Navegando Posts marcados como The Strongest

The Strongest 1 x 1 Santos

Data: 17/05/2017, quarta-feira, 19h30.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 5ª rodada
Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia.
Público e renda: N/D
Árbitro: Dario Herrera (ARG)
Auxiliares: Diego Bonfá e Ivan Nuñes (ambos da ARG).
Cartões amarelos: Julio Pérez e Raúl Castro (TS); Vanderlei, Bruno Henrique e Lucas Lima (S).
Cartão vermelho: Bruno Henrique (S).
Gols: Chumacero (39-1) e Vitor Bueno (23-2).

THE STRONGEST
Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Maldonado, Fernando Marteli e Marvin Bejarano; Raúl Castro, Walter Veizaga e Jara; Chumacero, Escobar e Matías Alonso.
Técnico: César Farías

SANTOS
Vanderlei; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Cleber Reis e Copete; Leandro Donizete, Renato e Lucas Lima (Jean Mota); Vitor Bueno (Léo Cittadini), Vladimir Hernández (Kayke) e Bruno Henrique.
Técnico: Dorival Junior



Santos arranca empate heroico na Bolívia e se classifica na Liberta

O Santos viveu uma típica noite de Libertadores nesta quarta-feira. Jogando na altitude de 3.660 metros de La Paz, na Bolívia, o Peixe foi pressionado desde o início pelo The Strongest, viu Bruno Henrique, seu melhor jogador, ser expulso no primeiro tempo e ainda saiu atrás no marcador. Porém, mesmo com todas as adversidades, o Peixe foi buscar o empate na segunda etapa, com Vitor Bueno, também presenciou Pablo Escobar tentando cavar e perdendo um pênalti no fim, e voltará para o Brasil nesta quinta com a classificação para as oitavas de final do torneio na bagagem.

Com a igualdade, o alvinegro manteve-se na liderança do grupo 2, com nove pontos, e confirmou a vaga na próxima fase da Liberta. O The Strongest, por sua vez, ocupa a segunda colocação, com oito, e segue lutando pela classificação.

Na última rodada da fase de grupos da competição, os santistas recebem o Sporting Cristal, na Vila Belmiro, na próxima terça-feira, às 21h45 (de Brasília). Já os bolivianos ‘jogam a vida’ contra o Santa Fe, no mesmo horário, em Bogotá. Quem vencer na Colômbia ficará com a outra vaga da chave.

O jogo

O Santos até começou o duelo na Bolívia dando impressões de que atacaria o The Strongest mesmo atuando na altitude de 3.660 metros acima do nível do mar. Aos sete minutos, Lucas Lima armou contra-ataque e lançou Bruno Henrique na esquerda. O atacante limpou o defensor e rolou para Vladimir Hernández, que foi derrubado na área. A arbitragem, porém, não marcou nada.

Logo depois, o Tigre passou a dominar o duelo e desperdiçou diversas oportunidades. O Peixe, por sua vez, se segurava do jeito que dava e tentava apostar na velocidade dos contra-ataques para chegar ao gol.

Aos 22 minutos, porém, as coisas ficaram ainda mais complicadas. Isso porque Bruno Henrique deu dura entrada em Chumacero e acabou sendo expulso pelo árbitro Dario Herrera. Com um a menos, o alvinegro praticamente abdicou de jogar no primeiro tempo e tentava apenas segurar o empate.

O castigo veio aos 39. Pérez cruzou da esquerda, Alonso chutou mascado, e bola ficou livre para Chumacero. Com tranquilidade, ele se livrou de Vanderlei e mandou para o fundo das redes, abrindo o placar na Bolívia.

Mesmo atrás do marcador, o Peixe continuou apático dentro de campo e só assustou aos 45 minutos, quando Lucas Veríssimo tentou uma bicicleta. A bola passou perto do gol de Vaca.

O segundo tempo começou na mesma tônica da etapa inicial. Em desvantagem no placar e no número de jogadores em campo, o Peixe não conseguia assustar o The Strongest. A equipe boliviana, por sua vez, seguia pressionando e buscando o segundo gol em La Paz.

Após passe errado de Renato aos 11 minutos, Alonso recebeu cara a cara com Vanderlei. O arqueiro santista, porém, faz linda defesa e impede o Strongest de ampliar.

E como o futebol é uma caixinha de surpresas, justamente em seu pior momento na Bolívia, o alvinegro chegou ao empate. Aos 23 minutos, Lucas Lima recebeu na entrada da área, driblou Pérez com facilidade e cruza para Vitor Bueno. Completamente livre, o camisa 7 apenas completou para o fundo das redes.

O empate deixou os bolivianos atordoados. Precisando da vitória para ficar em uma situação tranquila no grupo, o The Strongest se lançou ao ataque de forma desordenada, errando muitos passes. Quando parecia que o empate estava encaminhado, Pedrozo recebeu completamente livre dentro da área e foi derrubado por Vanderlei. Pênalti claro anotado pelo árbitro Dario Herrera.

Na cobrança, porém, Pablo Escobar tentou dar uma cavadinha e mandou por cima da trave, salvando o Peixe na Bolívia. O erro abalou ainda mais o Tigre. O time boliviano até tentou pressionar nos últimos minutos, mas esbarrou em um valente Santos, que segurou o resultado e garantiu a classificação na Liberta.

Bastidores – Santos TV:

Autor de gol salvador, Bueno vê expulsão injusta e vibra com superação

Muito criticado pela torcida desde o início do ano, Vitor Bueno foi o autor do gol que garantiu o Santos nas oitavas de final da Libertadores. Mesmo com um a menos desde o início do jogo e enfrentando a altitude de 3.660 metros de La Paz, o camisa 7 ajudou o Peixe a empatar com o The Strongest em 1 a 1 e voltar ao Brasil com a vaga na bagagem.

Herói na Bolívia, Bueno admitiu que o alvinegro sentiu bastante os problemas do ar rarefeito e ainda criticou a atuação do árbitro Dario Herrera, que expulsou o santista Bruno Henrique aos 22 minutos do primeiro tempo.

“Senti bastante a altitude, todos sentiram. Antes do jogo dissemos que seria jogo de superação, ainda mais com expulsão injusta. Esperamos ao máximo a equipe deles e conseguimos sair no contra-ataque para matar o jogo. Agradecemos ao torcedor que veio”, disse o camisa 7 na saída do gramado.

Com a igualdade, o alvinegro manteve-se na liderança do grupo 2, com nove pontos, e confirmou a vaga na próxima fase da Liberta. O The Strongest, por sua vez, ocupa a segunda colocação, com oito, e segue lutando pela classificação.

Dorival critica arbitragem, mas enaltece Santos: “Honraram a camisa”

Se jogar contra o The Strongest na altitude de 3.660 metros de Laz Paz já é complicado, atuar com um jogador a menos desde os 22 minutos do primeiro tempo torna a missão quase impossível. O Santos sentiu na pele essa dificuldade na noite desta quarta-feira, pela quinta rodada da fase de grupos da Libertadores. Mas com um gol de Vitor Bueno na segunda etapa, o Peixe arrancou um empate diante do Tigre e ainda garantiu a classificação para as oitavas de final do torneio.

Apesar de toda a euforia com a vaga, o técnico Dorival Júnior não deixou de criticar a arbitragem de Dario Herrera. Segundo o comandante, o árbitro errou na expulsão de Bruno Henrique e em vários outros lances durante o confronto desta quarta.

“Árbitro foi infeliz desde o começo. Isso acontece com o Santos nos jogos fora. Fomos muito prejudicados e por isso não tivemos pontuação ainda maior. Mas prefiro falar da partida, do que a equipe procurou a partir da expulsão. Tentamos neutralizar, marcar. Foi uma ambientação difícil, depois pegamos ritmo, nos expomos mais, e perdemos o Bruno. Fizemos força além do normal por esse ponto. Espero que o exemplo dessa partida seja levado para a sequência do nosso ano, que promete muito. Equipe está plantando para colher alguma coisa. Esse resultado é para poucas equipes. Torcedor do Santos tem que saber valorizar o que essa equipe vem fazendo, principalmente na noite de hoje. Honraram essa camisa. Fico feliz por dirigir uma equipe tão guerreira e determinada”, vibrou o treinador em entrevista coletiva após o empate.

Lucas Lima destaca ‘catimba’ dos bolivianos: “Não pode deixar barato”

Após um início de ano de altos e baixos, Lucas Lima voltou a assumir um papel de protagonismo no Santos. Contra o The Strongest, nesta quarta-feira, o meia foi decisivo para a classificação santista às oitavas de final da Libertadores. Aos 23 minutos do segundo tempo, ele driblou a marcação com facilidade e encontrou Vitor Bueno na área. Sozinho, o camisa 7 só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes e decretar o empate do Peixe em 1 a 1, no estádio Hernando Siles, em La Paz, na Bolívia.

Além da boa atuação, Lucas Lima precisou conviver com a provocação dos bolivianos durante todo o jogo. Caçado em campo, o camisa 10 destacou a força do alvinegro para superar a ‘catimba’ dos rivais.

“Libertadores é isso. A gente se acostuma com essa provocação. Fizemos uma grande partida e merecemos o resultado. Não podemos deixar barato. Somos humanos. A gente provoca também. Eu não entendo nada que eles falam. Gritam para caramba, falam tudo rápido… Estou muito feliz pelo resultado”, comemorou o meia na saída do gramado.

Santistas brincam após vaga na Bolívia: “Recarregando o fôlego”

De forma heroica, o Santos arrancou um empate em 1 a 1 com o The Strongest, na noite desta quarta-feira, em La Paz, na Bolívia, e alcançou a classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores.

Além do duelo contra o Tigre, o Peixe também precisou encarar a altitude de 3.660 metros da cidade boliviana. Durante o jogo, o zagueiro Cleber Reis chegou a cair no gramado pedindo atendimento. Além dele, o atacante Ricardo Oliveira, sacado por Dorival Júnior, passou mal no banco de reservas e precisou ir aos vestiários para ser atendido pelos médicos do clube.

Por conta de toda essa adversidade, aliada a expulsão de Bruno Henrique e ainda um pênalti desperdiçado pelo rival, os santistas aproveitaram para ‘tirar um sarro’ após a partida.

Ainda nos vestiários do estádio Hernando Siles, elenco e comissão técnica ‘simularam’ um atendimento a Cleber e postaram a foto nas redes sociais com a seguinte frase:

“Recarregando o fôlego pra próxima fase”

Reserva na Bolívia, Oliveira passou mal no banco, mas deve jogar sábado

Os torcedores do Santos tiveram uma surpresa quando viram a escalação do time antes do duelo contra o The Strongest, na noite desta quarta-feira. Afinal, o atacante Ricardo Oliveira aparecia apenas no banco de reservas, dando lugar a Vladimir Hernández. Segundo o técnico Dorival Júnior, a mudança aconteceu por conta da estratégia de explorar a velocidade nos contra-ataques.

Porém, toda a programação montada pelo treinador acabou desmoronando logo aos 22 minutos do primeiro tempo, quando Bruno Henrique foi expulso pelo árbitro Dario Herrera.

Com um homem a menos, Dorival até pensou em colocar Oliveira na segunda etapa. Porém, o camisa 9 sentiu os efeitos da altitude e, com dores de cabeça, precisou ser levado ao vestiário durante o jogo para receber oxigênio. Mesmo assim, o Peixe conseguiu arrancar o empate em 1 a 1, em La Paz, na Bolívia, e alcançou a classificação para as oitavas de final da Libertadores.

“Ricardo, a principio, não estaria jogando. Foi uma definição para tirar a referência para povoar o meio-campo. The Strongest penetra muito por dentro. Se tivéssemos um a mais flutuando, poderíamos neutralizar o início das jogadas. No banco, ele passou muito mal, não se sentiu bem, e ficou no vestiário. Agora, está mais recuperado. É natural que tenhamos ter um cuidado para saber o que aconteceu”, explicou Dorival Júnior em entrevista coletiva após o duelo.

Apesar do problema, Oliveira não deve ser desfalque do Santos contra o Coritiba, no próximo sábado, às 16h (de Brasília), na Vila Belmiro, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.


Santos 2 x 0 The Strongest

Data: 16/03/2017, quinta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 2 – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.132
Renda: R$ 381.290,00
Árbitro: Nestor Pitana
Auxiliares: Hernán Maidana e Juan Pablo Belatti
Cartões amarelos: Thiago Maia (S); Pablo Escobar e Walter Veizaga (TS).
Cartão vermelho: Walter Veizaga (TS).
Gols: Ricardo Oliveira (46-1) e Renato (38-2).

SANTOS
Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato (Leandro Donizete), Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno (Vladimir Hernández), Bruno Henrique (Copete) e Ricardo Oliveira.
Técnico: Dorival Junior

THE STRONGEST
Daniel Vaca; Diego Bejarano, Luis Maldonado, Fernando Marteli e Marvin Bejarano; Raúl Castro, Walter Veizaga e Jara (Wayar); Chumacero (Pedrozo), Escobar (Valverde) e Matías Alonso.
Técnico: César Farías



Veteranos brilham, Santos bate Strongest e vira líder na Libertadores

Após cinco anos, a Vila Belmiro voltou a viver um clima de Copa Libertadores nesta quinta-feira. Empurrado pela sua torcida, que protagonizou um ‘corredor de fogo’ nos arredores do estádio, o Santos perdeu um caminhão de gols, mas contou com a estrela dos ‘vovôs’ Renato e Ricardo Oliveira para bater o The Strongest por 2 a 0 e conquistar sua primeira vitória nesta edição do torneio continental. Com 37 e 36 anos, respectivamente, o volante e o centroavante foram fundamentais dentro de campo e marcaram os gols que decretaram o triunfo santista diante dos bolivianos.

Agora, o Santos chegou aos quatro pontos e assumiu a liderança do grupo 2 da Libertadores. Já o The Strongest caiu para terceiro, com três. A equipe boliviana, porém, está empatada com o Santa Fe, mas perde pelo saldo de gols. Por fim, o Sporting Cristal, do Peru, é o último da chave, com apenas um ponto.

Os comandados de Dorival Júnior voltam a campo pela Libertadores somente no final de abril, quando visitam o Santa Fe, na Colômbia.

O jogo

Assim como a festa do lado de fora, o jogo começou eletrizante dentro da Vila Belmiro. Empolgado pela força da torcida, o Santos começou apertando o The Strongest. Logo no primeiro minuto, Bruno Henrique, que começou como titular na vaga de Copete, avançou pela esquerda e bateu firme, obrigando o goleiro Vaca a rebater e salvar o time boliviano.

Porém, o Tigre tratou de esfriar os ânimos e dar calafrios aos santistas cinco minutos depois. Em cobrança de falta de Pablo Escobar, o goleiro Vladimir saiu mal e foi encoberto pela bola, que bateu no travessão, tocou na trave e não entrou.

Após o susto do The Strongest, o Peixe continuou tentando avançar, mas insistia muito pelo lado esquerdo, com Bruno Henrique, e não conseguia furar o bloqueio dos bolivianos. Tanto que a grande chance do alvinegro surgiu somente aos 32 minutos.

Novamente acionado, Bruno Henrique fez linda jogada dentro da área e cruzou para o meio. Antes da chegada de Ricardo Oliveira, Veizaga tentou cortar e mandou contra a própria meta. Porém, o goleiro Vaca pegou no susto e conseguiu impedir o gol.

O problema é que Veizaga estava com vontade de fazer besteira na Vila Belmiro. Isso porque aos 38 minutos ele levou cartão amarelo após entrada dura em Lucas Lima. Não satisfeito, o volante do time boliviano acertou o camisa 10 do Peixe novamente quatro minutos depois, quase dentro da área, e acabou sendo expulsou pelo árbitro Nestor Pitana.

E para completar o ótimo cenário para o alvinegro após a expulsão, Ricardo Oliveira cobrou a falta com extrema categoria, tirou completamente o goleiro Vaca da jogada. Golaço que abriu o placar na Vila e deixou o Santos tranquilo antes do intervalo.

Com um a mais em campo, o Santos voltou para o segundo tempo disposto a matar a partida na Vila Belmiro. Porém, a equipe comandada por Dorival Júnior esbarrou nas inúmeras oportunidades desperdiçadas.

Foi uma avalanche de gols perdidos em Urbano Caldeira. Se impondo tecnicamente, o Peixe perdeu chances na cara do gol com Bruno Henrique (duas vezes) e Ricardo Oliveira.

Muito acionados durante todo o jogo, Bruno Henrique e Vitor Bueno deram sinais de cansaço na Vila e foram substituídos por Copete e Vladimir Hernández, respectivamente.

A dupla de colombianos, porém, seguiu sem furar o bloqueio adversário. Quando parecia que o duelo terminaria com vitória pelo placar mínimo, Lucas Lima cobrou falta dentro da área aos 38 minutos da etapa final e Renato subiu mais que todo mundo para anotar o segundo e confirmar o triunfo do Peixe, que agora lidera o grupo 2 da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Dorival lamenta finalizações erradas, mas vibra com ‘agressividade’ do Santos

O Santos desta quinta-feira deu demonstrações claras de que pode voltar a ser aquele time ofensivo que a torcida se acostumou a ver nos últimos anos. Apesar de ter vencido o The Strongest pelo placar ‘magro’ de 2 a 0, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores, o Peixe sobrou em campo e perdeu diversas oportunidades, principalmente no segundo tempo, quando tinha um homem a mais dentro de campo.

Empolgado com a boa apresentação da equipe, o técnico Dorival Júnior exaltou o poderio ofensivo da equipe, mas destacou os erros na hora de finalizar as jogadas.

“No penúltimo passe ou na finalização poderíamos ter tido atenção um pouco maior, talvez um capricho, fatalmente teríamos feito mais gols. Mas só perdemos chances porque criamos e isso é um passo importante. Em outros momentos tivemos dificuldades de criar, mas mantivemos a posse de bola, só que não com tantas infiltrações e finalizações. Hoje tivemos volume, fomos agressivos, intensos. As bolas começarão a entrar de forma mais natural, todos sabem fazer gols”, explicou o comandante, em entrevista coletiva após a vitória sobre os bolivianos.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos quatro pontos e lidera o grupo 2 da Libertadores. Agora, os santistas ‘viram a chave’ e focam no Campeonato Paulista. No próximo domingo, o Peixe encara o Palmeiras, às 18h30 (de Brasília), na Vila, pela nona rodada do Estadual.

E diferente do que acontece na Liberta, o Peixe vive uma situação complicada no Paulistão. Atualmente com 13 pontos conquistados, os comandados de Dorival Júnior ocupam a terceira posição do grupos D e estariam fora das quartas de final caso a competição terminasse hoje.

“É preocupante. Não imaginávamos não fazer pontos em dois jogos em casa. Buscamos pontos fora e não concretizamos os de casa. Isso causa preocupação. Teremos jogo importantíssimo no fim de semana. Os pontos que deixamos atrás podem ter um peso e temos que correr para que recuperemos os pontos que ficaram. Paulista é importante, não deixa de ser, sempre foi muito disputado. Continuamos pensando no campeonato, sim, e vamos à luta por uma das duas vagas. Temos certeza que, se tivermos méritos, iremos buscar pelo espírito de recuperação que estou sentindo”, concluiu Dorival.

Lucas Lima agracede apoio da torcida, mas diz: “Não somos os melhores”

Após cinco anos, a Vila Belmiro voltou a viver um clima de Libertadores nesta quinta-feira. Antes do duelo contra o The Strongest, o elenco do Peixe foi recepcionado com um ‘corredor de fogo’ nos arredores do estádio. Empolgados com o apoio, os santistas buscaram o triunfo por 2 a 0 e alcançaram a liderança do grupo 2 da competição continental.

O meia Lucas Lima, que já foi um dos alvos dos torcedores após a derrota para o São Paulo, em fevereiro, vibrou com o apoio recebido nesta quinta-feira.

“Queria agradecer o apoio da torcida. Sempre que eles comparecem na Vila é difícil os adversários ganharem da gente”, resumiu o camisa 10, na saída do gramado.

Com o triunfo, o alvinegro chegou aos quatro pontos e lidera o grupo 2 da Liberta. Além de alcançar o topo, a vitória sobre os bolivianos serviu para o Santos espantar de vez a má fase que passou no início do ano. Apesar disso, Lucas Lima prefere manter os pés no chão.

“Começo de temporada é isso. A gente oscilou um pouco no começo. Quando ganhamos não somos os melhores, e quandro perdemos não somos os piores”, concluiu Lucas Lima.

Reforços deslancham e concorrência no ataque anima Dorival

Após sofrer com a falta de opções na última temporada e no início deste ano, o Santos parece finalmente ter encontrado peças de reposição no ataque. Se Kayke ainda não conseguiu fazer frente ao incontestável Ricardo Oliveira, os reforços Vladimir Hernández e Bruno Henrique deslancharam na equipe. O último, inclusive, tomou a vaga de Copete e começou como titular ao lado de Vitor Bueno na vitória de 2 a 0 sobre o The Strongest, nesta quinta-feira, na Vila Belmiro, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores.

Os dois colombianos, porém, entraram no segundo tempo e conseguiram manter a força ofensiva do Peixe diante do Tigre. Contente com as boas atuações, o técnico Dorival Júnior exaltou a concorrência entre os “titulares”.

“O Bruno (Henrique) fez um grande jogo no domingo. Ele se credenciou a jogar, mas Copete também é um titular. Assim como Vladimir Hernández, que está muito bem preparado, voltando a atuar com tranquilidade. Copete e Hernández brigarão com Bruno ou com (Vitor) Bueno. O que queríamos era uma condição onde eles não se sintam confortáveis e tenhamos opções para mexer”, ressaltou o comandante.

Apesar das boas opções no banco de reservas, o treinador não deve promover mudanças na equipe que encara o clássico contra o Palmeiras, no próximo domingo, às 18h30 (de Brasília), na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Paulista.

Porém, como o embate diante do The Strongest aconteceu na última quinta-feira, o Santos terá um dia a menos de preparação para o clássico. O alvinegro faz apenas dois treinamentos antes do duelo com o Verdão e irá definir os titulares após uma conversa com os preparadores físicos.

O provável time para o clássico será formado por: Vladimir; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, David Braz e Zeca; Renato, Thiago Maia e Lucas Lima; Vitor Bueno, Bruno Henrique e Ricardo Oliveira.

Liderança na Liberta dá tranquilidade para Santos buscar arrancada no Paulista

Após passar por um período de turbulência no início da temporada, Santos retomou o caminho do bom futebol e bateu o The Strongest por 2 a 0, na noite desta quinta-feira, na Vila Belmiro. Além de garantir a liderança do grupo 2 da competição continental, o triunfo sobre os bolivianos deixou o Peixe mais tranquilo para buscar a recuperação no Campeonato Paulista.

Afinal, se as coisas estão indo muito bem para o Santos na Liberta, o mesmo não pode ser dito do Estadual. Com apenas 13 pontos em oito rodadas, os comandados de Dorival Júnior ocupam a terceira posição do grupo D e estariam fora das quartas de final caso a primeira fase terminasse hoje.

Porém, como o próximo compromisso pela Libertadores será apenas no dia 19 de abril, contra o Santa Fe, em Bogotá, os santistas terão tempo para focarem apenas no Paulistão.

“A equipe nunca deixou de ter tranquilidade, mesmo em jogos anteriores, com movimentação toda que existia. Ambiente foi calmo e tranquilo. Fizemos um grande jogo com volta dos nossos jogadores no Peru. Equipe readquiriu uma condição que, de repente, em duas ou três partidas foi um pouco abaixo. Espero que voltemos a ter esse nível”, explicou o técnico Dorival Júnior, em entrevista coletiva após o jogo desta quinta-feira, na Vila Belmiro.


Santos 2 x 0 The Strongest

Data: 19/04/2012, quinta-feira, 19h45.
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.761 pagantes
Renda: R$ 369.670,00
Árbitro: Julio Quintana (PAR)
Auxiliares: Rodney Aquino e Hugo Martinez (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Henrique e Adriano (S); Vaca, Reyes e Parada (TS).
Gols: Alan Kardec (40-2) e Neymar (42-2).

SANTOS
Rafael; Henrique (Alan Kardec), Edu Dracena, Durval e Juan; Adriano, Arouca (Ibson), Elano (Felipe Anderson) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges.
Técnico:Muricy Ramalho

THE STRONGEST-BOL
Vaca; Parada, Marchesini, Méndez e Torrico; Reyes (Ramallo), Chumacero, Cristaldo e Soliz; Pablo Escobar e Melgar (Sacha Lima).
Técnico: Úber Acosta



Santos faz 2 a 0 no Strongest, carimba vaga e ajuda o Internacional

Time paulista demorou para acertar o alvo, mas venceu. Agora aguarda seu adversário

Não foi fácil, demorou quase o jogo todo para o grito de gol ser ecoado na Vila Belmiro, mas após dois lances depois dos 40 minutos do segundo tempo, o Santos fez 2 a 0 no Strongest, da Bolívia, e sacramentou sua classificação como o primeiro colocado do grupo 1 da Libertadores.

No dia que estreou sua terceira camisa, azul, o Santos suou para vencer, resultado que acabou confirmando também a classificação do Inter como segundo do grupo, que perdeu no Peru para o Juan Aurich. O time gaúcho vai enfrentar o Fluminense na próxima.

O jogo

O uniforme do boliviano Strongest, igual ao do venezuelano Deportivo Táchira, que tomou 6 a 0 do Corinthians na quarta-feira poderia sugerir que o mesmo aconteceria nesta quinta na Vila Belmiro. Mas o que foi visto foi bem diferente.

O Strongest, com o placar igual nos primeiros minutos, fez de tudo para segurar o jogo. Talvez pensando no pior, já que levara 5 a 0 do Internacional em Porto Alegre, o time boliviano tentava evitar ao máximo que a bola rolasse na Vila Belmiro. O goleiro Vaca ficou mais de três minutos trocando luvas e chuteiras. Minutos valiosos para os esforçados bolivianos.

O resultado de Juan Aurich e Inter, com vitória parcial dos peruanos, permitia ao Strongest o direito de sonhar com uma classificação. Bastaria uma vitória simples contra o Santos. E assim, como num sonho, o “mais forte” time da Bolívia segurou o Santos por todo o primeiro tempo.

O Santos teve boas chances de abrir o placar. Mas a boa atuação do goleiro Vaca, somada a uma bola no travessão (Borges acertou a barra aos 37 minutos) e uma outra salva em cima da linha por Cristaldo, as duas equipes foram para os vestiários sem alterar o placar. O Strongest esboçou alguns ataques, mas nada capaz de assustar o torcedor na Vila Belmiro.

O Santos chutou 12 bolas no gol boliviano, com seis no alvo, o que comprova que Vaca foi o nome do primeiro tempo. O Strongest chegou com quatro finalizações, mas apenas uma defesa de Rafael. O Santos controlou 75% da posse de bola, mas não foi suficiente para sair na frente.

Na volta do intervalo, nada de mudanças no cenário. Por 20 minutos o Santos foi quem teve a posse de bola, foi quem criou as chances de gol, mas nada de a bola entrar. Neymar teve chance clara aos 14 minutos. Cara a cara com Vaca, sem marcação, mandou a bola à esquerda do gol. Depois, aos 17, tentou uma bicicleta que parou nas mãos do goleiro boliviano.

O gol caminhava para um insosso empate sem gols, mas após dois lances já depois dos 40 minutos do segundo tempo, o Santos matou o jogo. Aos 40, Neymar cruzou para Alan Kardec mandar para as redes de cabeça. Dois minutos depois, o Durval mandou para Neymar que tabelou com Borges e saiu na cara de Vaca. Desta vez, sem firula, mandou para as redes. E o Santos vai forte para oitavas em busca do seu quarto título da Libertadores.

Bastidores – Santos TV:

Neymar marca e iguala Coutinho em gols válidos pela Libertadores

Como o ídolo dos anos 60, joia santista chega aos 11 gols na competição continental

O gol de Neymar aos 42 minutos do segundo tempo contra o Strongest , nesta quinta-feira, foi histórico para o Santos. O atacante igualou a marca de Coutinho, ídolo santista nos anos 60, e agora tem 11 gols marcados em jogos da Libertadores.

“Fico muito feliz por cada jogo, cada dia, cada ano e eu fazendo história no Santos. Mas não quero passar e nem ser melhor do que ninguém. Quero jogar bem pelo Santos”, disse Neymar, cada vez mais ponderado nas declarações.

Neymar e Coutinho estão em terceiro no ranking de goleadores santistas na Libertadores. Pelé tem 17 e Robinho, 14.

“A gente se doou o máximo para vencer. Insistimos e fomos até o final. Respeitamos a equipe deles e saíram os gols depois de tanto esforço”, disse Neymar após a vitória que sacramentou a liderança do grupo 1 da Libertadores para o Santos .


Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos.

The Strongest 2 x 1 Santos

Data: 15/02/2012, quarta-feira, 19h45 (horário de Brasília).
Competição: Copa Libertadores – Grupo 1 – 1ª rodada
Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz, Bolívia.
Árbitro: Carlos Vera (EQU)
Auxiliares: Christian Lescano e Luis Alvarado (ambos do EQU).
Cartões amarelos: Parada, Lima e González (TS); Arouca, Rafael e Neymar (S).
Gols: Henrique (10-1) e Cristaldo (33-1); Rodrigo Ramallo (45-2).

THE STRONGEST-BOL
Vaca; Parada, Ojeda, Méndez e Torrico; Soliz, Chumacero, Lima e Cristaldo (Rodrigo Ramallo); Pablo Escobar e Melgar (González).
Técnico: Mauricio Soria

SANTOS
Rafael; Fucile, Edu Dracena, Durval e Pará; Henrique, Arouca, Ibson (Elano) e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Borges (Alan Kardec).
Técnico: Muricy Ramalho



Santos perde muitos gols, leva castigo no fim e perde na Bolívia

Equipe joga bem e cria chances, mas volta da altitude com derrota na bagagem. Agora, vai pegar o Inter

Em um jogo movimentado, o Santos pecou nas finalizações e viu o The Strongest (Bolívia) sair com a vitória nos minutos finais da partida. O time boliviano ganhou por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, no Estádio Hernando Siles, em La Paz, com gols de Cristaldo e Ramallo. Henrique marcou para o Peixe.

O resultado fez os bolivianos se igualarem ao Internacional-RS, que derrotou o Juan Aurich (Peru) no primeiro confronto do grupo 1, na liderança da chave. Os gaúchos levam vantagem no saldo de gols (2 a 1) sobre o The Strongest, apesar dos dois possuírem três pontos ganhos.

Na próxima rodada da do grupo, o Santos recebe o Inter, no dia 8 de março, na Vila Belmiro. Na mesma data, o The Strongest pega o Juan Aurich, em La Paz.

O jogo

Sem poder contar com o lateral esquerdo Juan, que não pôde atuar em virtude de uma suspensão por cartão vermelho na última Copa Sul-americana, defendendo o São Paulo, o Santos iniciou o jogo com Pará na direita e o uruguaio Fucile na esquerda e sofrendo uma pequena pressão do The Strongest.

Apoiado pela torcida local, o time boliviano quase abriu o placar aos seis minutos. Pará falhou e o atacante Pablo Escobar desceu pela esquerda do ataque do Tigre, antes de soltar a bomba. Atento, Rafael fez a defesa, evitando que bola sobrasse para Melgar. No minuto seguinte, Soliz fez bom lance individual, porém, chutou por cima do gol do Peixe.

Apesar de uma tentativa de pressão do The Strongest nos primeiros minutos, os santistas foram mais eficientes e conseguiram chegar ao gol. Aos 10, o meia Paulo Henrique Ganso cobrou falta, Neymar desviou e, aproveitando-se do fato de o goleiro Vaca não ter conseguido interceptar a bola, o volante Henrique pegou o rebote e estufou as redes bolivianas: 1 a 0 para o Alvinegro Praiano.

Melhor em campo e explorando os contra-ataques, o Santos quase ampliou a sua vantagem em duas oportunidades. A primeira, aos 21, com Borges recebendo boa bola e arriscando uma forte finalização da entrada da área. Vaca defendeu. Na segunda, aos 23, Borges apareceu novamente, mas desta vez cruzando a bola para Neymar. A Joia dominou mal e, na hora do arremate, acertou a trave da equipe boliviana.

Um dos jogadores mais perigosos do The Strongest, Pablo Escobar deu bastante trabalho a defesa santista no primeiro tempo, principalmente em chute de fora da área, como aconteceu aos 27. A finalização do atacante do Tigre passou rente a trave de Rafael, assustando o camisa 1 do Peixe.

De tanto insistir, especialmente em lances pelos lados do campo e explorando a velocidade de seus atacantes, o The Strongest chegou ao empate. Aos 33, Parada cruzou da esquerda, Ibson furou na hora do corte, Pará deu espaço na marcação e Cristaldo pegou firme na bola, acertando um belo chute e deixando tudo igual em La Paz.

Após o gol do empate boliviano, a partida ganhou em velocidade, só que as chances de gol ficaram mais raras. A última boa oportunidade antes do intervalo foi santista. Aos 46, Pará iniciou a jogada e tocou para Neymar, que escapou em velocidade e finalizou, exigindo boa defesa de Vaca. Borges não conseguiu aproveitar o rebote e os donos da casa escaparam de sofrer o segundo gol.

Na volta do intervalo, Pablo Escobar continuou dando trabalho à defesa alvinegra e quase deixou a sua marca, aos nove. Em chute de fora da área, com a perna esquerda, o atacante viu a bola passar perto do alvo, mais uma vez.

Logo em seguida, Muricy Ramalgo fez a primeira substituição no Santos. Ibson entrou na vaga de Elano. Na sequência, o The Strongest quase chegou ao seu segundo tento, com Pablo Escobar exigindo grande defesa de Rafael em cobrança de falta, aos 15.

A resposta veio no minuto posterior, com Neymar driblando o goleiro Vaca, que saiu da grande área. O camisa 11 do Peixe tabelou com Ganso e bateu para o gol, só que a zaga boliviana cortou e evitou o gol dos brasileiros.

Bem armado taticamente e com Neymar aparecendo mais, os santistas tiveram outra grande chance de gol, aos 17. Elano começou a jogada roubando a bola, acionando Ganso, que fez a assistência para a Joia. De frente para o gol, na saída de Vaca, Neymar bateu para fora.

Após esse lance, os dois times resolveram mexer. Rodrigo Ramallo entrou na vaga de Cristaldo no The Strongest e Alan Kardec substituiu Borges no Santos.

Só que o panorama do duelo continuou o mesmo e, aos 26, o Alvinegro Praiano desperdiçou mais uma grande oportunidade de gol. Neymar lançou Elano, que acertou o travessão no arremate.

A resposta boliviana veio aos 30. Rodrigo Ramallo cruzou para Melgar tocar de cabeça, assustando Rafael e quase colocando os donos da casa em vantagem no Hernando Siles. Essa foi a última jogada de Melgar, substituído nos minutos seguintes por González.

Mesmo dominando quase por completo o segundo tempo, o Santos continuou esbarrando na sua má pontaria na altitude. Aos 37, Ganso encontrou Neymar, outra vez, só que o atacante fez o giro e disparou por cima do gol de Vaca.

De tanto perder oportunidades, o Santos foi castigado nos minutos finais. O The Strongest armou uma pressão nos últimos instantes da partida e, em cobrança de escanteio aos 45, Rodrigo Ramallo cabeceou para o fundo do gol, decretando a vitória boliviana, por 2 a 1.

Santos FC x The Strongest
Santos Futebol Clube x Club The Strongest


Retrospecto:

06 jogos
04 vitórias
01 empate
01 derrota
12 gols pró
03 gols contra
09 saldo

Resultados:

26/06/1955 – Santos 4 x 0 The Strongest – Amistoso – Lima
26/05/1971 – Santos 2 x 0 The Strongest – Amistoso – La Paz
15/02/2012 – Santos 1 x 2 The Strongest – Libertadores – Hernando Siles, La Paz
19/04/2012 – Santos 2 x 0 The Strongest – Libertadores – Vila Belmiro
16/03/2017 – Santos 2 x 0 The Strongest – Libertadores – Vila Belmiro
17/05/2017 – Santos 1 x 1 The Strongest – Libertadores – Hernando Siles