Navegando Posts marcados como Vila Belmiro

Santos 1 x 0 Delfín-EQU

Data: 10/03/2020, terça-feira, 19h15.
Competição: Copa Libertadores – Grupo G – 2ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público e renda: portões fechados
Árbitro: Kevin Ortega (PER)
Auxiliares: Michael Orue e Jesus Sánchez (ambos do PER).
Cartões amarelos: Luan Peres, Jobson, Lucas Veríssimo, Felipe Jonatan e Jesualdo Ferreira (S); Cangá, Calderón e Alaníz (D).
Gol: Lucas Veríssimo (29-1).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez (Evandro); Kaio Jorge (Yuri Alberto), Soteldo e Eduardo Sasha.
Técnico: Jesualdo Ferreira

DELFÍN SC (EQU)
Baroja; Jonathan González, Luis Canga, Agustín Ale, Nazareno; Noboa, Calderón (Benítez), Martin Alaníz, Rojas (Cifuentes), Corozo (Valencia) e Garcés.
Técnico: Carlos Ischia



Santos joga para o gasto e vence Delfín com gol de Veríssimo na Vila vazia

Nesta terça-feira, o Santos derrotou o Delfín-EQU por 1 a 0 e manteve o 100% de aproveitamento na Libertadores após duas rodadas disputadas. Respeitando a punição da Conmebol, o Peixe atuou sem o apoio de sua torcida e não precisou de uma atuação de destaque para bater os equatorianos. O único gol da partida foi marcado por Lucas Veríssimo.

O Alvinegro Praiano não contou com sua torcida, já que foi punido pela Conmebol com portões fechados por conta da confusão no Pacaembu em 2018, na eliminação da competição continental para o Independiente-ARG.

Com o resultado, o Santos se isolou na liderança do grupo G, com seis pontos somados. Na próxima rodada, a equipe recebe o Olímpia, na Vila Belmiro, na terça-feira que vem, às 21h30. Enquanto isso, o Delfín permaneceu com apenas um ponto, na terceira colocação. O próximo compromisso dos equatorianos será contra o Defensa y Justicia, na Argentina.

O jogo

O Santos iniciou a partida explorando principalmente o lado esquerdo, com Soteldo. A primeira chance perigosa do Peixe saiu dos pés do venezuelano, que levantou na cabeça de Kaio Jorge e o atacante testou pouco acima do travessão.

Aos 29 minutos da primeira etapa, o Santos abriu o placar com Lucas Veríssimo. Sánchez bateu falta pela esquerda e Veríssimo aproveitou a saída atabalhoada do goleiro do Delfín para cabecear para as redes.

Após balançar as redes, o Peixe teve duas boas oportunidades para ampliar. Primeiro, Sánchez puxou contra-ataque e encontrou Pituca, que finalizou de fora da área e exigiu defesa de Baroja. Na sequência, depois de jogada pela esquerda, Sánchez recebeu de frente para o gol e finalizou, parando novamente no goleiro. No entanto, o Delfín também assustou: após rebote de escanteio, Alaníz soltou a bomba e a bola tirou tinta da trave.

O Santos voltou em ritmo lento no segundo tempo e tomou um susto logo no início. Nazareno cruzou na entrada da área e Alaníz chegou batendo de primeira à direita da meta defendida por Everson. O meia voltou a assustar em novo chute de frente para o gol, dessa vez parando no goleiro do Peixe.

A primeira chance de gol do Santos na segunda etapa veio nos pés de Yuri Alberto, que entrou no lugar de Kaio Jorge no intervalo. Soteldo desceu pela esquerda e encontrou o atacante dentro da área, que finalizou cruzado de esquerda e a bola passou próxima da trave. Na sequência, Sánchez tentou cruzamento pela esquerda, ninguém tocou na bola e Baroja teve que cair para evitar o gol do Alvinegro.

O Delfín ensaio uma pressão no final da partida, porém não conseguiu ser efetivo e o Peixe saiu de campo com os três pontos, apesar de uma atuação apagada.

Bastidores – Santos TV:

Veríssimo minimiza atuação sem brilho do Santos e destaca 100% de aproveitamento

O Santos não esteve em uma de suas noites mais inspiradas, porém conseguiu vencer o Delfín por 1 a 0, na Vila Belmiro, com um gol marcado por Lucas Veríssimo. O zagueiro marcou de cabeça ainda no primeiro tempo, após cruzamento de Sánchez.

Na opinião do defensor, o mais importante neste momento é a pontuação do Peixe. Veríssimo reconhece que o Alvinegro Praiano “pode mais”, porém destaca o 100% de aproveitamento da equipe na Libertadores.

“Buscamos a vitória do início ao fim do jogo, infelizmente não fizemos uma grande exibição, mas o que importa na Libertadores é vencer. Conseguimos somar seis pontos em dois jogos, acredito que seja importante para a sequência do campeonato. A gente sabe que a equipe pode mais, vamos trabalhar para melhorar”, afirmou o zagueiro.

“Não em termos de concentração, mas perde a graça. O torcedor é muito importante, principalmente dentro de casa, mas infelizmente aconteceu de não poder vir. A gente entrou concentrado, mas infelizmente não fizemos um grande jogo”, completou.

Com o resultado, o Santos se isolou na liderança do grupo G, com seis pontos somados. Na próxima rodada, a equipe recebe o Olímpia, na Vila Belmiro, na terça-feira que vem, às 21h30. Antes disso, o Peixe visita o São Paulo, pelo Campeonato Paulista, no sábado, às 19h.

Lucas Veríssimo cita propostas e cobra “valorização” no Santos

Lucas Veríssimo foi o responsável por garantir a vitória do Santos sobre o Delfín, nesta terça-feira, na Vila Belmiro. O zagueiro marcou o único gol do Peixe na partida, completando de cabeça cruzamento de Sánchez em batida de falta.

Após o jogo, o defensor foi perguntado sobre um suposto interesse do Atlético-MG em sua contratação, já que Jorge Sampaoli assumiu o comando dos mineiros. Veríssimo não negou a sondagem do Galo, citou propostas já recebidas desde que passou a se destacar pelo Peixe e aproveitou para reivindicar uma valorização no clube.

“Trabalhei com o professor (Jorge Sampaoli), trabalhei bem. Ouvi esses rumores, a única coisa que peço é uma valorização, já tive propostas aqui no clube e ainda não fui valorizado. Digo isso diretamente para o Peres, mas aqui quero falar sobre o jogo”, afirmou o zagueiro ao Premiere.

Desde que se firmou na zaga do Santos, Veríssimo recebeu propostas do futebol europeu em 2017 e 2018. No entanto, o clube esperava receber ofertas vantajosas pelo jogador no final do ano passado, o que não aconteceu. Dessa forma, o defensor permaneceu no plantel do Peixe.

Luan Peres critica exposição desnecessária do Santos ao fim da partida

Se por um lado a vitória sobre o Delfín nesta terça-feira foi importante para o futuro do Santos na Libertadores, por outro o Peixe apresentou um futebol sem brilho na Vila Belmiro. Além de Jesualdo Ferreira, Luan Peres também reconheceu que o Alvinegro Praiano não mostrou o brilho dos últimos jogos.

O zagueiro concedeu entrevista coletiva ao lado do treinador e destacou a exposição desnecessária do Santos ao fim da partida desta terça. Mesmo com a vantagem de 1 a 0 no placar, o Peixe cedeu espaços para contra-ataques do Delfín na reta final do jogo.

“É um ponto que tocamos no jogo, estávamos cobrando o meio-campo. Não podemos tomar contra-ataque aos 40 minutos do segundo tempo em Libertadores. Estávamos mais preocupados em fazer o gol do que defender faltando pouco tempo. Faltou um pouco de equilíbrio, experiência, não precisava se expor. E faltando cinco minutos seria difícil”, analisou o zagueiro.

“Cansaço bateu também, claro, mas terminamos inteiros para a próxima partida. É o detalhe de ter mais experiência, são lances capitais. Professor colocou o Evandro para dar mais substância, ganhamos mais o meio-campo. Tentamos segurar a bola com Arthur e Yuri, mas era difícil, defesa forte, e no próximo jogo vamos entrar mais ligados”, completou.

Jesualdo destaca falta de controle e reconhece jogo abaixo da média do Santos

O Santos chegou a sua terceira vitória consecutiva ao derrotar o Delfín por 1 a 0, nesta terça-feira, na Vila Belmiro. Apesar do bom momento vivido pelo Peixe, a equipe não teve uma atuação de destaque e jogou apenas o suficiente para bater os equatorianos.

Na entrevista após a partida, Jesualdo Ferreira reconheceu que o Santos não esteve em uma noite inspirada e vitou a falta de controle como o principal problema na apresentação do Peixe na Vila Belmiro.

“Equipe nunca teve o jogo controlado, não controlou a bola como fizemos em outros jogos. Então passamos por problemas. Houve falta de controle e isso nós fazemos bem. Mas é preciso destacar a importância da vitória e a liderança do grupo”, pontuou o treinador.

Jesualdo destacou o cansaço acumulado das últimas partidas e a ausência de torcedores na Vila Belmiro como fatores que dificultaram a vida do Santos contra o Delfín.

“São três jogos a ganhar. Copo cheio ou vazio… São três vitórias. Não foi um jogo fácil, não atingimos o nível de outros jogos, com nossa qualidade. Jogadores sentiram uma pressão muito grande, com responsabilidade do jogo. Se sentiram mais à vontade na Argentina. Mas uma vitória, mais uma e num espaço curto de três dias, há o cansaço, claro, e outra parte que tem a ver com a pressão. Tenho experiência de jogar sem público e não é bom. É um campo neutro, sem pressão”, comentou o técnico.

Apesar do descontentamento com a atuação de sua equipe, Jesualdo ressaltou a boa pontuação do Santos nas duas competições que disputa nesta temporada. O treinador ainda lembrou que tem sofrido com desfalques nas últimas partidas.

“É nosso 11º jogo, Santos lidera o Campeonato Paulista e a Libertadores. Isso que é importante valorizar. Outra coisa: perdemos opções para mexer, valorizar os jogadores e ganhar até por mais. Tivemos que nos sujeitar ao jogo, e isso não é bom, mas fica a vitória. Tempo curto, difícil recuperar e estamos próximos de situação muito boa na Libertadores e Paulista. Tenho que dar os parabéns aos jogadores pela forma que trabalharam, lutaram, sofreram, nesse e em outros jogos. Sabem o quanto admiro e quanto espero que essa equipe pode chegar e fazer”, finalizou.


Santos 3 x 1 Mirassol

Data: 07/03/2020, sábado, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 9ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.762 pagantes
Renda: R$ 275.792,50
Árbitro: Ilbert Estevam da Silva
Auxiliares: Fabrini Bevilaqua Costa e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Madson, Diego Pituca, Soteldo e Everson (S); Matheus Rocha e Luiz Otávio (M).
Gols: Diego Pituca (03-1), Yuri Alberto (18-1), Sasha (22-1) e Rafael Silva (31-1).

SANTOS
Everson; Madson (Pará), Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Jobson, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Yuri Alberto (Kaio Jorge), Soteldo e Eduardo Sasha (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

MIRASSOL
Kewin; Daniel Borges, Luiz Otávio, Reniê e Ernandes; Luís Oyama, Neto Moura (André Castro) e Camilo; Matheus Rocha (Maranhão), Chico (Dellatorre) Rafael Silva.
Técnico: Ricardo Catalá



Santos vence Mirassol na Vila Belmiro e embala no Campeonato Paulista

O Santos embalou pela primeira vez na temporada. O Alvinegro recebeu o Mirassol neste sábado e venceu por 3 a 1, em duelo válido pela 9ª rodada do Campeonato Paulista. Após vitória de meio de semana pela estreia na Libertadores, o triunfo pelo Estadual consolida a melhor fase da equipe sob comando de Jesualdo Ferreira.

Com facilidade para criar espaços e chegar ao ataque, o Peixe amassou a equipe do interior no primeiro tempo, abrindo 3 a 0 de vantagem em 22 minutos. Os visitantes diminuíram em lance de bola parada ainda antes do intervalo.

No segundo tempo, o time da casa voltou pior; reduziu a velocidade, criou menos, mas fez o suficiente para manter o resultado e sair com a vitória.

Com a vitória, o Santos abriu vantagem na liderança do grupo A, com 15 pontos, contra o nove do 2º colocado Água Santa, que ainda joga na rodada. Em caso de tropeço da 3ª colocada Ponte Preta, o Peixe só precisará de uma vitória nos últimos três jogos para assegurar uma vaga para as quartas de final.

Já o Mirassol se manteve na vice-liderança do grupo C com 13 pontos, dois a menos que o São Paulo e quatro acima do 3º colocado Inter de Limeira.

O jogo

Embalado com a vitória de meio de semana sobre o Defensa y Justicia na Argentina, o Santos não demorou para achar o caminho das redes.

Na primeira chance do jogo, logo aos três minutos, Felipe Jonatan recuperou bola do adversário, deixou com o Soteldo e correu para receber em profundidade pelo corredor esquerdo. O lateral então tocou para Pituca, que cortou o marcador na entrada da área e bateu com perfeição no ângulo esquerdo. Golaço do volante.

Os mandantes seguiram pressionando e tiveram nova chance aos cinco minutos. Soteldo cruzou da esquerda, a bola acabou desviando no zagueiro do Mirassol e atrapalhou Yuri Alberto, que cabeceou para fora. O atacante, porém, teria nova chance aos 18. Sánchez abriu para Pituca na esquerda. O volante cruzou, a defesa do Mirassol cortou mal e a bola se ofereceu para Yuri Alberto. O atacante dominou e bateu firme no contrapé para ampliar.

O terceiro saiu ainda antes da primeira meia hora de jogo. Aos 22 minutos, Yuri Alberto encontrou Sasha na meia-lua. O atacante fez o domínio já girando o corpo e bateu firme, entre dois marcadores, para acertar o canto esquerdo da meta. 3 a 0 e monólogo santista.

Os visitantes descontaram aproveitando o ponto fraco da equipe de Jesualdo neste sábado: a bola parada. Aos 31, Camilo cobrou falta pela esquerda e Rafael Silva subiu sozinho entre quatro santistas. O atacante testou para baixo no canto direito de Everson, que até chegou na bola, mas não conseguiu fazer a defesa.

Na segunda etapa, menos emoção para os dois lados. Na primeira meia hora, o Mirassol foi para cima em busca do empate e foi o responsável pelas melhores chances, embora nenhuma muito clara. Aos 13, Camilo dominou na entrada da área e bateu com perigo, para boa defesa de Everson.

Sem conseguir reduzir o placar, os visitantes viram o time da casa retomar o controle do jogo nos minutos finais, aproveitando as entradas de Arthur Gomes e Kaio Jorge. Aos 36, Arthur Gomes recebeu na área, girou e cruzou para Sánchez empurrar para as redes. O uruguaio, porém, estava impedido e o lance foi anulado.

Ainda antes do fim, o goleiro Everson tentou aproveitar a noite artilheira da equipe para guardar o seu. O goleiro cobrou falta da entrada da área aos 43 minutos, mas o chute ficou na barreira. No último lance, Kaio Jorge recebeu com muito espaço, avançou para dentro da área, mas ao invés de rolar para Soteldo livre, tentou mais um corte e a batida para o gol. A bola subiu e passou por cima da meta.

Bastidores – Santos TV:

Felipe Jonatan comenta evolução do Santos e desentediamento de Pituca e Soteldo

O Santos venceu o Mirassol neste sábado pelo Campeonato Paulista. Em boa atuação, o time de Jesualdo Ferreira mostrou evolução em relação às primeiras rodadas e anotou três gols pela primeira vez no ano.

“A gente está feliz pelos três pontos, que era o mais importante no momento. A gente vem de uma sequência boa desde o clássico contra o Palmeiras, a gente vem evoluindo, crescendo com o trabalho do professor Jesualdo”, contou Felipe Jonatan aos canais Premiere na saída de campo.

O lateral ainda comentou sopre o desentendimento entre Soteldo e Pituca, na saída do time para o vestiário ao fim do primeiro tempo.

“Em questão do Soteldo e do Pituca, é cobrança normal de time. Time grande tem que ter cobrança. Mas está tudo resolvido, dentro do vestiário mesmo apaziguamos tudo e fizemos uma ótima atuação. Sabemos que tem que mudar muito ainda, mas aos poucos a gente vai evoluindo”, concluiu.

Jesualdo elogia poder ofensivo de Madson em estreia no Santos

Um dos poucos reforços para a temporada de 2020, o lateral direito Madson estreou pelo Santos neste sábado, pela 9ª rodada do Campeonato Paulista, na vitória contra o Mirassol, na Vila Belmiro. Apesar de ter começado a partida como titular, o jogador de 28 anos ainda se adapta ao trabalho do técnico Jesualdo Ferreira, que relatou estar conhecendo o atleta.

“Vocês conhecem o Madson melhor que eu. Conheço pouco, com todo respeito. Em dois dias de trabalho ele sentiu, e decidi que deveria fazer recuperação adequada. É um lateral diferente do Pará, que tem mais experiência. Ele entrou e nada ocorreu, é mais jovem, tem a profundidade que às vezes é necessária. Está com ele, no corpo e na cabeça, a resposta necessária da lesão que teve”, afirmou.

Mesmo assim, o treinador português comentou sobre as características do lateral-direito e elogiou o desempenho do elenco santista, assim como o poder ofensivo de Madson.

“(Ele é um) lateral para frente, que vai e vem, para trás é mais difícil. Na frente vai muito bem. É preciso tirar vantagens disso. Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo. Temos tido respostas dentro do elenco, é uma das coisas que mais têm me dado prazer. Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. Vamos chegar lá”, concluiu.

Madson chegou ao Santos no início de 2020, mas ainda não havia atuado, já que não possuía as melhores condições físicas para entrar em campo. O lateral-direito chegou ao Peixe após uma troca com o Grêmio por Victo Ferraz, mas foi jogador do Athletico-PR em 2019.

Jesualdo exalta Pituca no Santos: “Qualidade física e força mental”

O técnico Jesualdo Ferreira deu sequência para Diego Pituca no meio-campo do Santos mesmo em meio a atuações irregulares. E deu certo.

Pituca demorou a se adaptar à função mais ofensiva, mais próximo do gol adversário e às vezes até como ponta. Jesualdo explicou a mudança tática depois da vitória sobre o Mirassol, com o primeiro gol marcado pelo meio-campista, em bonito chute de fora da área.

“Pituca é curioso. Como é possível jogar com três volantes falaram…. E eu não entendi. O meio era esse ano passado. Santos jogava no ano passado com três volantes e era ofensivo? Querem ser um pouco treinador e me explicar isso? Sempre pensei no Pituca como interior, médio interior de características ofensivas. Box to box em 90 minutos, qualidade física e força mental. Por que volante? Tinha que estar mais posicional (no ano passado). Mas gosto dele assim, até na direita como na parte final do jogo (contra o Mirassol). É um jogador que gosto muito, tem vantagem de fazer ala esquerda no 4-4-2, lateral como fez se tiver problema… Quando é para jogar só um (volante), também joga”, explicou Jesualdo.

Pituca é meia de origem, mas se acostumou a atuar como primeiro ou segundo volante no Peixe nos últimos anos. Jesualdo Ferreira enxerga o esquema tático 4-3-3, seu preferido, com um camisa 5, um 8 e um 10, à moda antiga, com um meia pela esquerda e outro pela direita. Nesse desenho, Pituca foi à frente.

Jesualdo vê Alison e Jobson como o 5, Diego Pituca e Jobson como o 8 e Sánchez e Evandro como o 10. Diante da instabilidade nas últimas semanas e a ausência do capitão, o português fez algumas trocas, como Pituca ao lado de Jobson e Evandro de 5.

O treinador tem conversado com Diego Pituca para que resgate as características de armador do início da carreira e use sua força física pelo lado do campo. O jogador, antes desanimado com as críticas do torcedor, tem se sentido mais à vontade e espera por desempenho ainda melhor na sequência da temporada.

Jesualdo pede reforço, mas relata prazer em “achar respostas” no elenco do Santos

O técnico Jesualdo Ferreira reforçou o pedido pela contratação de um lateral-esquerdo no Santos. Ao mesmo tempo, porém, falou em “prazer” por encontrar “respostas” dentro do próprio clube.

“Temos dois laterais-direitos e falta o esquerdo, vamos chegar se Deus quiser. Temos tido respostas dentro do elenco. É uma das coisas que mais têm me dado prazer. Muitos jovens, como o (Anderson) Ceará hoje (no banco). Encontrar respostas para ter um elenco competitivo e bom. E vamos chegar lá”, disse o técnico, em entrevista coletiva depois da vitória sobre o Mirassol.

Jesualdo tem avaliado diversos jogadores da base e do time B de perto. Anderson Ceará e Ivonei, meio-campistas, foram inscritos no Campeonato Paulista e devem ganhar oportunidade em breve.

Yuri Alberto e Kaio Jorge, desprestigiados em 2019, têm atuado com frequência, assim como Arthur Gomes, “reforço” depois do empréstimo à Chapecoense.

A diretoria do Santos busca uma “sombra” para Felipe Jonatan, mas a falta de dinheiro e a janela internacional de transferências fechada na maior parte dos países da Europa dificulta a contratação.

Jesualdo avalia trabalho após dois meses no Santos: “Nunca tive dúvida”

Jesualdo Ferreira avaliou o trabalho da comissão técnica após dois meses no Santos – o português foi apresentado oficialmente em 8 de janeiro e tem cinco vitórias, três empates e duas derrotas.

O treinador faz avaliação positiva e diz nunca ter duvidado de estar no caminho certo, mesmo em meio à pressão por melhor desempenho.

“Temos 50% de vitórias, gostaríamos de ter mais. Não há forma de conseguir sem tempo e trabalho. Fui claro no início quando falei sobre isso. Nunca tive dúvida sobre nosso trabalho, a cada dia sabia que esse é o caminho. Críticas aqui são normais, talvez aqui mais cedo do que estou acostumado. Equipe acreditou no que está a fazer. Quando olham para as imagens e veem o nível que não esperavam, percebem evolução, fica difícil olhar para trás. São passos para frente. É como defender, quando se perde a bola tem que pensar em passo à frente, não atrás, sem medo. São passos à frente para dar”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

“São 10 jogos, tempo de trabalho é pouco e jogos foram muitos. É preciso analisar o treino, melhorar, e espaço é curto. Jogador dificilmente consegue estar no 100%, limite sem recuperar, mas é a tônica do futebol brasileiro. Jogadores sabem o que existe e o que é futuro. Estou habituado, joguei a cada três dias com frequência. É preciso encontrar os equilíbrios da equipe para que o rendimento seja mais ou menos alto independentemente dos jogadores utilizados. É a nossa tarefa agora”, emendou.

Jesualdo cita Ceni ao falar de Everson como cobrador do Santos: “Brasil tem grande exemplo”

Everson chegou ao Santos no início de 2019 com status de bom goleiro e também com a fama de bom cobrador de faltas no Ceará. E a primeira tentativa só ocorreu no último sábado, contra o Mirassol, depois de um ano.

A falta parou na barreira, mas o goleiro “quebrou o gelo” e deve ter novas oportunidades. O técnico apoia e cita Rogério Ceni como argumento.

“Ele bate bem… Foi uma pena a falta não ser do outro lado (esquerdo). Se fosse na esquerda poderia ter entrado. Brasil tem grande exemplo como Ceni, ele bate bem e tem que continuar treinando. Alguns batem bem, como Soteldo e Sánchez também, mas está tudo no princípio. Não é fácil tirarmos conclusões”, disse Jesualdo, em entrevista coletiva.

Aos 29 anos, Everson tem três gols na carreira: dois de pênalti e um de falta. O de falta foi marcado contra o Corinthians, em 2018, pelo Vozão.


Santos 2 x 0 Botafogo-SP

Data: 10/02/2020, segunda-feira, 20h00.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 5ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.504 pagantes
Renda: R$ 115.525,00
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza
Auxiliares: Fabrício Porfírio de Moura e Leonardo Tadeu Pedro.
Cartões amarelos: Luiz Felipe (S); Didi (B).
Gols: Carlos Sánchez (20-1) e Eduardo Sasha (10-2).

SANTOS
Vladimir; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca (Jobson) e Carlos Sánchez; Raniel (Kaio Jorge), Eduardo Sasha (Renyer) e Soteldo.
Técnico: Jesualdo Ferreira

BOTAFOGO-SP
Darley; Sa, Reginaldo, Jordan e Gilson; Didi, Edson Júnior (Ferreira), Jonata Machado (Calabres) e Francis; Guilherme Romão (Ronald) e Diego Cardoso.
Técnico: Wagner Lopes



Santos joga para o gasto e vence fácil sob regência de Soteldo

O Santos nem precisou de tanta intensidade para vencer, sem maiores problemas, o Botafogo-SP por 2 a 0, na Vila Belmiro, pelo Campeonato Paulista.

O domínio foi completo dos santistas, que tiveram Carlos Sánchez e Soteldo como principais destaques. O camisa 10 venezuelano, aliás, voltou muito bem do Pré-Olímpico.

O Peixe não deu show e poderia ter acelerado mais a partida. Ainda assim, amenizou a derrota para o Corinthians, sofrida como visitante. Sob chuva e com o apoio de apenas 3.504 torcedores, os comandados do português Jesualdo Ferreira fizeram bem o “arroz com feijão”.

No primeiro tempo, Soteldo deu uma bela cavada para Sasha, que abriu na esquerda e cruzou para Sánchez pegar de primeira, bonito, e abrir o placar.

Na etapa final, Soteldo fez jogada individual pela esquerda e cruzou para Sasha completar para as redes, de peixinho.

A partir disso, o Santos passou a se poupar no campo, Jesualdo promoveu suas substituições e o Botafogo se viu incapaz de incomodar. O time do interior foi embora sem chutar sequer uma bola ao gol.

O resultado levou o Santos aos 10 pontos em cinco rodadas, na liderança do Grupo A, bem diferente do seu adversário desta noite, que continua com apenas 1 pontinho somado, na lanterna do Grupo B.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo explica situação de Soteldo no Santos e admite orientação nova

Soteldo foi o grande destaque do Santos na vitória sobre o Botafogo-SP, nesta segunda-feira. O técnico Jesulado Ferreira não poupou elogios ao seu camisa 10 e aproveitou para explicar que a condição física do venezuelano ainda não é a ideia.

“Soteldo veio de um processo diferente do nosso, pouco trabalho aqui, cerca de uma semana apenas. Foi para o torneio (Pré-Olímpico) em que são muitos jogos com pouco espaço de recuperação. Ele não chegou em boas condições, chegou cansado e não pôde estar à disposição com o Corinthians. Não esperava muito mais do que ele fez hoje, porque ainda não está muito bem, mas é um jogador que dá mais agressividade no ataque, vai ser alguém que não só marca gols, como alguém que dá assistência. É diferente dos outros”.

O treinador português não percebeu nenhuma alteração em Soteldo por causa da proposta do Atlético-MG, explicou que vê com naturalidade esse tipo de situação nessa época do ano.

Dentro de campo, o técnico europeu admitiu que pediu para Soteldo começar a rodar por um setor em que não está tão acostumado.

“Qualquer atacante deve conhecer muito bem as três zonas em que se joga: na esquerda, central e à direta. É importante que todos pisem e saibam jogar nessas posições. Soteldo tem capacidade de jogar de um lado e do outro. Hoje, depois do gol, era importante que ele mudasse”.

Jesualdo elogia Sánchez, mas fala em busca por alternativa no Santos

Carlos Sánchez abriu o placar para o Santos e comandou o meio de campo da equipe na partida desta segunda-feira, contra o Botafogo-SP. Jesualdo Ferreira falou com entusiasmo sobre o uruguaio depois da vitória santista por 2 a 0, na Vila Blemiro.

“Sanchez é um jogador muito experiente, tem uma grande qualidade na forma como finaliza, é também dentro do campo um líder que é importante termos, temos de criar mais líderes, no ultimo terço é muito forte. É um jogador que incomoda os adversários”.

Aliás, o trio formado por Sánchez, Soteldo e Pituca funcionou bem em alguns momentos do confronto. Essa empolgação, porém, Jesualdo tratou de acalmar.

“Vamos tentar encontrar alternativas para todos os jogadores que temos. Há uma rotação durante os jogos, a ansiedade de conhecer melhor alguns, dar confiança a quem está jogando menos, mas a jornada é longa e esses três não são suficientes. Temos de criar a possibilidade de outros sistemas e com outros jogadores. Ninguém consegue fazer um time em um mês”, disse, antes de uma breve avaliação sobre a partida.

“Conseguimos controlar o jogo adversário e nem sempre a bola gira com a velocidade que nós queremos. Isso são aspectos que com o tempo vão sendo normais, mas a equipe foi capaz de imprimir sua força contra uma equipe muito fechada”.

Jesualdo diz que viu Vladimir em 2019 e promete dar confiança ao goleiro no Santos

Vladimir fez parte do grupo do Avaí que acabou rebaixado à Série B no Campeonato Brasileiro, em 2019. Ainda assim, o goleiro conseguiu se destacar com atuações individuais.

O resultado do trabalho no ano passado pode ser colhido agora, com Jesualdo Ferreira. O técnico português, pelo visto, assistiu aos vídeos de Vladimir e resolveu dar a primeira oportunidade em 2020 nessa segunda, contra o Botafogo-SP.

“Quando você tem uma temporada longa e tem quatro goleiros, não faz sentido que se faça muitos jogos só com os mesmos. Vladimir tem que encontrar confiança também. Com tanto jogo pela frente, com calma, vou fazendo isso, dar chance para que outros goleiros joguem”, explicou o técnico.

É bom Everson ligar o sinal de alerta, porque Jesualdo conseguiu elogiar Vladimir mesmo em um jogo que o adversário não chutou sequer uma bola no gol.

“Saiu em uma bola no chão, no alto não teve problemas. Foi uma noite tranquila, aquilo que eu esperava dele eu consegui, acho que ele tem muita qualidade, aquilo que já tive oportunidade de ver no ano passado. É um goleiro com grande qualidade e precisa de confiança”, concluiu.


Santos 2 x 0 Inter de Limeira

Data: 30/01/2020, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 3ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.419 pagantes
Renda: R$ 193.305,00
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araujo
Auxiliares: Leandro Matos Feitosa e Risser Jarussi Corrêa.
Cartões amarelos: Matheus Neris e Geovane (I).
Gols: Raniel (22-1) e Raniel (42-1).

SANTOS
Everson; Pará, Luiz Felipe, Luan Peres e Felipe Jonatan (Carlos Sánchez); Jobson, Diego Pituca e Evandro (Alison); Tailson (Renyer), Raniel e Uribe.
Técnico: Jesualdo Ferreira

INTER DE LIMEIRA
Rafel Pin; Roger Bernardo, João Victor, Oliveira e Jonathan (Lucas Balardin); Marquinhos, Matheus Neris (Murilo Rangel) e Geovane; Lucas Braga, Thomaz e Airton (Tcharlles).
Técnico: Elano Blumer



Raniel brilha e Santos bate Inter de Limeira pelo Paulistão

O Santos venceu e convenceu. Após duas partidas sem apresentar um padrão claro de jogo, o Peixe recebeu a Inter de Limeira e engatou o segundo triunfo consecutivo no Campeonato Paulista.

E foi a estrela de Raniel que brilhou nesta quinta-feira, na Vila Belmiro. Quando o Alvinegro enfrentava dificuldades para furar o bloqueio adversário, o atacante fez um golaço de fora da área. Antes do segundo tempo, foi ele quem apareceu dentro da grande área e sacramentou o 2 a 0.

Com o resultado, o Santos dorme na liderança do Grupo A. A equipe comandada por Jesualdo Ferreira abriu quatro pontos de vantagem sobre a Ponte Preta. A Inter de Limeira, por sua vez, conheceu sua segunda derrota e segue na segunda colocação.

O jogo

Diferente das últimas atuações, o Santos começou com uma proposta mais ofensiva, trocando muitos passes no campo de ataque. Enquanto isso, a Inter de Limeira esperava e apostava nos contra-ataques pelo lado esquerdo.

Por conta das duas linhas defensivas muito compactas da equipe visitante, o Peixe tentava chegar ao gol pelas laterais. E o jovem Tailson teve a chance de inaugurar o marcador logo aos seis minutos, após bom cruzamento de Felipe Jonatan.

Apesar da pose dos números animadores de posse de bola, o Santos abusava das bolas levantadas na área e, por conta disso, não conseguia perturbar a meta de Rafael Pin. Na primeira tentativa de invadir a grande área, com 16 no relógio, Felipe Jonatan tentou servir Tailson, que foi antecipado pelo zagueiro.

A partir de então, a pressão santista se instalou e a recompensa veio pouco antes da metade do primeiro tempo. Em um lance de rara felicidade, Raniel encheu o pé de fora da área e acertou a coruja que dormia no gol da Vila Belmiro.

O Leão tentou adiantar suas linhas para surpreender o Alvinegro Praiano. No entanto, a desorganização do time no ataque fez com que os mandantes tivessem ainda mais facilidade para colocar seus atacantes na frente do gol.

Foi dos pés de Evandro, um dos jogadores mais ativos durante toda a partida, que Uribe recebeu cara a cara com o goleiro. O atacante dominou muito mal a bola desperdiçou. Em seguida, faltando um minuto para o apito final, Raniel aproveitou a falha da zaga no escanteio e só empurrou para o fundo das redes.

Na volta do vestiário, Evandro novamente demonstrou muita classe em passe para Uribe. Dessa vez, o centroavante se atrapalhou com a bola. Mais tranquilo no jogo, o Santos ainda controlava a posse de bola, mas abdicou um pouco da pressão e a Inter de Limeira teve mais oportunidades.

Com pouco mais de 10 minutos da segunda etapa, foi a vez de Everson se preocupar com a tentativa de Thomaz. O bom chute do jogador da Inter chegou a desviar no zagueiro do Santos antes de tocar na trave. O arqueiro ainda foi fundamental para evitar o que seria um golaço de Geovane.

Buscando recuperar intensidade, Jesualdo Ferreira promoveu a entrada de Carlos Sánchez e Renyer, de 16 anos. As alterações até surtiram efeito e o Peixe quase ampliou. Contudo, o destaque vai para a joia santista de apenas 16 anos. O atleta superou as marcas de Robinho, Neymar, Gabriel e Rodrygo e se tornou jogador mais novo a estrear pelo profissional.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo vê elenco do Santos mais alinhado com seu estilo de jogo

Na noite desta quinta-feira, o Santos não só derrotou a Inter de Limeira, mas demonstrou mais entrosamento e coerência na proposta de jogo. Após a partida, Jesualdo Ferreira concedeu entrevista coletiva e elogiou a postura dos seus atletas. Segundo o treinador, suas ideias estão sendo melhores assimiladas.

“Acho que tudo correu bem. Fiz algumas mudanças e o ataque mudou todo. O que acontece é que a equipe começa a entender o estilo de jogo. Estou com mais tempo de trabalho, e eles estão conseguindo pegar o objetivo”, destacou.

O comandante acredita que o tempo será fundamental para o elenco assumir sua melhor forma.

“Só acredito no trabalho, no que é feito nos treinamentos e no que a equipe pode fazer também. Isso ajuda muito a suportar o cansaço. Um dia eles vão ver melhor onde queremos chegar. Têm faltado muitos jogadores. Às vezes teremos muitos treinos e poucos jogos. Teremos ausências por lesões e expulsões”, comentou, acrescentando algumas críticas ao time.

“O grande trabalho que vamos fazer não é defensivo, mas o de recuperação rápida da bola. Algumas equipes tem dificuldade a reagir nesse momento do jogo. E isso é muito importante. A equipe é capaz de fazer metade do que é importante, a outra metade ainda virá no futuro”, finalizou.

Líder do Grupo A, o Santos agora se prepara para seu primeiro clássico do ano, neste sábado, às 11 horas (de Brasília), contra o Corinthians, na Arena em Itaquera.

Jesualdo avalia atuações de Raniel e Uribe na vitória do Santos

Depois de duas atuações apagadas, brilhou a estrela de Raniel na noite desta quinta-feira. Autor dos dois gols que sacramentaram a vitória do Santos diante da Inter de Limeira, pela terceira rodada do Campeonato Paulista, o atacante foi elogiado pelo técnico Jesualdo Ferreira, que também teceu algumas críticas ao seu estilo de jogo.

“Consigo ver que ainda falta muita coisa para ajudar na qualidade e talento que tem. Falta ajustar posicionamento, por exemplo. No entanto, para ele melhorar isso tudo vai levar tempo. Para aprender é preciso falhar. Ele tem grande poder físico e perfil de atacante. Agora, precisamos preencher esse perfil. Além disso, é preciso ter boa mentalidade, claro”, comentou.

O treinador também analisou a situação de Uribe. Pouco aproveitado por Jorge Sampaoli, o centroavante voltou a ser titular no Santos, mas acabou desperdiçando duas chances claras de gol.

“O Uribe não joga faz tempo, está sem confiança. Eu gosto muito de jogadores de colombianos. Ele é um atacante que se empenha bastante no jogo e tem muita noção de posicionamento. Com tempo, confiança e trabalho ele pode nos ajudar bastante”, destacou.

Jesualdo vê potencial em Jobson: “Nem ele percebe”

Pouco aproveitado por Jorge Sampaoli, Jobson fez sua estreia na vitória do Santos diante da Inter de Limeira. Além da calma com a posse de bola, o volante mostrou qualidade no passe e foi fundamental no meio-campo do Peixe.

Em entrevista coletiva concedida após a partida, o técnico Jesualdo Ferreira fez um comentário curioso para elogiar a postura do jogador de 24 anos.

“Jobson é, para mim, alguém que tem uma capacidade que nem ele percebe. O problema dele e de muitos outros é que ainda não conseguiu equilibrar-se mentalmente. Ele tem boa estrutura, é físico e tem muita técnica. Joga muito fácil no meio-campo. O que ainda é preciso trabalhar são as decisões rápidas na construção de jogadas e concentração na defesa. Claro que vai depender muito dele, mas ele tem minha confiança de que vai estar fazendo tudo isso em um futuro próximo”, destacou.

Em 2019, sob o comando de Sampaoli, Jobson foi escalado em 15 oportunidades. Em números gerais, foram quatro atuações no Campeonato Brasileiro e 11 no Campeonato Paulista, torneio em que o volante marcou seus únicos dois gols da temporada.

Jesualdo faz análise da estreia de Renyer pelo Santos: “Tem muito talento”

A primeira vitória de Jesualdo Ferreira na Vila Belmiro teve uma participação especial. Renyer, atacante de apenas 16 anos e seis meses, fez sua estreia pelo profissional do Santos e superou as marcas de Robinho, Neymar, Gabigol e Rodrygo. Em entrevista coletiva concedida após a partida, o treinador exaltou a joia das categorias de base do Peixe.

“Tudo o que ele tentou no hoje no jogo é do perfil de um menino da idade dele. Ele tem muito talento e parece ter uma boa estrutura física. É um jogador que tem muita noção do que é jogar no ataque. Além disso, reparei que ele teve o cuidado de participar dos momentos defensivos também, isso é interessante. Acredito que ele vai poder nos ajudar muito”, comentou.

Questionado a respeito da opção por Renyer, Jesualdo deixou claro que pretende utilizar talentos da base com frequência.

“Essa é a política do clube. Por conta disso, vou promover jovens e fazê-los estrear sempre que puder. Eu tenho sempre que optar pelo melhor”, explicou.

Renyer comenta marca histórica no Santos e projeta Clássico Alvinegro

Com a vitória praticamente garantida diante da Inter de Limeira, Jesualdo Ferreira promoveu uma entrada histórica no gramado da Vila Belmiro. O jovem Renyer, de apenas 16 anos, se tornou o jogador mais novo a estrear pelo profissional do Santos. Vestindo a camiseta 43, mesma utilizada por Rodrygo, o atacante superou as marcas de Robinho, Neymar, Gabigol e do próprio atleta do Real Madrid.

Após o apito final, a joia santista falou a respeito da sensação de fazer seu primeiro jogo com o manto alvinegro.

“É uma sensação muito boa. Estou muito feliz pela estreia. O professor Jesualdo está confiando em mim, pois estou mostrando meu trabalho. Quero treinar forte para chegar nos jogos e atuar bem. O meu intuito é ajudar o Santos em todas as partidas”, comentou.

Líder do Grupo A, o Santos agora se prepara para enfrentar o Corinthians. O duelo está previsto para este sábado, às 11 horas (de Brasília), na Arena em Itaquera. Questionado a respeito das expectativas para o Clássico Alvinegro, Renyer reconheceu a concorrência, mas não escondeu seu desejo de estar em campo.

“É muito grande, claro. Tenho que trabalhar forte para isso acontecer. O Soteldo está voltando e também temos o Raniel, que fez dois gols hoje. O elenco do Santos é muito qualificado e, por conta disso, tenho que treinar forte para ganhar mais oportunidades”, finalizou.


Santos 0 x 0 Red Bull Bragantino

Data: 23/01/2020, quinta-feira, 19h15.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 1ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 12.412 pagantes
Renda: R$ 511.705,00
Árbitro: Raphael Claus
Auxiliares: Risser Jarussi Corrêa e Evandro de Melo Lima.
Cartões amarelos: Carlos Sánchez (S); Ligger, Edimar, Barreto e Artur (B).

SANTOS
Everson; Felipe Jonatan, Luan Peres, Luiz Felipe e Pará; Alison, Carlos Sánchez e Diego Pituca; Marinho (Derlis González), Kaio Jorge (Raniel) e Eduardo Sasha (Arthur Gomes).
Técnico: Jesualdo Ferreira

RED BULL BRAGANTINO
Júlio César; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Edimar; Barreto (Vitinho), Bruno Tubarão (Thonny Anderson), Uillian Correa e Claudinho (Morato); Artur e Ytalo.
Técnico Vinicius Munhoz



Santos joga mal e só empata com o Red Bull Bragantino na estreia do Paulistão

O Santos não estreou bem no Campeonato Paulista. Na noite desta quinta-feira, o Alvinegro Praiano recebeu o Red Bull Bragantino na Vila Belmiro. Após um primeiro tempo com poucas chances para os dois lados, o Braga foi melhor na segunda etapa, mas o Peixe conseguiu segurar o 0 a 0.

Como o Guarani venceu na estreia e a Ferroviária empatou, o Massa Bruta está na terceira colocação do Grupo D. O Peixe, por sua vez, foi a única equipe que somou pontos no Grupo A.

O jogo

O Red Bull Bragantino começou o jogo com muita intensidade, atacando principalmente pela direita, com Artur. Do outro lado, as duas linhas de quatro do Santos mostraram muita solidez defensiva. Quando tinha a bola, a equipe de Jesualdo Ferreira tentava, mas não conseguia furar ao bloqueio do Massa Bruta.

Aos poucos, o Braga começou a esperar o Santos, que valorizava mais a posse de bola, porém, pecava muito na criação. A válvula de escape era Marinho, atleta responsável pela maioria das jogadas de perigo do Peixe. Apesar do apoio de Carlos Sánchez, o atacante não teve muito sucesso pelo lado direito.

Depois de 25 minutos sem qualquer chute na direção do gol, o Bragantino saiu em um rápido contra-ataque e a bola chegou em Claudinho. O meio-campista encheu o pé da entrada da área e obrigou uma bela defesa do goleiro Everson.

A resposta do Santos veio faltando sete minutos para o fim do primeiro tempo, com Sánchez. De três dedos, o uruguaio tentou vencer o Júlio César, que só olhou a finalização passar perto do gol.

Na volta do vestiário, Jesualdo promoveu a entrada de Raniel no lugar de Kaio Jorge, pouco acionado no jogo. Enquanto o Peixe se preocupava em arrumar o sistema ofensivo, o Red Bull Bragantino continuou com a mesma intensidade e criou a primeira oportunidade.

Em uma das suas primeiras participações, Ytalo recebeu dentro da área, girou para cima do zagueiro e chutou firme, mas só bateu na rede pelo lado de fora. Após a chance de Pará, que completou 200 jogos com a camiseta do Santos, exigir boa defesa de Júlio César, o camiseta 9 desperdiçou uma chance cara a cara com Everson.

Aos 24 minutos, Ytalo, sempre ele, quase inaugurou o marcador. Thonny Anderson, substituto de Bruno Tubarão, encontrou o companheiro livre de marcação. O atacante invadiu a grande área e, de cavadinha, mandou a bola no travessão.

Nos momentos finais da partida, o Santos foi ao ataque. No entanto, a boa defesa do Bragantino garantiu o placar zerado no confronto.

Bastidores – Santos TV:

Jesualdo explica estratégia e analisa postura do Santos na estreia

Após 12 dias de preparação, o Santos sofreu para empatar com Red Bull Bragantino, em partida válida pelo Campeonato Paulista. Depois da estreia no comando do Peixe, Jesualdo Ferreira concedeu entrevista coletiva na Vila Belmiro e passou suas primeiras impressões sobre o elenco.

“Vocês conhecem os jogadores melhores que eu. Jogamos em casa, primeiro jogo. Eles ainda têm muitas coisas na cabeça. No entanto, em grande parte do jogo, eles foram capazes de jogar da forma que eu quero. O intuito é dar pouco espaço para o adversário, ser rápido na troca de passes e explorar a velocidade dos atacantes. A segunda fase do jogo, que é chegar ao gol adversário, manter a bola, em alguns momentos fizemos”, analisou.

O treinador português também explicou a opção por escalar Alison, capitão do time na noite desta quarta-feira, como primeiro volante. Sob a visão dele, o camiseta 5 tem mais vigor físico em comparação com Diego Pituca, jogador com características mais ofensivas.

“Eu gosto mais do Alison nessa posição do que o Pituca. O Pituca tem uma capacidade importante que é de entrar em zonas ofensivas. Isso é mais importante. O Alison tem mais poder físico, capacidade de poder, quando a equipe abaixa, fazer um tampão. Não se esqueça que do lado direito tem o Carlos”, completou.

Por fim, Jesualdo destacou mais um defeito do Santos contra o Bragantino.

“Ainda falta intensidade para jogar no ritmo que eu quero”, finalizou.

Jesualdo Ferreira destaca defesa e elege o maior defeito do Santos

Apesar do Red Bull Bragantino ter criado as melhores oportunidades na partida desta quarta-feira, pelo Campeonato Paulista, Jesualdo Ferreira vê pontos positivos na estreia, uma vez que o Santos teve pouco tempo de preparação. No entanto, o técnico também destacou o principal defeito do Peixe, em entrevista concedida após o duelo.

“Depois de doze dias, estava pronto, não tinha outra alternativa, tinha que jogar. A equipe foi capaz, durante algum tempo, de deixar o adversário com pouco espaço. Não foi fácil para o Red Bull ganhar espaços para atacar. Mas não conseguimos fazer aquilo que acho importante, que é ter clareza no momento de decidir. A equipe jogou muito depressa. Acho que esse foi nosso problema maior. Agora temos que trabalhar”, analisou.

O comandante ainda destacou a presença do público na Vila Belmiro. Segundo o português, a torcida pode ser o trunfo do Santos em 2020.

“Quando torcedores vieram? 12 mil? Fantástico. Vou agradecer aos torcedores do Santos por terem comparecidos por essa capacidade de apoiar durante os 90 minutos. Se conseguirmos ter sempre uma presença dessa, dentro dos 12 ou 15 mil, vamos ter um ambiente muito bom ao nosso favor. Emocionou um pouco, me tocou, por isso o agradecimento”, completou.

Jesualdo elogia base do Santos e pede calma: “Ver como encaram o jogo”

Logo na sua partida de estreia pelo Campeonato Paulista, o Santos contou com a ausência de Yeferson Soteldo, que foi convocado pela seleção da Venezuela para a disputa do Pré-Olímpico. No lugar de uma das principais peças da temporada passada, Jesualdo Ferreira promoveu a escalação de Kaio Jorge. Já na segunda etapa, o comandante colocou outra joia da casa em campo, Arthur Gomes.

Em entrevista coletiva concedida após o duelo na Vila Belmiro, o técnico português elogiou a base do Peixe e pediu calma com os jovens.

“O elenco do Santos tem muitos jovens. É uma riqueza do clube. No entanto, como são jovens, nem sempre as coisas acontecem como o esperado. Nós, como vocês viram em termos defensivos, conseguimos resolver os problemas em alguns momentos. Mas eles puderam marcar em duas oportunidades. O mais importante era ver como encaram o jogo”, comentou.

Questionado sobre o motivo pelo qual Kaio Jorge foi substituído, Jesualdo revelou que o atacante sentiu um desconforto no tornozelo esquerdo. Sem o jogador da Seleção Brasileira Sub-20 em campo, o treinador explicou como armou o time.

“O Kaio Jorge jogou mais pelo corredor. O Marinho ficou mais aberto. São dois jogadores que tem essa característica. O Kaio teve uma entorse no pé e acabou saindo por isso. A tentativa de colocar um central não funcionou. Por conta disso, voltamos ao 4-3-3, que garantiu mais consistência”, finalizou.

Após empate, Alison fala sobre ritmo de jogo do Santos e exalta Bragantino

O Santos teve uma atuação abaixo das expectativas na estreia do Campeonato Paulista. Na noite desta quinta-feira, o Peixe recebeu o Red Bull Bragantino e viu o adversário criar as melhores chances de gol na Vila Belmiro. Após o duelo, o volante Alison, capitão do Alvinegro Praiano, falou sobre o ritmo do elenco.

“Claro que ainda nos falta um pouco de ritmo. Na minha visão, isso é natural. Vamos adquirindo ao longo do campeonato. Temos que continuar trabalhando forte para chegar no nosso auge o mais rápido possível”, destacou.

O camiseta 5 ainda elogiou o adversário e, apesar do Santos ter chutado apenas duas vezes na direção da meta do Bragantino, viu uma melhora na segunda etapa.

“Queríamos a vitória, pois sabíamos o quanto isso seria importante. Tentamos, lutamos e até melhoramos no segundo tempo. Infelizmente, não conseguimos o resultado positivo. Acho que o Red Bull Bragantino também teve méritos”, completou.

Santos confirma lesão no tornozelo esquerdo de dois atletas

Um dos jogadores mais acionados do Santos no empate diante do Red Bull Bragantino, pela estreia do Campeonato Paulista, Marinho sentiu um desconforto e foi substituído ainda no segundo tempo. Momentos depois do apito final, o clube confirmou que o atacante sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo. Kaio Jorge, de 18 anos, também foi diagnosticado com o mesmo problema.

A informação é que os atletas já iniciaram o tratamento e serão reavaliados na reapresentação do elenco, prevista para a tarde desta sexta-feira.

Na temporada passada, Marinho foi uma das principais peças do setor ofensivo santista. Em parceria com Eduardo Sasha e Soteldo, o atacante atuou em 40 partidas e mandou 12 bolas para a rede, média de 0,30 gol por jogo.

Com ou sem os jogadores à disposição, o Santos, líder do Grupo A, volta a campo já nesta segunda-feira. Em busca de primeira vitória sob o comando de Jesualdo Ferreira, o Peixe enfrenta o Guarani, às 20 horas (de Brasília), no Estádio Brinco de Ouro da Princesa.