Navegando Posts marcados como Vanderlei Luxemburgo

Treinador afirma que respeitará os direitos adquiridos por Fábio Costa, mas garante que não irá tolerar insubordinação



Após um ano e meio, o técnico Vanderlei Luxemburgo está de volta à Vila Belmiro para tentar levar o Santos à Taça Libertadores. Essa foi a missão que ele recebeu durante sua apresentação, nesta segunda-feira, no CT Rei Pelé, e lhe foi ditada pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, José da Costa Teixeira. O treinador, que foi demitido pelo Palmeiras no final de junho, aceita a incumbência e garante que vai recolocar o Peixe na elite do futebol brasileiro e sul-americano. A busca pela Libertadores faz com que Luxa já tenha deixado acertado com a diretoria a renovação no fim do ano. Afinal, ele assinou contrato até dezembro de 2009. Em suas outras três passagens pelo clube (1997, 2004, 2006/2007), os contratos eram por dois anos.

– Essa é a minha missão e vamos trabalhar para cumprir. Não vai ser fácil, mas, com sacrifício e dedicação de todo mundo, vamos conseguir colocar o Santos na frente. E se o Santos se classificar para a Libertadores, é claro que eu vou estar dentro – adianta o treinador, que chega com seu fiel escudeiro, o preparador físico Antônio Mello, o auxiliar de preparação Luis Cláudio Lula da Silva, filho do presidente Lula, e o auxiliar técnico Ney Pandolfo. Todos trabalhavam com Luxa no Palmeiras.

A conquista da Taça Libertadores é uma meta que Luxemburgo jamais conseguiu cumprir. Em todos os clubes por onde passou, havia a cobrança e a promessa de luta pelo título, que, até hoje, nunca veio. Só no Santos Luxa foi eliminado de duas Libertadores – em 2004, quando assumiu a equipe nas oitavas de final e foi eliminado nas quartas, e em 2007, quando perdeu na semifinal para o Grêmio. Neste ano, pelo Palmeiras, caiu nas quartas, diante do Nacional-URU.

A entrevista coletiva durou 50 minutos e Luxa falou sobre alguns assuntos, mas escapou de outros, como comentários sobre seus antecessores no Peixe. O treinador deixou aberta a possibilidade de se candidatar a senador por Tocantins (fez até propaganda sobre o estado), garantiu que não vai mexer com o goleiro Fábio Costa, considerado intocável no clube, e promete acabar com os problemas de relacionamento que ocorrem dentro do elenco. Por fim, ele fez questão de ressaltar que, apesar de ter sido demitido do Palmeiras, não chega ao Peixe por baixo. Confira os principais tópicos.

Demissão no Palmeiras e chegada no Santos

“Minha história no Palmeiras é muito bonita. Saí de lá porque houve um problema de interpretação em uma entrevista. Eu falei que clube brasileiro é barriga de aluguel, e alguns dirigentes ficaram chateados. Mas eu já falei isso mais de 500 vezes. Paciência. Agora, um profissional do meu nível nunca chega por baixo a clube nenhum. É preciso analisar a minha história.”

Problemas no vestiário: brigas entre jogadores

“É algo que vamos analisar e conversar internamente. O que passou, fica para trás. Vamos pensar nas coisas daqui para a frente.”

Privilégios a Fábio Costa

“Não vejo nada de errado em jogador que tem sua vaga exclusiva no estacionamento ou ter camarote no estádio. Na Europa, isso tudo é normal. Se ele tem esses privilégios é porque conquistou esse direito, com títulos pelo clube. Em vez de termos inveja, temos é de admirar jogadores com tanta identificação com o clube. Eu gostaria de ter mais jogadores vencedores como o Fábio Costa aqui comigo. Trabalhei várias vezes com ele e nunca tive problemas. Agora, os direitos dos jogadores terminam quando começam os meus. O Fábio Costa tem uma história no clube, é respeitado, mas porque é profissional. Tem de treinar e trabalhar sério, como ele sempre fez.”

Reforços

“Vamos sentar e conversar. Claro que eu conheço o elenco do Santos, mas vou observar melhor. Se precisar, é claro que vamos conversar para trazer. Mas isso é assunto muito interno.”

Situação atual

“O time está com alguma dificuldade. A tabela mostra isso. Mas não quero falar no que estava errado, no que poderia ter sido feito diferente. É uma questão de ética. Não quero comentar o trabalho de quem passou por aqui. O importante é saber que o time tem jogadores de qualidade, mas não iniciou bem a competição. Com mais três vitórias estaremos lá na frente. O mais importante agora é começar a ganhar os jogos.”

Garotada

“Desde a minha última passagem por aqui, eu dizia que o Santos tinha uma geração boa surgindo. Temos aí o Neymar e o Paulo Henrique, que já mostraram qualidade. Agora, vamos analisar e ver como vamos trabalhar com esses garotos. O presidente Marcelo (Teixeira) disse recentemente que poderia ir atrás de uma cereja para o bolo. De repente, essa cereja já está aqui.”

Senador por Tocantins?

“Tocantins é um lugar maravilhoso, ótimo para pescar, para passar as férias. É a chance de conhecer um Brasil diferente. Recomendo. Tenho um trabalho social lá, que é levar o futebol para crianças carentes. Por isso tenho ido para lá. Sobre ser senador, não existe (possibilidade). Agora, nunca sabemos o que vai acontecer amanhã. Não sou apolítico. Acompanho, me interesso. Mas, por enquanto, sou técnico de futebol. No futuro, não sei…”


Corinthians 0 x 1 Santos

Data: 12/02/2006
Competição: Campeonato Paulista – 9ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 33.450 pagantes
Renda: R$ 444.090,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Auxiliares: Ednilson Corona e Nilson de Souza Monção
Cartões amarelos: Maldonado, Julio Manzur, Geílson e Wendel (S); Carlos Alberto, Fabinho e Tevez (C).
Cartão vermelho: Luís Alberto (S)
Gol: Geílson (33-2).

CORINTHIANS
Marcelo; Coelho, Marinho, Betão e Gustavo Nery; Marcelo Mattos, Bruno Octavio (Elton), Ricardinho e Carlos Alberto (Roger); Tevez e Nilmar (Rafael Moura)
Técnico: Antônio Lopes

SANTOS
Fábio Costa; Luís Alberto, Julio Manzur e Domingos; Neto (Wendell), Fabinho, Maldonado, Rodrigo Tabata (Léo Lima), Cléber Santana e Kléber; Reinaldo (Geílson)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo


Com um a menos, Santos vence Corinthians e empata com líder

Num clássico marcado pela rivalidade cada vez maior e recheada de jogadores que trocaram de lado nos últimos tempos, o Santos derrotou o Corinthians por 1 a 0, neste domingo, pelo Campeonato Paulista.

Com um jogador a menos desde os 30min do segundo tempo –Luiz Alberto foi expulso–, o Santos chegou aos 19 pontos, mesma pontuação do líder Noroeste, mas perde no saldo de gols para o time de Bauru.

Além do bom resultado, o Santos conseguiu se vingar do arqui-rival. Na última vez que se enfrentaram, o Corinthians havia goleado o time santista por 7 a 1, em jogo válido pelo segundo turno do Brasileiro-05.

Do lado do Corinthians, que permanece com 15 pontos e se distancia dos líderes, a novidade foi o retorno do meia Roger, que não entrava em campo desde 30 de outubro do ano passado, quando sofreu lesão na fíbula da perna direita e teve que ser operado.

O Santos volta a jogar pelo Paulista-06 no próximo domingo (19) contra a Ponte Preta, em casa. Já o Corinthians, que acumula duas derrotas seguidas no Estadual, faz sua estréia na Taça Libertadores na quarta-feira (15) contra Deportivo Cali, na Colômbia.

O jogo

Antes mesmo de começar o clássico, o técnico Vanderlei Luxemburgo já tinha conseguido mexer com o adversário. O santista não divulgou a escalação de sua equipe e confundiu o técnico do Corinthians, Antonio Lopes, que foi obrigado a entrar em campo momentos antes do início do jogo para reorientar o time.

A estratégia de começar o jogo no esquema 3-5-2 deu certo para os santistas em boa parte do primeiro tempo. Com três zagueiros e dois volantes marcadores –Fabinho e Maldonado–, o Santos anulou os dois principais articuladores do Corinthians –Carlos Alberto e Ricardinho.

A equipe de Parque São Jorge até assustou com uma bola na trave chutada por Coelho, aos 2min. O Santos, entretanto, soube explorar as jogadas com velocidade. Foi assim que Rodrigo Tabata lancou para Neto, aos 9min, chutar cruzado e exigir uma difícil defesa de Marcelo.

A partida ficou equilibrada apenas na segunda metade da etapa inicial, principalmente porque Ricardinho e Carlos Alberto encontraram alguns espaços.

Tevez, que tinha dificuldades para penetrar na defesa santista, precisou mudar sua postura –deixou de ficar enfiado entre os zagueiros santistas e saiu para armar.

Aos 23min, o argentino lançou para Marcelo Mattos. O volante tentou tocar por cima de Fábio Costa, que evitou o gol corintiano. O Corinthians teve outra chance, quando Coelho cobrou falta, aos 39min, e a bola bateu na trave.

A superioridade santista já não foi tão visível no segundo tempo. Aliás, foi o Corinthians quem criou a primeira grande oportunidade. Aos 15min, Ricardinho recebeu de Marcelo Mattos e chutou rente a trave de Fábio Costa.

O técnico Antonio Lopes mexeu com a equipe. Colocou em campo Roger e Rafael Moura nos lugares de Carlos Alberto e Nilmar, respectivamente.

O Santos quase se complicou aos 30min, quando o zagueiro Luiz Alberto foi expulso por reclamar de um suposto pênalti de Gustavo Nery não marcado pelo juiz.

Quando todos pensavam que o Corinthians pressionaria o adversário, o Santos fez o primeiro gol. Aos 33min, Geílson, que havia substituído Reinaldo, ainda no primeiro tempo, entrou livre e tocou no canto esquerdo de Marcelo.

No final, o Santos teve ainda um gol não marcado pelo árbitro em uma cobrança de Cléber Santana –a bola bateu na trave e teria entrado antes de Marcelo fazer a defesa.

No vídeo abaixo o zagueiro Domingos fala da marcação especial feita no argentino Tevez:

Vanderlei Luxemburgo é o novo técnico do Santos. Numa reunião que começou às 22h de sexta-feira e se prolongou até as 5h30 deste sábado, no apartamento do presidente do clube, Marcelo Teixeira, no Boqueirão, em Santos, as partes chegaram ao acordo para a assinatura do contrato que vai até 31 de dezembro. As bases salariais clube não foram revelados e no documento não há cláusula que obriga o clube a liberá-lo em caso de um convite de clube europeu.

“Não gosto de falar de salário de técnico e jogadores. Só posso dizer que Luxemburgo vai ganhar na faixa dos técnicos top, como Luís Felipe Scolari, Emerson Leão e Carlos Alberto Parreira”, disse o diretor de futebol, Francisco Lopes.

Quanto às dificuldades para que se chegasse ao acordo para a assinatura do contrato, o dirigente disse que foram os muitos detalhes discutidos. “Foi um verdadeiro parto. Felizmente tudo foi resolvido e Luxemburgo volta ao clube para ser campeão”

No início da noite de sexta-feira, Teixeira demonstrava ansiedade e até pessimismo quanto ao acerto com Luxemburgo, afirmando que os valores envolvidos no contrato tornavam as negociações difíceis. E acrescentou que o clube já trabalhava com a hipótese de contratar um outro técnico, que, apurou-se mais tarde, era Giba, que sucedeu Carlos Alberto Silva, em 2000, e levou o time à decisão do Campeonato Paulista, contra o São Paulo.

Luxemburgo retorna ao Santos seis anos e meio após a sua primeira passagem pelo clube, em 1997, quando deixou a Vila Belmiro para ir trabalhar no Corinthians. Foi substituído por Leão, a quem substituirá agora. Naquela oportunidade, ele foi contratado após duas brilhantes passagens pelo Palmeiras, e a sua missão era desenvolver um projeto de profissionalização do departamento de futebol do Santos, inclusive com a construção do Centro de Treinamentos Rei Pelé. O clube era dirigido pelo grupo de Pelé, com Samir Abdul-Hack como presidente. Saiu alegando que o clube não estava cumprindo o que havia sido combinado.

O primeiro contato de Luxemburgo com os jogadores seria antes do jogo contra o Juventude, de Caxias do Sul-RS, neste sábado à tarde, nos vestiários da Vila Belmiro. Depois o novo técnico santista assistiria à partida da tribuna de honra do estádio.

A sua estréia será contra a Liga Deportiva Universitária, do Equador, terça-feira, às 18h30, na Vila Belmiro, pela Copa Libertadores da América, quando o Santos terá que vencer por uma diferença de três gols para continuar na competição. Porém seu trabalho começa neste domingo, com treino em dois períodos. Além de dois zagueiros, Luxemburgo quer a contratação do meia Ricardinho (ex-Corinthians e São Paulo) ou Juninho Paulista.


Campeão contra tudo e contra todos

Péssimas arbitragens, diversos gols anulados, STJD, Atlético-PR e até seqüestro não foram páreos ao Santos FC



Muitos gols regulares anulados, perdas de mando no tapetão e o Atlético-PR não obtiveram êxito em derrotar um elenco predestinado a ser campeão.

Em três anos, foram dois títulos de campeão brasileiro e um vice. O Santos, hoje, é quem dá a bola no futebol brasileiro. E a atropelada no Atlético-PR nas últimas rodadas este ano ficará para sempre na memória dos santistas.

A trajetória do Peixe não foi nada tranqüila. Além dos obstáculos naturais, o Santos precisou lidar com as perdas de mando de campo (foram cinco neste Brasileiro) além de duro fator externo: o seqüestro da mãe de Robinho. O Rei do Drible desfalcou o time da 40ª à penúltima rodada devido ao rapto de Marina de Souza, no dia 6 de novembro.

Além disso, ao contrário do Cruzeiro em 2003, que levou o título por antecipação, o Santos repetiu apenas em parte o domínio da Raposa no ano anterior. Embora tenha liderado o Brasileirão em 20 rodadas contra 10 do Atlético-PR, a equipe de Vila Belmiro assumiu a primeira colocação de maneira definitiva no penúltimo jogo com os 3×0 sobre o São Caetano. A primeira vez do Peixe no topo da tabelafoi na 15ª rodada, após bater o flamengo por 2×0. Este triunfo, por sinal, foi o sétimo consecutivo na oportunidade. Se não tivesse perdido para o Fluminense na partida seguinte (1×0), o Santos igualaria a maior seqüência vitoriosa do Clube na história do Brasileiro, obtida em 1990.

O duelo travado com o Furacão também foi um capítulo à parte. No segundo jogo, quando empataram por 1×1 na Vila Belmiro, as duas equipes praticamente começaram um briga que se estenderia até o final. Na época, o Santos liderava logo à frente do time paranaense graças ao número de vitórias. A partir de então, apenas os dois times se alternaram na primeira colocação até o final.

Outro capítulo da guerra entre paulistas e paranaenses se deu no dia 15/11/2004 faltando 5 rodadas para o fim do campeonato, quando o Atlético liderava o campeonato com 78 ponto, dois a mais que o Santos. O técnico atleticano Levir Culpi disse que a equipe dele estava no “piloto automático” rumo ao título Brasileiro. A declaração não repercutiu bem na Vila Belmiro, e alguns jogadores irritados responderam a declaração.

“Ouvi dizer que o Levir falou isso. Mas, se ninguém fizer nada, esse avião pode cair”, ironizou o lateral-esquerdo Léo. “Se continuarmos vencendo, poderemos ser campeões, porque acho que o Atlético vai bobear. Acho que podemos mandar um míssil nesse avião”, completou Léo, que tem o apoio de outros companheiros.
“Eu acho que ainda não tem nada definido. Estamos só a dois pontos do Atlético-PR. Se eles acham que já ganharam, podem quebrar a cara”, emendou o atacante Deivid.

Em pé: Mauro, Preto Casagrande, Deivid, Ávalos, André Luis, Leonardo, Flávio, Tápia, Zé Elias e Fabinho. Agachados: Paulo César, Ricardinho, Elano, Léo, Robinho, William, Marcinho e Basílio.






































O Santos conquistou o seu segundo título do Campeonato Brasileiro em três anos na tórrida São José do Rio preto, mas a conquista foi de desenhada uma semana antes. A cena final da vitória de 3×0 sobre o São Caetano, que fez o time ultrapassar o Atlético na penúltima rodada, tinah muito a dizer. O goleiro chileno Tápia (titular da seleção de seu país), o zagueiro Antônio Carlos (ex-seleção e futebol europeu) e o volante Zé Elias (idem), todos reservas absolutos do time, embora consagrados, pulavam feito garotos no centro do campo, comemorando o triunfo junto aos colegas, muitos menos famosos, que haviam roubado suas posições.

Talvez esta tenha sido a mais exata descrição da trajetória do Santos no campeonato. Um time que uniu forças e superou vaidades. O Peixe, que desmanchou o time no início da competição (com as vendas de Diego, Renato, Alex, Paulo Almeida e Claiton, entre outros) chegou a ocupar a 20ª colocação. Depois de uma grande arrancada, chegou à liderança, mas foi ultrapassado pelo Atlético-PR.
Luxemburgo diz ter topado com ao menos dois obstáculos inesperados. O primeiro foi a diretoria santista “ter se curvado à pressão da TV Globo” e desistido de escalar um time reserva na Copa Sul-Americana. “Se não tivéssemos cedido ao interesse da televisão, o time estaria voando nas sete rodadas finais, com condições de ser campeão com antecedência.” Segundo Luxa, apenas após a eliminação na Sul-Americana frete o Cienciano que a equipe pôde voltar o foco para o Brasileiro e encostar novamente no Atlético-PR.

O segundo obstáculo segundo Luxa foi o seqüestro da mãe do Robinho, o craque do time. “Aquilo arrebentou com todo mundo”, afirmou o treinador, que contornou com habilidade o episódio, isolando o atacante do grupo.

O fato é que, com tudo jogando contra, o Santos não perdeu o foco: o título brasileiro. O jogo chave foi contra o Goiás, a segunda partida após o seqüestro. O craque estava escalado, mas não jogou. O time perdia por 1×0 mas, faltando 10 minutos para o fim do jogo, conseguiu uma virada espetacular. O resultado manteve o Santos na briga pelo título e provou que o time (desfalcado ou não, esfacelado ou não, abalado ou não) podia, de fato, tudo.

Perdas de mando de campo

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Elenco:
Clique aqui e conheça o elenco que disputou o Brasileirão de 2004.

Campanha:
Clique na ficha técnica para ver o resumo da partida e o vídeo, se disponível.

#
Data
Ficha Técnica
Local
Vídeo
1º Turno
1 21/04/2004 Paraná 3 x 2 Santos
Pinheirão
2 25/04/2004 Santos 2 x 0 Botafogo
Vila Belmiro
3 28/04/2004 Figueirense 2 x 1 Santos
Orlando Scarpelli
4 02/05/2004 Santos 1 x 3 Cruzeiro
Vila Belmiro
5 08/05/2004 Santos 2 x 1 Juventude
Vila Belmiro
6 15/05/2004 Atlético-PR 1 x 0 Santos
Arena da Baixada
N/D
7 23/05/2004 Santos 0 x 4 Palmeiras
Vila Belmiro
N/D
8 30/05/2004 Atlético-MG 3 x 3 Santos
Mineirão
9 13/06/2004 Vitória 1 x 2 Santos
Barradão
10 20/06/2004 Santos 3 x 0 Internacional
Vila Belmiro
11 26/06/2004 Santos 2 x 1 Guarani
Pacaembu
12 04/07/2004 Corinthians 2 x 3 Santos
Pacaembu
13 07/07/2004 Ponte Preta 0 x 4 Santos
Moisés Lucarelli
14 10/07/2004 Santos 2 x 1 São Paulo
Vila Belmiro
15 13/07/2004 Santos 2 x 0 Flamengo
Vila Belmiro
16 17/07/2004 Fluminense 1 x 0 Santos
Maracanã
N/D
17 20/07/2004 Santos 5 x 2 Criciúma
Vila Belmiro
18 24/07/2004 Goiás 3 x 3 Santos
Serra Dourada
19 29/07/2004 Santos 4 x 2 Coritiba
Vila Belmiro
20 01/08/2004 Santos 6 x 0 Paysandu Vila Belmiro
21 04/08/2004 Grêmio 3 x 1 Santos
Olímpico
22 07/08/2004 Santos 0 x 1 São Caetano
Vila Belmiro
23 11/08/2004 Vasco 2 x 3 Santos
São Januário
2º Turno
24 15/08/2004 Santos 5 x 1 Paraná
Vila Belmiro
25 18/08/2004 Botafogo 2 x 0 Santos
Caio Martins
26 22/08/2004 Santos 4 x 1 Figueirense
Wilson de Barros
27 29/08/2004 Cruzeiro 4 x 4 Santos
Mineirão
28 01/09/2004 Juventude 1 x 2 Santos
Alfredo Jaconi
29 08/09/2004 Santos 1 x 1 Atlético-PR
Vila Belmiro
30 12/09/2004 Palmeiras 1 x 2 Santos
Pacaembu
31 18/09/2004 Santos 2 x 0 Atlético-MG
Vila Belmiro
32 26/09/2004 Santos 4 x 1 Vitória
Vila belmiro
33 29/09/2004 Internacional 2 x 1 Santos
Beira-Rio
34 02/10/2004 Guarani 0 x 1 Santos
Brinco de Ouro
35 06/10/2004 Santos 1 x 1 Corinthians
Vila Belmiro
36 16/10/2004 Santos 4 x 0 Ponte Preta
Vila Belmiro
37 24/10/2004 São Paulo 1 x 0 Santos
Morumbi
38 27/10/2004 Flamengo 1 x 1 Santos
Maracanã
39 30/10/2004 Santos 5 x 0 Fluminense
Teixeirão
40 07/11/2004 Criciúma 1 x 1 Santos
Heriberto Hülse
41 14/11/2004 Santos 2 x 1 Goiás
Prudentão
42 21/11/2004 Coritiba 0 x 1 Santos
Couto Pereira
N/D
43 28/11/2004 Paysandu 1 x 1 Santos
Mangueirão
N/D
44 05/12/2004 Santos 5 x 1 Grêmio
Teixeirão
45 12/12/2004 São Caetano 0 x 3 Santos
Anacleto Campanella
46 19/12/2004 Santos 2 x 1 Vasco
Teixeirão


Classificação Geral
 
PG
J
V
E
D
GP
GC
SG
%
1 Santos
89
46
27
8
11
103
58
45
64.5
2 Atlético-PR
86
46
25
11
10
93
56
37
62.3
3 São Paulo
82
46
24
10
12
78
43
35
59.4
4 Palmeiras
79
46
22
13
11
72
47
25
57.2
5 Corinthians
74
46
20
14
12
54
54
0
53.6
6 Goiás
72
46
21
9
16
81
68
13
52.2
7 Juventude
70
46
20
10
16
60
66
-6
50.7
8 Internacional
67
46
20
7
19
66
59
7
48.6
9 Fluminense
67
46
18
13
15
65
68
-3
48.6
10 Ponte Preta
64
46
19
7
20
43
73
-30
46.4
11 Figueirense
63
46
17
12
17
57
59
-2
45.7
12 Coritiba
62
46
15
17
14
53
48
5
45
13 Cruzeiro
56
46
16
8
22
69
81
-12
40.6
14 Paysandu
56
46
14
14
18
56
76
-20
40.6
15 Paraná
54
46
15
9
22
52
73
-21
39.1
16 Vasco
54
46
14
12
20
64
68
-4
39.1
17 Flamengo
54
46
13
15
18
51
53
-2
39.1
18 São Caetano*
53
46
23
8
15
65
49
16
38.4
19 Atlético-MG
53
46
12
17
17
60
66
-6
38.4
20 Botafogo
51
46
11
18
17
62
71
-9
37
21 Criciúma
50
46
13
11
22
61
78
-17
36.2
22 Guarani
49
46
11
16
19
43
55
-12
35.5
23 Vitória
48
46
13
9
24
68
87
-19
34.8
24 Grêmio
39
46
9
12
25
60
80
-20
28.3


  Zona de classificação para a Libertadores
  Zona de classificação para a seletiva da Libertadores
  Zona de rebaixamento

* O São Caetano foi punido pelo STJD com a perda de 24 pontos por causa da morte do zagueiro Serginho.



Artilharia:
34 gols – Washington (Atlético-PR)
22 gols – Alex Dias (Goiás)
21 gols – Deivid e Robinho (Santos)
19 gols – Obina (Vitória)

Artilheiros do Santos FC:
21 gols – Deivid
21 gols – Robinho
16 gols – Elano
15 gols – Basílio
11 gols – Ricardinho
04 gols – Diego
03 gols – Preto Casagrande
02 gols – Léo e William
01 gol – Paulo César, André Luis, Ávalos, Fabinho, Claiton e Domingos

Obs: João Paulo (Goiás) e Laerte (Fluminense) marcaram contra para o Santos.

Galeria de fotos:
Para mais fotos vire as páginas que estão abaixo da galeria.





Créditos:
Vídeos: Comunidade Santos FC – Acervo Digital
Fichas técnicas: Jornal Folha de São Paulo e internet.
Fotos: Retiradas da internet e acervo pessoal do Rodrigo Ferreira.

O técnico Vanderlei Luxemburgo anunciou na noite de ontem que deixou o Santos. Mas, até as 23h30, dirigentes do clube davam informações divergentes sobre a saída.

O presidente Samir Abdul-Hak disse que não havia sido oficialmente informado da decisão do técnico. “Soube extra-oficialmente, pela imprensa, mas espero uma confirmação.”

Já o gerente de futebol Marco Aurélio Cunha confirmou a saída do treinador. Segundo ele, que disse que vai seguir no Santos, a comissão técnica deve sair também.

“Agora é a hora ideal de romper o contrato porque é final de temporada”, disse Luxemburgo em entrevista a uma rádio de Santos ontem pela manhã.

Segundo ele, o problema não foi dinheiro. “Poderia ter saído no início do ano, quando tive propostas para ganhar três vezes mais”, afirmou na mesma entrevista. Ele está no clube desde o final do ano passado.

Ainda não há definição de qual será o próximo emprego do treinador, embora ele esteja em negociação com o Corinthians e diga ter também recebido propostas do La Coruña, da Espanha.

Luxemburgo está com as atividades suspensas por 50 dias, por causa de agressão verbal contra um árbitro na fase final do Brasileiro.

O presidente da Unicór (a patrocinadora da equipe), Renato Duprat, teria mantido contato com Luxemburgo antes do anúncio.

O treinador disse que não iria fazer comentários sobre seu futuro e que só voltaria a dar declarações amanhã, quando vai estar em São Paulo para a reinauguração do bar do qual é sócio.