Navegando Posts marcados como seleção brasileira

Posição: Lateral direito e zagueiro
Jogou no Santos em: (1965-1970 e 1972-1975)
Apelido: “Capita”
Nome completo: Carlos Alberto Torres
Nascimento: 17.07.1944
Nacionalidade: Brasileira
Naturalidade: Rio de Janeiro (RJ)
Altura: 1.79 m
Peso: 70 Kg
Habilidade: Destro
Carreira: 1962-1965: Fluminense FC
1965-1970: Santos FC
1971: Botafogo FR
1972-1975: Santos FC
1976: Fluminense FC
1977: CR Flamengo
1977-1980: New York Cosmos (EUA)
1981: Newport Beach (EUA)
1982: New York Cosmos (EUA)
Títulos: 1964 Fluminense Campeão Carioca
1965 Santos Campeonato Paulista
1965 Santos Taça Brasil
1966 Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio São Paulo)
1967 Santos Campeão Paulista
1968 Santos Bicampeonato Paulista
1968 Santos Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1ª Taça de Prata)
1968 Santos Recopa Sul-americana
1968 Santos Recopa Mundial Interclubes
1969 Santos Tricampeonato Paulista
1970 Seleção Brasileira Copa do Mundo
1973 Santos Campeão Paulista
1976 Fluminense Campeão Carioca
1978 New York Cosmos Campeão Norte-americano
1980 New York Cosmos Campeão Norte-americano
1982 New York Cosmos Campeão Norte-americano
Conquistas pessoais: Capitão da Seleção Tri-campeã Mundial (1970)
Estatísticas no SFC: Jogos: 445
Gols: 40
Média: 0,09

Galeria de fotos:

x

Vídeos:

Santos 1 x 3 Seleção do Brasil sub 23

Data: 18/11/2003, terça-feira.
Competição: Amistoso restritivo não-oficial
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.712 pesssoas
Renda: N/D
Árbitro: Cléber Wellington Abade (SP).
Cartões amarelos: Reginaldo Araujo e Narciso (S); Eduardo Costa (B).
Gols: Pereira (20-1, contra); Robinho (12s-2), Jaílson (39-2) e Marcel (41-2).

SANTOS
Júlio Sérgio (Matheus); Reginaldo Araújo (Neném), Pereira (André Luís), Narciso (Sílvio) e Léo (Rubens Cardoso); Alexandre (Val Baiano), Daniel, Wellington e Jerri (Jaílson); Fabiano (Douglas) e Júlio César (William).
Técnico: Émerson Leão.

BRASIL (entre colchetes o time a que o jogador pertence)
Gomes [Cruzeiro] (Juninho) [Vitória]; Maicon [Cruzeiro], Edu Dracena [Cruzeiro] (Rodolfo) [Fluminense], Alex [Santos] (Adriano II) [Grêmio] e Maxwell [Ajax] (Wendel II) [Cruzeiro]; Eduardo Costa [Bordeaux] (Paulo Almeida) [Santos], Fábio Rochemback [Sporting], Thiago Motta [Barcelona] (Nenê II) [Mallorca] e Marcinho [São Caetano] (Carlos Alberto) [Fluminense]; Robinho [Santos] (Paulinho) [Atlético-MG] e Nilmar [Internacional] (Marcel) [Coritiba].
Técnico: Ricardo Gomes



Robinho marca e Seleção Olímpica bate o Santos

A Seleção Brasileira Sub-23 venceu o Santos por 3 a 1 em amistoso realizado na noite desta terça-feira no estádio da Vila Belmiro. Esta foi a segunda vitória consecutiva nos testes realizados pelo técnico Ricardo Gomes. A primeira aconteceu no último sábado, por 2 a 0, diante do Corinthians.

A partida marcou o inédito encontro dos santistas Alex, Paulo Almeida e Robinho contra o clube paulista. Robinho, inclusive, marcou um dos gols da vitória da Seleção. O zagueiro Pereira, contra, abriu o placar para a Seleção Brasileira. Jaílson fez para o Peixe, enquanto que Marcel garantiu o 3 a 1.

A outra novidade no amistoso foi Narciso. Sem atuar na Vila Belmiro desde 1999, o volante começou o jogo como titular com a camisa do Santos. De janeiro de 2000 a outubro deste ano, ele ficou fora do futebol, vítima de leucemia mielóide crônica. Muito aplaudido, Narciso foi substituído na segunda etapa.

Com três volantes e apenas Marcinho na criação, a equipe do técnico Ricardo Gomes demorou a engrenar na partida. Eduardo Costa, Rochemback e Thiago Motta exageravam nos passes errados e tornavam o meio-campo lento. Porém, o Peixe não soube aproveitar os vacilos e pouco chegou ao gol em reais condições.

Quando o Brasil acordou e melhorou o passe, impôs sua superioridade diante da desfalcada equipe da Vila Belmiro. Aos vinte minutos, Rochemback cruzou da direita e Nilmar quase marcou. Após dominar sozinho dentro da área, o atacante do Internacional cabeceou com muito perigo, à direita de Júlio Sérgio.

Aos 24, a Seleção abriu o placar. Maxwell foi à linha de fundo pela esquerda e cruzou para o meio da área. Ao tentar o desvio, Pereira enganou o goleiro santista e colocou a bola no canto direito para marcar contra.

A única defesa de Gomes no primeiro tempo aconteceu aos 29 minutos. Após um chute de fora da área de Alexandre, o camisa um do Brasil esticou-se e espalmou a bola no canto direito. Apático, o Peixe deu chances para o adversário ampliar.

Robinho, aos 35, deu um belo passe para Nilmar na grande área. O atacante dominou livre, na frente de Júlio Sérgio, e bateu no canto direito. Bem posicionado na saída do gol, o goleiro desviou a bola para escanteio.

Os dois treinadores aproveitaram o intervalo para mexer nas suas respectivas equipes. Ricardo Gomes voltou para o segundo tempo com quatro alterações, enquanto que Leão sacou três jogadores no Santos.

E a Seleção não precisou de muito tempo para ampliar. Aos doze segundos da etapa final, Robinho avançou pelo e abriu para Marcel do lado esquerdo da grande área. O atacante do Coritiba bateu e Júlio Sérgio espalmou para o meio. Robinho foi mais esperto do que a zaga e completou para as redes no rebote.

Assim como aconteceu no primeiro tempo, o Brasil foi superior durante os 45 minutos finais. Porém, assim como o Santos, a Seleção utilizou a partida apenas para testar diferentes formações. Na metade da segunda etapa, quase todos os jogadores que começaram jogando não estavam mais em campo.

O amistoso, assistido por quase seis mil pessoas, seguiu em ritmo de treino até o apito final do árbitro paulista Cléber Wellington Abade.

Apesar de acomodado e sem muito interesse, o Peixe ainda conseguiu descontar. aos 39, Jaílson bateu de fora da área, a bola desviou em Rodolfo e entrou no canto direito do goleiro Juninho. Dois minutos depois, Wendel fez bela jogada pela esquerda, foi à linha de fundo e cruzou. Marcel, livre, completou para as redes e fechou o placar na Vila Belmiro: 3 a 1.


O técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira anunciou a convocação para uma série de quatro amistosos na Europa. O Brasil enfrentaria Portugal, País de Gales, Suíça e Suécia. Não foram convocados jogadores do Grêmio devido a disputa da Libertadores.

Novidade na lista, o lateral direito Betão, do Sport de Recife, servia a seleção de novos e ganhou uma oportunidade na principal. O Santos acabou contratando-o em 01/06, em uma negociação onde cedeu os passes de Camargo, Toninho Paraná e Joãozinho (este último por empréstimo) além da quantia de Cr$ 35 milhões.

Do Santos foram chamados cinco jogadores: Márcio Rossini, Toninho Carlos, Paulo Isidoro, Pita e João Paulo. Após a decepção na Copa do Mundo de 1982, Serginho Chulapa declarou que não serviria mais a seleção brasileira e foi criticado pelo técnico Parreira.

O Santos ficou sem estes seis jogadores durante as seis primeiras partidas do Campeonato Paulista de 1983 e teve um péssimo aproveitamento com dois empates, três derrotas e apenas uma vitória.

Lista inicial de convocados:

– Goleiro: Leão (Corinthians) e João Marcos (Palmeiras);
– Lateral direito: Leandro (Flamengo), Betão (Sport) e Édson Boaro (Ponte Preta);
– Lateral esquerdo: Júnior (Flamengo) e Pedrinho (Vasco);
– Zagueiro-central: Márcio Rossini (Santos);
– Quarto-zagueiro: Marinho (Flamengo), Luizinho (Atlético-MG) e Toninho Carlos (Santos);
– Volante: Alemão (Botafogo) e Batista (Palmeiras);
– Ponta-de-lança: Sócrates (Corinthians) e Paulo Isidoro (Santos);
– Meia armador: Carlos Alberto Borges (Palmeiras) e Pita (Santos);
– Ponta direita: Jorginho Putinatti (Palmeiras);
– Ponta esquerda: Éder (Atlético-MG) e João Paulo (Santos);
– Centroavante: Careca (São Paulo) e Roberto Dinamite (Vasco).



Foram duas vitórias e dois empates. Seguem abaixo os quatro jogos da mini excursão europeia:

Jogo 1:

Portugal 0 x 4 Brasil

Data: 08/06/1983
Competição: Amistoso internacional
Local: Estádio Municipal, em Coimbra, Portugal.
Público: 17.000
Árbitro: Mário Luís (Portugal)
Gols: Careca (39-1) e Sócrates (41-1); Careca (09-2) e Pedrinho (21-2).

PORTUGAL
Silvino; Coelho (Gregório Freixo), Oliveira, Dito e Mário Jorge; Ademar, Festas (Laureta), Vítor Santos e Palhares (Nunes); Reinaldo e Lito.
Técnico: Otto Glória

BRASIL
Leão; Betão (Edson Boaro), Márcio Rossini, Luizinho e Pedrinho; Batista, Sócrates e Pita (Jorginho); Carlos Alberto Borges, Careca e Éder.
Técnico: Carlos Alberto Parreira



Jogo 2:

País de Gales 1 x 1 Brasil

Data: 12/06/1983
Competição: Amistoso oficial
Local: Ninian Park Stadium, em Cardiff, País de Gales.
Público: 25.000
Árbitro: Juan Redelfs (Alemanha Ocidental)
Gols: Giles (04-1) e Paulo Isidoro (17-2).

PAÍS DE GALES
Southall; Hopkins, Charles (Jones), Ratcliff e Jones; Flym, Giles e Thomas; alan, Gordon e Lewis (Vaughan).
Técnico: Mike England

BRASIL
Leão; Betão, Márcio Rossini, Luizinho e Pedrinho; Batista e Sócrates; Pita (Paulo Isidoro), Careca, Carlos Alberto Borges (Jorginho) e Éder.
Técnico: Carlos Alberto Parreira



Jogo 3:

Suíça 1 x 2 Brasil

Data: 17/06/1983
Tipo: Amistoso oficial
Local: Stade Saint-Jakob, na Basiléia, Suíça.
Público: 61.000
Árbitro: A. W. Grey (Inglaterra)
Gols: Egli (33-1, de pênalti), Sócrates (33-2, de pênalti) e Careca (41-2).

SUÍÇA
Burgener (Berbger); Wehrli (Elsener), Geiger, Egli e In-Albon; Hermann, Koller e Decastel; Sulser, Honte e Braschler.
Técnico: Paul Wolfisberg

BRASIL
Leão; Édson Boaro, Márcio Rossini, Toninho Carlos e Pedrinho; Alemão (Batista), Sócrates e Carlos Alberto Borges (Éder); Paulo Isidoro, Careca e João Paulo.
Técnico: Carlos Alberto Parreira



Jogo 4:

Suécia 3 x 3 Brasil

Data: 22/06/1983
Competição: Amistoso oficial
Local: Estádio Nya Ullevi, em Gotemburgo, Suécia.
Público: 43.172
Árbitro: Henning Lund-Sorenssen (Dinamarca).
Cartão amarelo: Paulo Isidoro (B).
Cartão vermelho; Éder (B, 44-2).
Gols: Márcio Rossini (07-1), Corneliusson (14-1), Hysen (18-1), Careca (22-1) e Corneliusson (33-1); Jorginho (31-2).

SUÉCIA
Ravelli; Erlandsson, Hysen, Dahlkvist, Fredriksson; Ramberg (Andreas Ravelli), Nilsson (tord Holmgren) e Sunessan; Eriksson, Corneliusson e Holmegren.
Técnico: Lars Arnesson

BRASIL
Leão; Édson Boaro, Márcio Rossini (Luizinho), Toninho Carlos e Pedrinho; Batista, Sócrates e Éder; Paulo Isidoro, Careca e João Paulo (Jorginho).
Técnico: Carlos Alberto Parreira


Fonte: Revista Placar