
01/10/2003 – Santos 1 x 1 São Caetano – Sul-Americana – Vila Belmiro
11/10/2003 – Santos 2 x 2 São Caetano – Brasileiro – Anacleto Campanella
25/01/2004 – Santos 1 x 1 São Caetano – Paulista – Vila Belmiro
28/03/2004 – Santos 3 x 3 São Caetano – Paulista – Vila Belmiro
03/04/2004 – Santos 0 x 4 São Caetano – Paulista – Anacleto Campanella
07/08/2004 – Santos 0 x 1 São Caetano – Brasileiro – Vila Belmiro
12/12/2004 – Santos 3 x 0 São Caetano – Brasileiro – Anacleto Campanella
27/02/2005 – Santos 3 x 2 São Caetano – Paulista – Vila Belmiro
26/06/2005 – Santos 3 x 1 São Caetano – Brasileiro – Anacleto Campanella
04/10/2005 – Santos 2 x 0 São Caetano – Brasileiro – Vila Belmiro
01/03/2006 – Santos 3 x 2 São Caetano – Paulista – Anacleto Campanella
16/07/2006 – Santos 0 x 2 São Caetano – Brasileiro – Anacleto Campanella
28/10/2006 – Santos 1 x 0 São Caetano – Brasileiro – Vila Belmiro
20/01/2007 – Santos 3 x 0 São Caetano – Paulista – Vila Belmiro
29/04/2007 – Santos 0 x 2 São Caetano – Paulista – Morumbi
06/05/2007 – Santos 2 x 0 São Caetano – Paulista – Morumbi
16/03/2008 – Santos 1 x 0 São Caetano – Paulista – Bruno José Daniel
05/02/2009 – Santos 2 x 0 São Caetano – Paulista – Vila Belmiro
04/04/2010 – Santos 3 x 1 São Caetano – Paulista – Anacleto Campanella
26/01/2011 – Santos 3 x 3 São Caetano – Paulista – Arena Barueri
08/04/2012 – Santos 1 x 2 São Caetano – Paulista – Anacleto Campanella
04/04/2013 – Santos 1 x 1 São Caetano – Paulista – Pacaembu