Navegando Posts marcados como União São João

Santos FC x União São João EC
Santos Futebol Clube x União São João Esporte Clube


Retrospecto:

20 jogos
09 vitórias
11 empates
00 derrota
40 gols pró
19 gols contra
21 saldo

Resultados:

05/06/1988 – Santos 1 x 0 União São João – Paulista – Hermínio Ometto, Araras
09/04/1989 – Santos 0 x 0 União São João – 3 x 1 pênaltis – Paulista – Hermínio Ometto
15/04/1990 – Santos 0 x 0 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
17/03/1993 – Santos 0 x 0 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
28/04/1993 – Santos 3 x 1 União São João – Paulista – Vila Belmiro
09/03/1994 – Santos 1 x 1 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
11/05/1994 – Santos 1 x 1 União São João – Paulista – Vila Belmiro
29/01/1995 – Santos 2 x 0 União São João – Paulista – Ulrico Mursa
28/05/1995 – Santos 1 x 1 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
01/07/1995 – Santos 3 x 2 União São João – Paulista – Vila Belmiro
15/07/1995 – Santos 1 x 1 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
24/09/1995 – Santos 3 x 2 União São João – Brasileiro – Vila Belmiro
28/01/1996 – Santos 1 x 0 União São João – Paulista – Vila Belmiro
06/04/1996 – Santos 8 x 2 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
20/03/1997 – Santos 0 x 0 União São João – Paulista – Vila Belmiro
27/04/1997 – Santos 1 x 1 União São João – Paulista – Hermínio Ometto
01/10/1997 – Santos 3 x 1 União São João – Brasileiro – Vila Belmiro
24/02/2001 – Santos 1 x 1 União São João – 2 x 1 penaltis – Paulista – Hermínio Ometto
15/02/2004 – Santos 8 x 3 União São João – Paulista – Vila Belmiro
31/03/2005 – Santos 2 x 2 União São João – Paulista – Hermínio Ometto

União São João 2 x 2 Santos

Data: 31/03/2005, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Hermínio Ometto, em Araras, SP.
Público: 1.395 pagantes
Renda: R$ 15.970,00
Árbitro:Phillipe Lombard
Auxiliares: Válter José dos Reis e Ednilson Corona
Cartões amarelos: Paulinho Kobayashi e Alexsandro (U).
Gols: Juliano (30-1); William (12-2), Deivid (17-2) e Juliano (46-2).

UNIÃO SÃO JOÃO
Luciano, Jorginho, Félix, Diguinho e Guilherme (Reinaldo); Marcelo (Tiago) (Michel), Pires, Alex Sandro e Juliano; Paulinho Kobayashi e Borges.
Técnico: Luiz Carlos Ferreira

SANTOS
Mauro, Bóvio, Halisson, Domingos e Flávio; Rogério, Beto, Cadu (Fábio Baiano) e Rossini; Evando (Deivid) e William (Basílio).
Técnico: Gallo



Santos cede empate no final e não tem mais chances

Jogando mal, o Santos apenas empatou com o União São João fora de casa na noite desta quinta-feira e, mesmo com a vitória da Portuguesa por 2 a 1 sobre o até então invicto São Paulo, o time do litoral não tem mais chances matemáticas de chegar ao título do Campeonato Paulista e continua com um jejum que dura desde 1984 no Estadual.

O time comandado pelo técnico Gallo fez um primeiro tempo muito ruim, saindo para o intervalo perdendo por 1 a 0. Apenas no segundo tempo o time melhorou a postura ofensiva e conseguiu a virada para 2 a 1.

Quando o jogo caminhava para a vitória santista, no entanto, aos 46min do segundo tempo, os donos da casa conseguiram chegar ao empate por 2 a 2 e acabaram com as chances do Santos na competição.

Antes do jogo, o técnico Gallo surpreendeu ao escalar um time sem uma série de jogadores titulares. Ricardinho e Robinho, que estavam com a seleção brasileira até ontem, por exemplo, sequer viajaram para Araras.

Além dos “selecionáveis”, no entanto, Gallo também deixou de fora do jogo outros titulares. O lateral Paulo César sequer foi relacionado para ficar como opção no banco de reservas.

Estas opções, no entanto, foram a salvação da equipe no início do segundo tempo. Colocando Fábio Baiano e Deivid nos lugares de Cadu e Evando respectivamente, o treinador conseguiu aumentar o poder do setor ofensivo e a equipe chegou a alcançar a virada, perdida apenas no último lance do jogo.

Com o resultado, o Santos foi a 32 pontos, nove a menos que o São Paulo. A equipe da Vila Belmiro ainda pode alcançar o time tricolor caso vença as três partidas restantes e o adversário saia derrotado de seus três jogos.

Contudo, ainda assim o São Paulo ficaria na frente, graças ao critério de maior número de vitórias. Com nove conquistadas até agora, o Santos só poderia chegar a 12 sucessos, contra 13 já conquistados pelo time tricolor.

Já o União São João, com o empate, conseguiu abrir dois pontos de distância para o primeiro time da zona de rebaixamento. Com 17 pontos, o União ocupa a 16ª posição, imediatamente à frente do Rio Branco, primeiro entre os times que seriam rebaixados se o campeonato terminasse agora.

No próximo domingo, o Santos enfrenta o São Paulo no estádio Wilson de Barros, em Mogi Mirim, no jogo que pode garantir o título para o time do Morumbi.

A partida, inicialmente marcada para acontecer na Vila Belmiro, foi transferida para o interior do estado pela diretoria santista, que não queria ver o adversário conquistar o título na casa do Santos.

No entanto, o esperado era que o São Paulo conquistasse o título já nesta quinta-feira, pois dependia apenas de uma vitória sobre a ameaçada Portuguesa.

Com o resultado negativo, no entanto, o time comandado por Emerson Leão agora espera conquistar o título contra o Santos, mesmo que não seja jogando na casa do adversário. Para isso, precisa apenas de um empate.

O jogo

Sem o entrosamento necessário, a equipe do Santos começou a partida encontrando muita dificuldade. A marcação no meio de campo não conseguiu parar o setor de armação do União São João e permitiu que o time do interior chegasse perto da área com facilidade.

No entanto, a criatividade da equipe do União São João, também limitada, não foi suficiente para levar o time a criar chances reais de abrir o placar. E a maioria das jogadas criadas foram interrompidas pela defesa santista antes da conclusão a gol.

A primeira chance real veio apenas aos 11min de jogo. O atacante Borges, do União, chutou forte de fora da área e o goleiro Mauro precisou se esticar para tocar na bola com a ponta dos dedos. Ela ainda tocou no travessão antes de sair para escanteio.

O Santos só conseguiu mostrar algum poder ofensivo aos 18min, após falha de Diguinho. O zagueiro do time do interior perdeu a bola no meio de campo e o atacante William puxou o contra-ataque do Santos pela esquerda do ataque.

Pouco antes de chegar à área do União, William fez o passe para Evando, que vinha chegando sozinho na meia lua da grande área. O atacante, porém, não conseguiu pegar em cheio na bola e o chute acabou saindo fraco, sem grande perigo para o goleiro Luciano.

Nos minutos seguintes, as duas equipes passaram a se preocupar quase que exclusivamente com a marcação, e o jogo ficou concentrado no meio de campo, com muitas faltas e passes errados.

Somente aos 30min este cenário foi alterado, com o primeiro gol da partida. Em cobrança de falta com o pé esquerdo pela direita do ataque o capitão do União São João, Juliano, conseguiu colocar a bola no canto esquerdo, fora do alcance de Mauro.

Após abrir o placar, o União ainda tentou aumentar com uma seqüência de bons ataques, mas todos acabaram em desarmes da defesa santista. Enquanto isso, os visitantes não conseguiram criar.

A única ameaça de reação da equipe comandada pelo técnico Gallo veio aos 42min da etapa inicial. Depois de cruzamento na área, Evando apareceu bem e dividiu com o goleiro, mas acabou não conseguindo marcar.

Na volta do intervalo, Gallo colocou em campo os titulares Fábio Baiano e Deivid, mas as alterações não fizeram efeito imediato. A primeira oportunidade criada, aos 6min, foi do União.

O atacante Borges recebeu lançamento pela direita e, invadindo a área, chutou forte, mas por cima do gol de Mauro.

Aos 12min, finalmente o time da Vila Belmiro entrou no jogo e conseguiu empatar a partida. Deivid chutou forte de longe e no rebote, William precisou tentar duas vezes para conseguir marcar.

Depois do primeiro, não demorou a vir a virada. O atacante Deivid, de fora da área, acertou belo chute com a bola no alto. O goleiro Luciano falhou feio ao tentar segurar a bola e o Santos marcou o segundo.

Na frente no placar, o Santos passou a dominar o jogo, trocando passes no meio de campo e prendendo a bola no ataque com o atacante Deivid. Com isso, o União São João não conseguiu voltar a ameaçar o goleiro Mauro.

Apenas na última jogada da partida, já aos 46min do segundo tempo, o União voltou a chegar na área santista. E foi o suficiente para o meia Juliano marcar seu segundo gol na partida e conseguir o empate para os donos da casa.

Santos 8 x 3 União São João

Data: 15/02/2004
Competição: Campeonato Paulista – Primeira Fase – Grupo B – 6ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5 223 pagantes.
Renda: R$ 71 590,00.
Árbitro: Romildo Correia (SP).
Cartões amarelos: André Luís (S); Marcelinho, Luís Henrique e Osmar (U).
Gols: Basílio (04-1), Basílio (20-1), Paulo César (25-1), André Luís (31-1), Alex (35-1), Osmar (39-1), Marcelinho (46-1); Robinho (06-2), Róbgol (11-2), João Paulo (32-2) e Renato (42-2).

SANTOS
Doni; Paulo César, Alex, André Luís, Léo; Claiton, Renato, Diego (Paulo Almeida); Basílio, Robinho (Luís Augusto) e Róbson (Lopes).
Técnico: Emerson Leão.

UNIÃO SÃO JOÃO
Gilvan; Vágner (Roger), Diguinho, Félix, Eduardo (Luís Henrique); Lico, Wilson Matias, Gérson Lente, Marcelinho; Osmar e João Paulo.
Técnico: Arnaldo Lira.



Em jogo de onze gols, Santos faz oito e goleia o União São João

Até Robson marcou. Numa maratona de gols, o Santos goleou o União São João por 8 a 3, neste domingo à tarde, na Vila Belmiro. O resultado mantém o time santista na liderança do grupo 2 do Campeonato Paulista.

Esta foi a sétima partida de Robson com a camisa do Santos. O jogador, que foi contratado para resolver a ausência de um matador no ataque santista, não vinha conseguindo marcar, apesar de ter seu futebol constantemente elogiado pelo técnico Emerson Leão.

Neste domingo, as dificuldades de Robson continuaram até os 11min do segundo tempo. Quando o placar já apontava 6 a 2 para os donos da casa, o Santos teve um pênalti a seu favor. O camisa nove cobrou bem e acabou com sua maré de azar.

Com o resultado, o Santos chegou aos 14 pontos, um de vantagem para o Paulista, vice-líder. Já o União, que sofreu sua quinta derrota em cinco jogos, segue sem pontos e só não está mais ameaçado de rebaixamento devido aos pontos perdidos pelo Oeste.

Muitos gols

O show de gols do primeiro tempo começou logo aos 4min. Robinho lançou Renato pela direita. Sem deixar a bola tocar no chão, o meia cruzou de primeira para Basílio, livre, tocar para o fundo do gol.

Bem no ataque, o Santos deu muito espaço para o ataque do União. E, aos 15min, a equipe de Araras quase empatou. Wilson recebeu dentro da área, pelo lado esquerdo e, quase sem ângulo, bateu forte. Doni salvou o time da Vila.

Depois desse lance o Santos começou seu passeio. Aos 20min, após boa troca de passes, Robinho lançou Paulo César. O lateral cruzou rasteiro, para trás, e Basílio, de primeira, marcou seu segundo gol na partida, ampliando a vantagem santista.

A equipe de Araras voltou a ameaçar aos 22min. Marcelinho chutou de fora da área e acertou o travessão de Doni. Três minutos depois, o Santos marcou o terceiro. Paulo César cobrou falta pela direita, direto para o gol, enganando o goleiro Gilvan.

Aos 31min, o Santos fez o quarto gol. Diego deu linda assistência para Claiton. O meia bateu de virada e Gilvan mandou para escanteio. Após a cobrança, a bola foi desviada para o segundo pau e André Luís marcou.

Com tanta facilidade, faltava o primeiro gol de Robson com a camisa do Santos. Aos 35min, a bola foi cruzada da esquerda, o camisa nove desviou de cabeça e Gilvan defendeu. O goleiro, porém, falhou e largou nos pés de André, que fez o quinto santista.

No final, o União reagiu e marcou seus dois primeiros gols. Aos 39min, com a zaga do Santos ainda dando espaços, Osmar foi lançado livre, driblou o goleiro Doni, já fora da grande área, e tocou para o fundo do gol.

O Santos ainda teve boa chance, aos 43min, num chute de Robinho defendido por Gilvan. E, aos 46min, saiu o segundo gol da equipe de Araras. Marcelinho cobrou falta, Doni ainda tocou na bola, mas não evitou o gol.

Se o Santos se desligou nos minutos finais do primeiro tempo, o intervalo voltou a ligar a equipe da Vila Belmiro. E, aos 6min, Diego deu linda assistência para Robinho, que tirou um marcador da jogada com categoria e marcou um golaço.

O sétimo gol não demorou para sair. Aos 10min, Basílio foi lançado na área, pela direita e acabou empurrado por um marcador do União. A cobrança ficou com Robson. Aos 11min, o atacante bateu rasteiro, tirando Gilvan da bola, e fez mais um para o Santos.

Após o gol de Robson, o Santos tirou o pé do acelerador. E o União conseguiu chegar ao terceiro gol. Aos 32min, o veterano João Paulo aproveitou-se da moleza da zaga santista, recebeu livre, driblou Doni e marcou o seu.

O Santos voltou a chegar com perigo aos 39min. Basílio recebeu livre e, na saída do goleiro Gilvan, tocou por cobertura. A bola saiu por pouco. E, aos 42min, Renato fez o seu. O meia recebeu na direita, driblou um zagueiro do União e chutou forte, fazendo outro belo gol.



Créditos:
Ficha técnica: Fernando Ribeiro

União São João 1 x 1 Santos

Data: 24/02/2001, sábado, 16h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Hermínio Ometto, em Araras, SP.
Público e renda: Não divulgados
Árbitros: Antônio Cláudio Perin e Eduardo César Talarico.
Cartões amarelos: Flávio, Bernardi e Júnior Amorim (U); Léo, Robert e Pereira (S).
Gols: Bernardi (29-2) e Dodô (36-2).

UNIÃO SÃO JOÃO
Pedro Paulo; Flávio, Bernardi, Andrei e Domires Júnior; Robertinho, Fabrício Souza, Fábio Lima (João Santos) e Máuro César; Edu Salles (Aílton Santos) e Júnior Amorim.
Técnico: Cláudio Garcia

SANTOS
Fábio Costa; Galván, André Luís e Pereira (Júlio César); Russo, Claudiomiro (Marcelo Silva), Renato, Robert e Léo Rodrigão (Deivid) e Dodô.
Técnico: Geninho



Santos ganha nos pênaltis e é líder

Equipe da Baixada empatou no tempo regulamentar com o União São João, mas venceu na disputa do ponto extra e lidera o Paulistão

O Santos derrotou o União São João nos pênaltis por 2 a 1 – depois de empate em 1 a 1 no tempo regulamentar – na tarde deste sábado, em Araras. Com esse resultado, chegou aos 14 pontos ganhos e se manteve na liderança do Campeonato Paulista da Série A-1. A equipe, que vinha traumatizada pela eliminação nas semifinais do Torneio Rio-SP, não jogou bem, mas fez o suficiente para segurar o adversário e depois decidir a sorte na cobrança de penalidades. Dodô e Deivid marcaram para o Santos, enquanto Robert errou sua cobrança. O zagueiro Andrei fez o seu para o União, mas Mauro César e Junior Amorim desperdiçaram.

O União São João fez um primeiro tempo melhor. O técnico do União, Cláudio Garcia, montou sua equipe de maneira que conseguiu anular os pontos mais fortes da equipe santista. Primeiro, colocou um homem para fazer uma marcação especial em cima do meia Robert. Como consequência dessa medida, os atacantes do Santos – Dodô e Rodrigão – ficaram isolados à frente. Além de segurar Robert, Cláudio Garcia ainda conseguiu obstruir as descidas dos laterais do Santos, especialmente o habilidoso Léo, pela esquerda.

Os primeiros 25 minutos foram de um jogo morno, com raras oportunidades de gol. Até então, os momentos de maior expectativa haviam sido duas cobranças de falta do zagueiro-artilheiro Andrei. Em ambas, Andrei, que já havia marcado sete vezes no campeonato, acertou a barreira. Na medida em que a partida foi avançando, no entanto, o União foi criando coragem e passou a atacar o Santos. Explorava com muita eficiência o lado esquerdo da defesa adversária, com Edu Salles e Fabio Lima. E foi assim que surgiram as principais oportunidades para marcar.

A mais clara delas surgiu aos 34 minutos, quando Edu Salles invadiu a área e tocou por cobertura na saída de Fábio Costa. O zagueiro Pereira tirou em cima da linha. Quatro minutos depois, Fábio Costa faz ótima defesa após um chute de fora da área. A pressão do União permaneceu até o final, mas o Santos soube se defender e garantiu o empate até o final do primeiro
tempo.

O início da segunda etapa repetiu o ocorrido no primeiro tempo. Os times jogavam de maneira lenta e pouco produziam. Mas a situação começou a mudar a partir dos 15 minutos, quando o técnico Geninho decidiu mudar o Santos. Tirou Rodrigão e colocou Deivid em campo. O Santos melhorou e criou duas ótimas oportunidades, aos 17 e aos 20 minutos, com Léo e Renato, respectivamente.

Aos 22, o União respondeu e por pouco não marcou com João Santos – que havia entrado no lugar de Fabio Lima. No minuto seguinte, Junior Amorim obrigou Fábio Costa uma ótima defesa. Mas aos 28 não teve jeito. Após uma cobrança de escanteio pela direita de ataque, o zagueiro Bernardi subiu mais que a defesa do Santos e fez 1 a 0 para o União.

O Santos não se abateu e conseguiu o empate aos 35 minutos. Robert se aproveita de um erro na saída de bola da defesa do União e lançou Dodô. O artilheiro deu um corte no zagueiro e chutou de perna esquerda para fazer 1 a 1. A partida, então, foi decidida nos pênaltis e o Santos se mostrou mais eficiência. Após quatro cobranças de cada time, o Santos venceu por 2 a 1.

Fonte: http://acervo.folha.com.br/fsp/2001/02/25/69//1555

União São João 1 x 1 Santos

Data: 27/04/1997, domingo
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Hermínio Ometto, em Araras, SP.
Público: 6.519 pagantes
Renda: R$ 32.585,00
Árbitro: Alfredo Santos Loebeling (SP)
Cartões amarelos: Ricardo Lima, Sairo e Sousa (U); Marcos Assunção e Ânderson (S).
Cartão vermelho: Ricardo Lima (U)
Gols: Sousa (41-1) e Marcos Assunção (03-2).

UNIÃO SÃO JOÃO
Marcelo Bezerra; Neném, Augusto, Maciel e Ivonaldo (Chiquinho); Lico, Odair, Ricardo Lima e Clayton (Sairo); Reinaldo e Sousa.
Técnico: Lula Pereira

SANTOS
Zetti; Ânderson, Narciso, Ronaldão e Baiano; Marcos Assunção, Vágner, Alexandre (Robert) e Caíco (Hélder); Alessandro (Careca) e Muller.
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Santos empata e perde chance de retornar à vice-liderança

O Santos empatou ontem em 1 a 1 com o União São João, em Araras, e continua na terceira colocação do Grupo 1 no Campeonato Paulista 97. Com o empate da Lusa diante do Corinthians, em São Paulo, o Santos poderia chegar ao segundo lugar do grupo. O Santos soma agora 31 pontos no Paulista. Os jogadores santistas atribuíram o resultado à “falta de sorte”.

O União abriu o marcador da partida aos 41min. O atacante Sousa aproveitou o rebote do goleiro Zetti, do Santos, e marcou.

O técnico Lula Pereira, do União, alterou o esquema tático para enfrentar o Santos. Sua intenção era apresentar uma dupla de ataque mais criativa.

No início da segunda etapa, Luxemburgo pediu calma à equipe santista. Aos 3min, Marcos Assunção recebeu um cruzamento de Ânderson e marcou o gol do empate.

O time do interior se desequilibrou tecnicamente depois da expulsão de Ricardo Lima. Luxemburgo tentou ampliar as possibilidades de vitória do time com a substituição de Alessandro por Careca, modificando o ataque.

Aos 31min do segundo tempo, o atacante perdeu uma oportunidade de gol ao chutar a bola na trave direita do goleiro Marcelo Bezerra. Aos 39min, o Santos desperdiçou uma falta, chutando por cima.

Luxemburgo espera classificação no final

O técnico Wanderley Luxemburgo, do Santos, disse esperar a classificação para as semifinais do Paulista nas últimas partidas.

“Cada vez é mais escassa a possibilidade de nos classificarmos, mas vamos continuar lutando”, afirmou Luxemburgo. “O Santos está melhor estruturado para enfrentar o Corinthians numa possível final”, disse, sobre a disputa com a Lusa pelo segundo lugar do grupo.

Ele afirmou que “faltou sorte” ao time no empate de ontem. Segundo o treinador, a atuação do recém-contratado atacante Muller no time deve melhorar com seu entrosamento com a equipe.

“Um jogador precisa de mais de uma partida para se adaptar às jogadas. Ele jogou bem e vai continuar no time”, afirmou.