Navegando Posts marcados como Serginho Chulapa

Pressão dos torcedores foi principal motivo para a saída do treinador

O Santos tem novo treinador. Com o pedido de demissão do técnico Geninho, ontem pela manhã, Serginho Chulapa, que ocupava a função de auxiliar, assumiu o comando da equipe.

O presidente Marcelo Teixeira disse que a condição de Serginho não é de interino e que ele ficará no comando do time até o final do Campeonato Brasileiro.

Em reunião ontem pela manhã com Teixeira, Norberto Moreira, vice-presidente do clube, e Luiz Henrique de Menezes, gerente de futebol, o novo treinador decidiu manter os demais integrantes da comissão técnica. À tarde, ele comandou um treino de dois toques apenas com os reservas. Os titulares foram poupados, participando apenas de uma sessão de hidroginástica.

Ao ser contratado, em dezembro, Geninho fez um acordo verbal por seis meses com o Santos, mas acabou ficando oito. Após o empate com o Juventude, anteontem, na Vila Belmiro, o treinador emitiu à diretoria sinais de que poderia sair.

Durante o jogo, os quase 8.000 pagantes que compareceram ao estádio gritaram em uníssono o coro de “burro”, mesmo quando o Santos, com um jogador a menos, vencia por 2 a 1 -no final, a equipe cedeu o empate, e as vaias aumentaram.

O técnico não aceitou a manifestação, criticou os torcedores e, ainda no vestiário, advertiu o presidente Marcelo Teixeira sobre a possibilidade de não continuar treinando a equipe.

Ontem pela manhã, Geninho concretizou a intenção e, em seguida, viajou com a família para Poços de Caldas (MG), a fim de participar da festa de aniversário da sogra. Ele avisou que pode voltar hoje a Santos para se despedir dos jogadores.

Teixeira afirmou que a saída de Geninho foi iniciativa exclusivamente “pessoal do treinador” e que a diretoria não pretendia demiti-lo, apesar do empate em casa e das vaias dos torcedores.

O técnico santista, por sua vez, não se conformava com as críticas, principalmente porque o time está invicto no Nacional, com duas vitórias e cinco empates -o problema, para os torcedores, é que três dos empates foram em casa, quando eles achavam que a equipe tinha obrigação de vencer.

Décimo colocado no Campeonato Brasileiro, o Santos poderia ter alcançado a zona de classificação -os oito primeiros disputarão a fase final- se tivesse batido o Juventude.

Serginho Chulapa estréia amanhã, contra o Atlético-PR, em Curitiba (PR), quando o Santos atuará desfalcado do zagueiro Preto, que cumprirá suspensão por ter sido expulso anteontem, e, provavelmente, do lateral Russo, que segue machucado.

Empatia com a torcida justifica o novo nome

Ao escolher Serginho Chulapa para substituir Geninho no comando do time, a diretoria santista aposta na ascendência do ex-atacante sobre o grupo de jogadores e na empatia que ele tem com os torcedores da equipe.

Autor do gol da vitória contra o Corinthians que deu ao Santos o último título de expressão conquistado pelo clube, o Paulista-84, Serginho mantém até hoje a condição de ídolo da torcida.

Em 1994, ele chegou a dirigir a equipe, comandando-a entre os meses de março e novembro.


O treinador Serginho foi demitido do Santos. A comunicação foi feita pelo diretor Clodoaldo, na Vila Belmiro.

Com a resolução, a diretoria santista adiantou em dois dias seu posicionamento sobre o incidente ocorrido com o técnico, que seria discutido apenas na segunda-feira.

Serginho agrediu um repórter no estádio Pacaembu, após a derrota para o Corinthians, na quarta-feira. Ainda nos vestiários, desferiu uma cabeçada no repórter Gilvan Ribeiro, que trabalha no jornal “Diário Popular”, após este ter supostamente ironizado o treinador pelo resultado.

Segundo Serginho, toda confusão que culminou com a agressão foi iniciada pelo fato do conselheiro Alberto Francisco de Oliveira ter ido ao vestiário santista para criticar o atacante Guga.
“Ele estava bêbado e começou a falar besteiras”, disse Guga. O fato irritou Serginho.

A Associação dos Cronistas Esportivos do Rio de Janeiro havia pedido garantias à Polícia Civil para que os jornalistas pudessem falar com Serginho sem correr riscos, hoje na partida do time contra o Fluminense.

Técnico diz que está arrependido

O técnico Serginho disse às 16h30 de ontem na Vila Belmiro que estava “arrependido” pela agressão contra o jornalista Gilvam Ribeiro, anteontem à noite no vestiário do Santos, no Pacaembu.

“Eu não via a hora de vir falar com a imprensa para poder pedir desculpas publicamente. Um homem sabe quando erra. O difícil é vir a público e admitir o erro”, afirmou Serginho.

Segundo ele, o culpado pela agressão ao jornalista foi o conselheiro do Santos, Alberto Francisco de Oliveira, conhecido como Alemão.
“Momentos antes da briga, o Alemão entrou no vestiário e foi discutir com o Guga. Isso eu não aceito. Ninguém, à minha exceção, vai tomar satisfação com o jogador”, afirmou.

Serginho disse que ficou nervoso com a entrada do conselheiro no vestiário do Santos. “Eu parei a entrevista que estava dando e fui repreender o Alemão. Aí fiquei nervoso e fiz aquela besteira.”

Serginho classificou a agressão a Ribeiro como “um ato impensado”. Ele disse que pretende pedir desculpas pessoalmente a Ribeiro.

“Fiz uma grande besteira. Se ele aceitar quero encontrá-lo para pedir desculpas e pagar qualquer despesa que ele tenha tido por minha causa”.

O técnico também culpou o árbitro da partida, Antônio Cláudio Perin, na qual o Santos foi derrotado pelo Corinthians, por 2 a 1.

“Eu nem sabia que tinha sido expulso. Foi o Clodoaldo –diretor de futebol do Santos– que me avisou no vestiário”, afirmou o treinador santista. “O juiz de anteontem é um despreparado”, disse.

Serginho disse que o Santos foi “garfado pelo árbitro”. “Eu não reclamo do resultado, mas sim do fato de que ele é um juiz fraco”, afirmou.

O técnico do Santos disse estar calmo. “Hoje eu estou tranquilo por estar aqui podendo pedir desculpas a todos vocês.” E fez uma previsão. “Isso não vai se repetir. Espero que ele me perdoe”, afirmou.




Serginho Chulapa é o novo técnico do Santos, no lugar de Pepe. “A derrota para o Palmeiras foi a gota d’água”, disse Pepe, visivelmente emocionado.

A goleada de 4 a 1 imposta pelo Palmeiras deixou o time na última colocação do Campeonato Paulista, ao lado do Ituano, e motivou a troca de treinadores, anunciada por Pelé após reunião da diretoria.

“Serginho é o novo técnico e dirige o time contra o União”, afirmou Pelé. Ele disse que tem confiança no novo treinador e que espera que a mudança dê certo. “Se precisar, até eu assumo este cargo”, declarou.

Pelé lamentou a saída do técnico Pepe. “É triste. Somos como irmãos”, afirmou. Falando pela diretoria, o ex-jogador deixou claro que o Santos não tem dinheiro e que a diretriz não é contratar, mas trabalhar com o grupo atual.

A diretoria do Santos tentou convencer Pepe a permanecer à frente do time. Não houve acordo. “A paciência saturou”, declarou Pepe. Pesou também na decisão a decepção com o desempenho dos jogadores. “Esperava muito mais dos jogadores e, no fundo, estou muito decepcionado”, declarou.

Para o presidente Miguel Kodja, a saída de Pepe não resolve o problema. “Ele não é o responsável. O que acontece é que temos posições ocupadas por jogadores fracos”, afirmou. Kodja, que ontem completou dois meses como presidente, afirmou que será feita uma reavaliação de todo o elenco.

Para o centroavante Guga, a saída de Pepe era esperada. “Infelizmente no Brasil é assim com os técnicos. Estou triste”, disse.

Para o goleiro Edinho, filho de Pelé, Pepe não deveria sair. “Ele é um grande treinador. O Santos perde muito com sua saída”, afirmou.

Serginho quer ficar entre os 5 primeiros

Técnico pede calma aos jogadores

Serginho Chulapa, novo técnico do Santos em substituição a Pepe, disse ser possível levar o atual elenco do clube a ficar entre os cinco primeiros colocados do Paulista. “Mas para ser campeão não dá”, declarou. Ele disse não temer a torcida. “Eu respeito, além do mais estou gostando da experiência de ser técnico”, disse o novo treinador.

Repórter – O que precisa mudar no time?
Serginho – Tem que mudar a cabeça dos nossos jogadores. Está faltando confiança.

Repórter – O time é fraco?
Serginho – Não dá para ser campeão, mas sem dúvida podemos chegar entre os cinco melhores de São Paulo.

Repórter – O que a sua experiência pode ajudar a melhorar o rendimento do time?
Serginho – Teve uma época no São Paulo que eu fiquei dez jogos sem fazer gol. A gente começa a errar, tamanha é a vontade de acertar. Hoje, é isso que acontece com o Santos. Nessa hora, é preciso calma.

Repórter – Onde pode chegar o Serginho treinador?
Serginho – Não sei, só posso dizer que estou gostando da experiência.

Repórter – Você teme a pressão da torcida?
Serginho – Eu não temo nada. Respeito a torcida e espero ser respeitado.


Fluminense 5 X 2 Santos

Data: 15/09/1990
Competição: Campeonato Brasileiro – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro, RJ.
Público: 1.105 pagantes
Renda: Cr$ 353.300,00
Árbitro: João José Venceslau dos Santos (PE).
Cartões amarelos: Rangel, Marquinho e Dacroce (F); França (S).
Cartão vermelho: Camilo (37-2).
Gols: Rinaldo (17-1), Serginho Chulapa (24-1), Serginho Chulapa (27-1), Edemílson (37-1); Luciano (25-2), Rinaldo (35-2) e Edemílson (43-2).

FLUMINENSE
Ricardo Pinto; Alexandre Torres, Marquinho Carioca, Rangel (Julinho) e Edgar; Luciano, Dacroce, Macula e Renato (Marcelo Gomes); Edemílson e Rinaldo.
Técnico: Paulo Emílio

SANTOS
Sérgio; Índio, Camilo, França e Flavinho; Derval, Axel e Sérgio Manoel (Édson Ampola); Almir, Ney Bala (Paulinho McLaren) e Serginho Chulapa.
Técnico: Pepe


Santos 2 x 1 Náutico

Data: 29/11/1989, quarta-feira, 21h30.
Competição: Campeonato Brasileiro – 2ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 2.010 pagantes
Renda: NCz$ 41.900,00
Árbitro: Alvimar Gaspar dos Reis (MG).
Cartões amarelos: Camilo e Serginho (S); Vavá e Júnior (N).
Cartão vermelho: Lúcio Surubim (N, 15-2).
Gols: Serginho Chulapa (04-1) e Nivaldo (12-1); Paulinho (24-2).

SANTOS
Sérgio; Ditinho, Camilo, Pedro Paulo e Wladimir; César Sampaio, Axel, Jorginho Putinati (Carlinhos) e Sérgio Manoel (Totonho); Paulinho McLaren e Serginho Chulapa.
Técnico: Pepe

NÁUTICO
Mauri; Levi, Vavá, Freitas e Júnior; Lúcio, Léo, Erasmo e Nivaldo; Bizu e Augusto (Ocimar).
Técnico: Paulo César Capegiani



Serginho Chulapa marcou neste jogo seu 100° gol pelo Santos FC.

Créditos:
Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/1989/11/29/20//4096834
Vídeo indicado por Danilo Barbosa.