Navegando Posts marcados como Vila Belmiro

Santos 4 x 0 Flamengo

Data: 08/12/2019, domingo, 16h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada (última)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 13.310 pagantes
Renda: R$ 574.130,00
Árbitro: Paulo Roberto Alves Junior (PR)
Auxiliares: Bruno Boschilia e Victor Hugo Imazu dos Santos (ambos do PR).
VAR: Adriano Milczvski (PR)
Cartões amarelos: Filipe Luís, Gabigol, Rodinei (F).
Gols: Marinho (14-1), Carlos Sánchez (22-1); Eduardo Sasha (17-2) e Carlos Sánchez (39-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Alison (Jobson), Carlos Sánchez (Sandry) e Diego Pituca; Marinho, Soteldo e Eduardo Sasha (Jean Mota).
Técnico: Jorge Sampaoli

FLAMENGO
Diego Alves; Rodinei (João Lucas), Rodrigo Caio, Pablo Marí e Filipe Luís; Gerson, Willian Arão, Everton Ribeiro e Arrascaeta (Diego); Bruno Henrique (Vitinho) e Gabigol.
Técnico: Jorge Jesus



Santos faz a festa na Vila, goleia o Flamengo e garante o vice-campeonato

Acabou oficialmente o Campeonato Brasileiro de 2019. E o posto de vice-campeão, antes disputado por Palmeiras e Santos, terminou nas mãos do Peixe. Neste domingo, o Alvinegro Praiano recebeu o Flamengo na Vila Belmiro, pela última rodada da competição nacional, e goleou os cariocas por 4 a 0. Aos gritos de “olé” e “fica, Sampaoli”, o time santista deu show com gols de Carlos Sánchez, duas vezes, Marinho e Eduardo Sasha.

Com o resultado, a equipe paulista chegou a 74 pontos, garantiu a segunda colocação e fez sua melhor pontuação na história dos pontos corridos com 20 times. Além disso, o Santos também registrou a melhor campanha de um vice-campeão em Brasileiros com 20 clubes, formato adotado desde 2006.

Já o Rubro-Negro, que havia conquistado o título antecipado, terminou a competição com 90 pontos. Agora, o time carioca volta as atenções para a disputa do Mundial de Clubes, no Catar. A estreia está marcada para o dia 17 de dezembro contra o vencedor do duelo entre Al Hilal, da Arábia Saudita, e Espérance, da Tunísia.

O jogo

Em jogo que pouco valia para ambas as equipes, o clima leve já predominava antes do apito inicial. Completando 100 partidas disputadas com a camisa do Santos, o meio-campista Diego Pituca foi homenageado antes de a bola rolar. O volante ainda aproveitou para pedir a namorada em casamento.

Em campo, as duas equipes protagonizaram um início de confronto movimentado, com duas boas chegadas para cada lado nos primeiros 11 minutos. E o marcador foi aberto pelos donos da casa. Aos 14, Sánchez achou um belo passe para Soteldo nas costas de Rodinei. O camisa 10 dominou, parou e rolou para Marinho, que emendou de primeira, de canhota, para balançar as redes.

Oito minutos depois, Sánchez aproveitou a falha de Filipe Luís na saída de bola, fez o domínio na coxa, invadiu a área e bateu cruzado de direita para ampliar a vantagem santista. O Flamengo nem teve a chance de responder, já que foi dominado por um intenso Alvinegro Praiano. Regidos por uma atuação de gala do camisa 7 uruguaio, os paulistas poderiam ter ido para o intervalo com uma diferença ainda mais extensa no placar, mas pararam em Diego Alves.

Na segunda etapa, o Rubro-Negro voltou melhor que no primeiro tempo e equilibrou um pouco mais a partida. Aos dez minutos, Arrascaeta arrancou pelo meio e encontrou Vitinho na esquerda. O camisa 11 entrou na grande área, ajeitou para a canhota e finalizou, mandando perto da meta de Everson.

Apesar disso, o Santos mais uma vez foi às redes. Aos 17, Soteldo fez ótima jogada pelo esquerdo do ataque, passou por Rodinei e fez o cruzamento para Eduardo Sasha, que completou de cabeça para fazer o terceiro do Peixe. E mesmo com o placar confortável, os comandados de Jorge Sampaoli ainda marcaram pela quarta vez. Marinho aproveitou erro de Diego no ataque e abriu para Victor Ferraz. O lateral cruzou para Sánchez, que, livre, fechou a goleada.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli avalia goleada contra o Flamengo: “Era difícil pensar nesse resultado”

O Santos encerrou o Campeonato Brasileiro de 2019 com uma grande vitória sobre o Flamengo pelo placar de 4 a 0. Em entrevista coletiva após a partida, o técnico Jorge Sampaoli elogiou a atuação de sua equipe e falou sobre a preferência por jogar ofensivamente. Ele ainda admitiu que não esperava pela goleada contra o campeão.

“Eu não posso abandonar meu sentimento. É algo pessoal (o estilo ofensivo). Gosto de transições velozes e trabalho com isso. Hoje, como em outros jogos, o time teve muita valentia para jogar contra um time campeão que jogou completo. Era difícil pensar nesse resultado contra um rival tão poderoso”, declarou o argentino.

Sampaoli ainda comparou o desempenho contra o Rubro-Negro a outras partidas na competição. “Foi um jogo muito emocionante, por toda a intensidade da equipe contra o rival. Outros jogos também foram muito bons, como contra o Palmeiras. Contra o Flamengo no Rio também jogamos muito bem e perdemos no detalhe. Perdemos para o Athletico gerando muitas chances, assim como contra o Fortaleza. Temos uma convicção em nossa ideia de protagonismo”, disse.

O comandante também fez uma análise da temporada, abordando a evolução dos jogadores e da comissão técnica do Peixe durante a temporada.

“Depois de um ano extremamente exigente, encontramos uma forma de jogar em um campeonato muito competitivo. Nós como corpo técnico tivemos que aprender muito. Tivemos que construir um modo de protagonizar e a equipe conseguiu se manter nos primeiros lugares. Por sorte, neste último jogo, estabelecemos que temos que colocar nossa camisa no lugar mais alto possível”, finalizou o treinador.

Na mira do Palmeiras, Sampaoli revela reunião com Peres para definir futuro

Depois da goleada sobre o Flamengo e o encerramento do Campeonato Brasileiro, o torcedor do Santos volta as atenções para a situação do técnico Jorge Sampaoli, que ainda não definiu se permanecerá no clube para 2020. Em entrevista coletiva após a partida, o comandante afirmou que resolverá seu futuro em reunião com o presidente José Carlos Peres, marcada para esta segunda-feira.

“O que posso falar é que estou muito agradecido pelo carinho e por terem me abraçado no ano. O grupo de jogadores mostrou um espetáculo contra o campeão. Partida incrível. Agora sim vou começar a pensar no futuro. Até ontem não pude pensar em nada. Amanhã tenho reunião com presidente. Já falei previamente com ele, mas adiamos a reunião. Tudo que vivi nessa cidade tem que ser um ponto de partida. Este ano, os jogadores jogaram um futebol que produzimos como cultura. Foi um ano muito atrativo em uma competição muito difícil. Tentamos impor nossa forma de jogar até hoje. Agora vou pensar no futuro. Sou um profissional que sei até onde posso chegar com o que tenho. Tem processos de alegrias e de dores. Foi um dos lugares mais felizes que passei na minha carreira”, declarou o treinador, que tem contrato com o Peixe até o final do próximo ano.

Alvo do Palmeiras, Sampaoli também reforçou que ainda não recebeu propostas de outras equipes e desconversou sobre a possibilidade de trocar o Santos por um rival. “Não chegou nenhuma oferta concreta para mim. Vou avaliar meu futuro, mas minha prioridade é me reunir com o Peres e ver o que é melhor para o Santos”, disse.

“Os ídolos estão pintados na parede. Não tenho capacidade de estar pintado nas paredes do Santos. Trabalhei e lutei, mas tenho que pedir desculpas por ter perdido a linha em alguns jogos. Cada projeto oficial que chega até mim, tenho que analisar. Amanhã, o Santos determinará o projeto que teremos. Aí vou ver meu futuro. Ainda não analisei nenhuma possibilidade”, acrescentou.

Por fim, o argentino voltou a deixar claro que sua continuidade no comando do Alvinegro Praiano depende da formação de um elenco capaz de brigar por títulos. “Tenho que ser muito profissional. Não posso tomar uma decisão emocional, porque poderia me prejudicar. Tenho que ser honesto para saber se posso dar conta do que vem pela frente. Vamos esperar amanhã. Tenho muito claro o que tenho, o que preciso e o que esse grupo precisa de reforços para ser o que sempre foi: um clube muito respeitado na América do Sul”, concluiu o treinador.

Sánchez celebra goleada sobre o Flamengo e desconversa sobre Sampaoli

O Santos deu show na última rodada do Campeonato Brasileiro de 2019. Na Vila Belmiro, a equipe comandada por Jorge Sampaoli aplicou uma goleada de 4 a 0 no campeão Flamengo e garantiu o segundo lugar na classificação final. Após a partida, o uruguaio Carlos Sánchez, autor de dois gols, comemorou a bela vitória e a temporada do Peixe.

“Fizemos uma grande trabalho. Não só neste jogo, mas em todo o campeonato. Sempre lutamos. Orgulhoso do time, que se entregou ao máximo em cada jogo. E hoje desfrutamos do jogo contra o campeão brasileiro e da Libertadores. Ter o estádio lotado foi uma motivação extra para darmos a vida no campo. Agora temos que descansar e pensar no próximo ano”, declarou o meio-campista em entrevista ao canal Sportv.

Sánchez ainda desconversou sobre a situação de Sampaoli, que ainda tem a permanência no Alvinegro Praiano indefinida. “É difícil adivinhar o futuro. Nós achamos que fizemos um grande trabalho com ele. Ele decidirá se fica ou não. Será lindo se seguirmos trabalhando com ele. Mas ele decidirá se é melhor ir embora ou seguir no ano que vem”, completou.

Com o grande triunfo sobre o Rubro-Negro, o Santos chegou a 74 pontos, garantiu a segunda colocação e fez sua melhor pontuação na história dos pontos corridos com 20 times. Além disso, o Peixe também registrou a melhor campanha de um vice-campeão em Brasileiros com 20 clubes, formato adotado desde 2006.


Santos 2 x 0 Chapecoense

Data: 01/12/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 36ª rodada (antepenúltima)
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.961 pagantes
Renda: R$ 200.690,00
Árbitro: Marielson Alves Silva (BA)
Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE) e Jucimas dos Santos Dias (BA).
VAR: Newton dos Reis Barreira (SP)
Cartões amarelos: Marinho e Alison (S); Dalberto (C).
Gols: Lucas Veríssimo (07-1) e Marinho (04-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan; Alison, Carlos Sánchez e Evandro (Diego Pituca); Marinho, Tailson (Derlis González) e Eduardo Sasha (Kaio Jorge).
Técnico: Jorge Sampaoli

CHAPECOENSE
João Ricardo; Eduardo, Douglas, Hiago (Maurício Ramos) e Roberto; Amaral, Márcio Araújo, Elicarlos (Gustavo Campanharo) e Camilo; Arthur Gomes e Renato (Dalberto).
Técnico: Marquinhos Santos



Santos vence Chapecoense, se isola no 2º lugar e iguala melhor campanha

O Santos venceu a Chapecoense por 2 a 0 na noite deste domingo, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe ganhou sem fazer força. Marcou no início de cada tempo e ditou o ritmo. Os gols foram de Lucas Veríssimo e Evandro.

Os três pontos levam o Alvinegro aos 71, igualando a melhor campanha da história dos pontos corridos com 20 clubes (em 2016). Além disso, os santistas abrem três de diferença para o Palmeiras na briga pela vice-liderança. A Chapecoense, rebaixada, segue em 19º.

O jogo

Vice-líder, o Santos ditou o ritmo contra a rebaixada Chapecoense desde o primeiro minuto. E o gol não demorou a sair. Evandro fez jogada individual e cruzou para Lucas Veríssimo abrir o placar aos sete jogados.

A vantagem fez o Peixe desacelerar. A equipe não sofreu maiores sustos, mas deixou de atacar como poderia, com certa “preguiça”.

Mesmo assim, Marinho (de fora da área) e Eduardo Sasha (após tabela com Carlos Sánchez) e ficaram perto de ampliar na Vila Belmiro.

O cenário da etapa inicial se repetiu. O Santos começou em cima e fez o segundo logo aos quatro minutos. Carlos Sánchez inverteu, Marinho chutou cruzado e Evandro desviou para marcar seu primeiro gol pelo Peixe.

O Alvinegro administrou o resultado e só teve uma chance clara, em falta perigosa batida por Sánchez. A Chape tentou, porém, esbarrou na falta de qualidade técnica. 2 a 0 tranquilo na Vila.

Bastidores – Santos TV:

Auxiliar elogia desempenho do Santos e despista sobre futuro de Sampaoli

O auxiliar de Jorge Desio comandou o Santos na ausência de Jorge Sampaoli por suspensão e gostou do desempenho na vitória por 2 a 0 sobre a Chapecoense neste domingo, na Vila Belmiro, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe não teve sustos e fez um gol em cada tempo para abrir três pontos em relação ao Palmeiras na briga pela vice-liderança.

“Ocorreu o que Sampaoli falou entre os jogos (Fortaleza e Chapecoense). Jogadores se sentiram confortáveis com o que ele disse durante a semana. Trabalhamos, mas nada sensível, equipe se blindou e lutou até o último minuto. Mérito é deles, jogo travado, batalhado. Merecemos a vitória. Foi digno o da Chapecoense também”, disse Desio.

“Creio que o Santos fez uma partida muito boa. Eles estavam atrás, a forma que saiam é ter a bola com os zagueiros, sem arriscar. Cada vez que tentávamos um passe entrelinhas era fazer o seguro para não sofrer transições. Tivemos 70% da posse de bola, é algo bom. É difícil entrar contra muita gente atrás. Não perder a bola e entrar de forma segura foi o que a equipe pretendeu”, completou.

Algumas perguntas tentaram ganhar dicas sobre o futuro de Sampaoli. Desio, porém, fugiu de todas elas.

“Não sei, é pergunta para Sampaoli. Ele declarou que pensa no Santos até 8 de dezembro, último jogo, e que só responde ao Santos. Isso é bárbaro e o resto não sei, não ouvi nada. Nosso jogo acabou de acabar”, afirmou.

“Respondo o mesmo ao que disse sobre Sampaoli. Ele é o cabeça e toma decisões sobre esse tema. Ele disse que pensa no Santos agora, sempre manifestou que gosta do Brasil e se sente cômodo. Mais do que isso não posso dizer. São três pontos à frente do Palmeiras, restam dois jogos difíceis. Tratamos de somar o que se pode nos dois últimos jogos”, concluiu.

Evandro celebra fim de jejum pelo Santos: “Feliz que saiu”

Autor do gol que garantiu a vice-liderança para o Santos, Evandro ainda não tinha balançado as redes com a camiseta do Peixe. Contratado em julho, o meia já havia explicitado sua insatisfação com o jejum de quase um semestre. Na manhã desta segunda-feira, o jogador concedeu entrevista coletiva celebrou a marca deixada contra a Chapecoense.

“Acho que foi o meu melhor jogo pelo Santos. Estava ansioso. Eu tinha dito que nunca tinha ficado tanto tempo sem um gol. Mas sei que isso é normal, acontece com muitos jogadores. Ontem poderia não ter saído, mas não mudaria a minha maneira de treinar e nem de olhar o jogo. Estou feliz que saiu”, comentou.

Não bastasse ter ido às redes, o meio-campista foi responsável por servir o Lucas Veríssimo, que anotou o seu logo aos quatro minutos da primeira etapa. Muito confiante, Evandro falou sobre a parceria com o outro meia de criação santista, Carlos Sánchez.

“Estou muito feliz de estar jogando ao lado do Sánchez, mas é difícil falar que nós somos inquestionáveis. Precisamos ter paciência. E o que acontece no Brasil é exatamente o contrário. Já vimos isso várias vezes. Quando não encaixa em um jogo, no outro já muda. As coisas deveriam ser feitas com mais calma”, analisou.

Por fim, Evandro comentou explicou como funciona seu contrato com o Santos.

Meu contrata vai até julho, mas o Santos tem prioridade de estender até dezembro de 2020. No entanto, ainda não conversamos sobre isso”, finalizou.

Com 71 pontos somados, o Santos está na segunda colocação do Campeonato Brasileiro. O Peixe pode garantir essa posição se superar o Athletico-PR.


Santos 4 x 1 Cruzeiro

Data: 23/11/2019, sábado, 21h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.905 pagantes
Renda: R$ 266.944,00
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: José Eduardo Calza e Lucio Beiersdorf Flor (ambos do RS).
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Marinho (S); Egídio (C).
Gols: Orejuela (13-1), Eduardo Sasha (22-1); Marinho (14-2), Soteldo (19-2) e Diego Pituca (44-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Felipe Jonatan (Luan Peres); Alison, Carlos Sanchez e Evandro; Marinho, Soteldo (Kaio Jorge) e Eduardo Sasha (Diego Pituca).
Técnico: Jorge Sampaoli

CRUZEIRO
Fábio; Orejuela, Cacá, Fabrício Bruno e Egídio; Henrique, Éderson, Robinho (Ezequiel) e Thiago Neves (Marquinhos Gabriel); David e Sassá (Joel).
Técnico: Abel Braga



Santos vira sobre o Cruzeiro e está na fase de grupos da Libertadores

O Santos assegurou sua classificação à fase de grupos da Copa Libertadores 2020 na noite deste sábado. No Estádio da Vila Belmiro, o time da casa chegou a sair em desvantagem contra o Cruzeiro, mas tomou o controle da partida e ganhou por 4 a 1.

Com 68 pontos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Já o Cruzeiro, com 36 pontos, fica no 16º lugar e pode terminar na zona de rebaixamento.

O jogo

O Cruzeiro conseguiu inaugurar o marcador na Vila Belmiro logo aos 13 minutos do primeiro tempo. Orejuela recebeu de Thiago Neves, invadiu a área, carregou para o meio e, aproveitando a passividade da marcação, finalizou de canhota para superar o goleiro Everson.

O Santos equilibrou rapidamente as ações e chegou ao empate aos 22 minutos da etapa inicial. Em boa trama do ataque, Sanchez cruzou forte e rasteiro da direita. Evandro dominou dentro da área e só ajeitou para chute de primeira de Eduardo Sasha.

Animado pelo gol de empate, o time alvinegro passou a mandar na partida e desperdiçou boas chances com Sanchez e Soteldo. Em jogada pelo lado direito, Marinho levou a melhor sobre Egídio e acertou a trave. Gustavo Henrique chegou a marcar de cabeça, mas o assistente assinalou impedimento.

Após criar uma série de oportunidades no primeiro tempo, o Santos conseguiu a virada aos 14 minutos da etapa complementar. Marinho arrancou pela direita, recebeu de Sanchez e não teve dificuldade para limpar a marcação de Egídio antes de bater com precisão.

Dono da partida, o time da casa converteu seu terceiro gol aos 19 minutos do segundo tempo. Em jogada pela direita, Sanchez recebeu de Marinho e cruzou rasteiro. Eduardo Sasha não chegou a tempo de completar, mas Soteldo apareceu para marcar.

O ritmo da partida diminuiu na parte final, mas o Santos ainda anotou o quarto gol aos 44 minutos do segundo tempo. Em cobrança de falta, Sanchez bateu direto para o gol. Após rebote do goleiro Fabio, Evandro cruzou da direita na medida para Diego Pituca completar.

Bastidores – Santos TV:

Após 1.000º do Santos nos pontos corridos, Soteldo quer conhecer Pelé

O Santos começou em desvantagem, mas goleou o Cruzeiro na noite deste sábado. Na semana em que ganhou uma camisa autografada de Pelé, o venezuelano Soteldo marcou o 1.000º gol do clube na história do Campeonato Brasileiro por pontos corridos e manifestou o sonho de conhecer o Rei.

Antes do jogo, com Edinho em campo, o Santos homenageou Pelé pelos 50 anos de seu 1.000º gol, completados na terça-feira. Com a bola rolando, já no segundo tempo, Soteldo marcou o terceiro sobre o Cruzeiro, coincidentemente o 1.000º do clube no Brasileiro desde 2003

“Estou bastante contente, porque o Santos é um time muito grande e aqui jogou o melhor da história do futebol. Também gostaria agradecer pela camisa que me deu e dizer-lhe que quero conhecê-lo pessoalmente. Vamos contentes para a casa e descansar, porque temos outro jogo em breve”, disse Soteldo ao Premiere.

Curiosamente, o Cruzeiro chegou a sair na frente por meio de Orejuela logo no começo da partida. O Santos empatou rapidamente com Eduardo Sasha e, no segundo tempo, construiu a goleada sobre o ameaçado Cruzeiro através de Marinho, Soteldo e Diego Pituca.

“Fui defender minha seleção e, graças a Deus, ganhamos. Depois, já estava pensando nesse jogo e sabia que tinha que chegar para contribuir com meu time. Acho que consegui ajudar um pouco, porque estava muito desgastado pela viagem e pela mudança de horário. Pude marcar o gol e o time fez um jogo espetacular”, declarou.

Com 68 pontos ganhos, o Santos dorme na vice-liderança do Campeonato Brasileiro, uma vez que supera o Palmeiras pelo número de vitórias. O time alviverde ainda pega o Grêmio às 16 horas (de Brasília) deste domingo, no Allianz Parque. Pela 35ª rodada, a equipe praiana enfrenta o Fortaleza às 20 horas de quinta-feira, no Castelão.

Sampaoli lamenta saída de Autuori e mira recorde nos pontos corridos

O técnico Jorge Sampaoli ficou chateado com a decisão do superintendente de futebol Paulo Autuori de deixar o Santos. Com futuro incerto, o argentino traçou o objetivo de estabelecer a melhor campanha do time praiano no Campeonato Brasileiro por pontos corridos de 20 clubes.

Na última terça-feira, Autuori anunciou o plano de sair em dezembro, mas o Santos já comunicou seu desligamento imediato. Sutilmente, o superintendente de futebol mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres.

“Foi uma grande perda. Era uma relação que me gerava confiança, muito apego”, disse Sampaoli, sobre a saída de Autuori. “Ele tem bastante experiência e conhece mais o futebol daqui do que eu. Essa saída é difícil de substituir, não sei o que o clube fará”, completou o treinador.

Com mais quatro jogos por disputar no Campeonato Brasileiro, o clube dirigido por Jorge Sampaoli contabiliza 68 pontos ganhos. Fora da briga pelo título, o técnico argentino deseja bater o recorde do Santos no formato por pontos corridos de 20 clubes.

“Queremos superar os 71 pontos e estar na história do clube”, disse Sampaoli, citando a performance do clube na edição de 2016 do torneio nacional. “Só pensamos no jogo de quinta, difícil, e precisamos que ganhar para manter. Tenho muita expectativa pela partida do Palmeiras”, completou.

Quarteto dá liga e domina os gols do Santos no 2º turno do Brasileirão

O Santos tem 23 gols no segundo turno do Campeonato Brasileiro. E 19 deles (82%) foram marcados por Carlos Sánchez, Marinho, Soteldo ou Eduardo Sasha. Os números são do Footstats.

O quarteto superou o rodízio costumeiramente feito por Jorge Sampaoli e se tornou praticamente intocável. Evandro tem sido o “quinto elemento” do sistema ofensivo nas últimas rodadas, mas com patamar ainda diferente dos demais.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Jorge Sampaoli, orgulhoso, em entrevista coletiva.

Gustavo Henrique (2), Diego Pituca e Tailson fizeram os outros quatro gols do Peixe no segundo turno do Brasileirão. O artilheiro do Alvinegro é Sasha, com 13 anotados.

O quarteto ofensivo do Santos não estará completo na próxima rodada, contra o Fortaleza, quinta-feira, no Castelão. Marinho está suspenso pelo terceiro cartão amarelo. Tailson e Derlis González brigam pela vaga.

Santos anuncia saída imediata de Autuori e define substituto

Paulo Autuori não trabalha mais no Santos Futebol Clube. Após a goleada sobre o Cruzeiro, aplicada na noite deste sábado, o clube publicou nota em seu site oficial para anunciar o desligamento imediato do superintendente de futebol e definir William Thomas como sucessor.

Na entrevista em que comunicou a decisão de deixar o Santos ao final desta temporada, concedida na última terça-feira, Autuori sutilmente mostrou descontentamento com a falta de “estratégia” do presidente José Carlos Peres. No sábado, o clube avisou que o profissional já está oficialmente desligado.

“O Santos FC informa que Paulo Autuori não faz mais parte do seu quadro de funcionários. O clube agradece os serviços prestados e deseja sorte no seguimento de sua carreira. William Thomas assume a função de superintendente de futebol, dando prosseguimento ao planejamento e projetos para 2020”, diz a nota oficial.

Entenda por que o 1º gol do Santos contra o Cruzeiro foi “mais comemorado” pela comissão técnica

O Santos fez quatro gols contra o Cruzeiro no último sábado, na Vila Belmiro, mas o primeiro da goleada foi “mais comemorado” pela comissão técnica em relação aos demais.

O técnico Jorge Sampaoli e os demais membros da comissão técnica enxergam a construção do gol como bom exemplo do trabalho realizado diariamente no CT Rei Pelé.

Lucas Veríssimo erra um passe vertical e rapidamente o time se posiciona a partir dos 22 minutos para roubar a bola. A interceptação de Eduardo Sasha faz com que Pará recupere e o ataque se inicia. De Marinho para Alison e Evandro recebe. O meia aciona Marinho e já se posiciona como um atacante. Marinho tabela por Pará por dentro enquanto Sánchez abre como ponta. O uruguaio encontra Evandro, já dentro da área. Sasha recua para receber a assistência e chuta com categoria.

Seis jogadores participaram em 30 segundos de um lance com sete no campo ofensivo e cinco dentro da área da Raposa.

“A possibilidade dos extremos serem pulsantes e agudos tem a ver com jogo posicional do Sánchez e Evandro e os movimentos do Sasha. Sasha nos dá muito volume do jogo. A altura que joga a equipe é difícil de controlar, porque esperam a bola e não vão buscar, Sánchez e Evandro nunca recuam e sempre estão esperando para atacar. E isso faz com que os laterais tenham confusão para marcar Sánchez ou Marinho, e aí a velocidade de quem desnivela tanto, como Marinho e Soteldo, faz diferença”, explicou Sampaoli, orgulhoso, na entrevista coletiva.

Felipe Araya Soto, um dos analistas de desempenho do Peixe, publicou um vídeo do gol e destacou o resgate do futebol antigo no clube.

“Dominar a bola, se organizar a partir dela, mover, desorganizar, desanimar com a posse de qualidade. O jogo desta equipe vem de tempos distantes”, escreveu o chileno.


Santos 1 x 1 São Paulo

Data: 16/11/2019, sábado, 17h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 33ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.062 pagantes
Renda: R$ 602.192,50
Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza (SP)
Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Alex Ang Ribeiro (SP).
VAR: Rodrigo Guarizo Ferreira de Amaral (SP)
Cartões amarelos: Felipe Jonatan (S); Pablo, Vitor Bueno e Bruno Alves (SP).
Gols: Carlos Sánchez (07-1) e Daniel Alves (08-2).

SANTOS
Everson; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Alison (Jean Mota), Evandro (Tailson) e Carlos Sánchez; Felipe Jonatan (Diego Pituca), Sasha e Marinho.
Técnico: Jorge Sampaoli

SÃO PAULO
Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Jucilei (Liziero); Daniel Alves (Gabriel Sara), Igor Gomes, Tchê Tchê e Vitor Bueno; Pablo.
Técnico: Fernando Diniz



Com presença de Bolsonaro, Santos e São Paulo empatam na Vila Belmiro

Deu empate no clássico San-São deste sábado. Recebendo o São Paulo na Vila Belmiro com direito à presença do presidente Jair Bolsonaro, o Santos até dominou o primeiro tempo e abriu o placar, mas acabou sofrendo o empate na etapa complementar, quando o time de Fernando Diniz melhorou consideravelmente, e teve de se conformar com a igualdade em 1 a 1 no marcador, em partida válida pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol do Peixe foi marcado por Carlos Sánchez, de pênalti. Daniel Alves balançou as redes para o Tricolor.

Com o resultado, o Santos perdeu a oportunidade de assumir a vice-liderança provisória da competição, já que, se ganhasse, empataria com o Palmeiras em número de pontos, mas teria uma vitória a mais – o Verdão entra em campo neste domingo, contra o Bahia, na Fonte Nova. Já o São Paulo desperdiçou a chance de encostar no Grêmio na briga por uma vaga no G4.

O jogo

O São Paulo mal teve tempo para se aclimatar ao jogo e já sofreu um duro golpe. Logo aos seis minutos, Jucilei errou um passe no meio-campo e deu o contra-ataque de presente para o Santos. Evandro recebeu em profundidade, chegou antes de Arboleda e acabou sendo derrubado pelo zagueiro dentro da área. O juiz não teve dúvidas e prontamente marcou pênalti. Carlos Sánchez foi para a cobrança e não desperdiçou, abrindo o placar na Vila Belmiro.

Em dia nada inspirado, o São Paulo só foi responder aos 18 minutos, e não necessariamente com uma jogada de perigo. Daniel Alves recebeu por elevação e, ao tentar se livrar de Gustavo Henrique, foi tocado pelo zagueiro dentro da área, indo ao chão. Mas, desta vez, o árbitro não apontou para a marca da cal, mandando o jogo prosseguir.

Sem demonstrar qualquer tipo de agressividade dentro de campo, o São Paulo parecia cada vez mais entregar o jogo de bandeja para o rival. Aos 36 minutos, o Santos só não ampliou porque faltou sorte a Carlos Sánchez. Daniel Alves foi desarmado ao tentar chapelar um adversário no meio-campo, e Marinho foi acionado em velocidade. Ligado no lance, Tiago Volpi saiu do gol para afastar o perigo, mas acabou entregando a bola nos pés de Sánchez, que tentou encobri-lo, mas mandou para fora.

Antes de as equipes irem para o intervalo, o Peixe ainda teve outra ótima oportunidade para ficar ainda mais confortável na partida, mas novamente desperdiçou. Aos 42, Sasha recebeu pela direita e cruzou rasteiro, para trás, encontrando Evandro, que chegou batendo de primeira, mas mandou por cima do gol.

Com Liziero na vaga de Jucilei, o São Paulo voltou para o segundo tempo mais ligado, só que foi o Santos quem chegou com perigo pela primeira vez. Aos sete minutos, Sasha aproveitou bate-rebate dentro da área para ficar com a sobra do carrinho de Arboleda e bateu cruzado, forçando Tiago Volpi a fazer grande defesa.

Se o Santos não aproveitou a grande oportunidade logo no início da etapa complementar, melhor para o São Paulo. Aos nove minutos, Vitor Bueno fez boa jogada individual para cima de Sánchez e cruzou rasteiro, na medida para Daniel Alves, que teve toda a calma do mundo para, na cara do gol, dominar e bater forte, empatando o jogo na Vila Belmiro.

Após o empate, o São Paulo se empolgou e só não chegou à virada graças ao goleiro Everson. Aos 11 minutos, Pablo recebeu dentro da área, se livrou do primeiro marcador, driblou outro e bateu de canhota, rasteiro, mas fraco. Ainda assim, pela proximidade do arremate, o santista fez ótima defesa. Depois aos 17, o camisa 9 recebeu excelente cruzamento de Daniel Alves, mas não pegou em cheio na bola.

Antes do apito final, o Tricolor ainda teve mais duas chances de acabar com o jejum de mais de 1000 dias sem vencer um clássico fora de casa, mas faltou sorte. Primeiro, aos 36, Arboleda ficou com a sobra do cruzamento na área e bateu em cima de Victor Ferraz, à queima-roupa. Depois, aos 42, Igor Gomes cabeceou no cantinho, mas Everson se esticou todo para fazer a defesa. Desta maneira, coube às duas equipes se conformarem com o empate em 1 a 1 na Vila Belmiro.

Bastidores – Santos TV:

Ferraz vê San-São equilibrado e quer buscar campanha histórica do Santos

O San-São foi equilibrado e o placar final de 1 a 1 representou bem o que foi visto na Vila Belmiro neste sábado. Na saída de campo, o capitão do Santos, Victor Ferraz, analisou a partida e declarou que a equipe não vai desanimar após ter a sequência de quatro jogos com vitórias quebrada.

“A gente fez um primeiro tempo muito bom, mas no segundo eles fizeram mudanças táticas e encaixaram melhor. Sendo bem justo, foi um tempo para cada lado. Eles foram melhor no segundo tempo, mas é clássico, a gente jogou bem e teve chance de fazer mais gols”, disse Ferraz aos canais Premiere.

O Peixe vinha de quatro jogos seguidos com vitórias, mas ainda assim a equipe de Jorge Sampaoli continua com uma sequência de seis jogos sem derrota.

Ferraz ainda falou sobre a campanha do Santos e deixou claro que o objetivo é continuar pontuando para até quebrar recordes no clube.

“Estamos com seis jogos de invencibilidade, vínhamos de quatro vitórias consecutivas. A gente tem feito um grande campeonato. Infelizmente o Flamengo está fora da curva, mas a nossa pontuação é uma das maiores da história do clube. A gente tem condições de passar os maiores times que disputaram os pontos corridos aqui, como a geração de Neymar, de Robinho. Temos objetivo de pontuar o máximo possível e vamos continuar tentando”, declarou.

O empate garante o Santos ao menos na Pré-Libertadores de 2020. A equipe ocupa a terceira colocação com 65 pontos. Os comandados de Sampaoli voltam a campo no próximo sábado, às 21h, quando recebe o Cruzeiro na Vila Belmiro.

Santos garante vaga na Pré-Libertadores em 2020

O Santos garantiu a vaga na Pré-Libertadores em 2020 ao empatar com o São Paulo por 1 a 1 neste sábado, na Vila Belmiro, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com 67 pontos, o Peixe não pode mais sair do G-6. Se vencer o Cruzeiro no próximo sábado, de novo na Vila, o Alvinegro terá a vaga confirmada na frase de grupos da competição continental.

O Santos segue na terceira colocação do Brasileirão, agora a nove pontos do Grêmio, mas dois a menos que Palmeiras e a 13 do líder Flamengo.

O Peixe não disputou a Libertadores deste ano e foi eliminado da primeira fase da Sul-Americana pelo River Plate (URU).

Sampaoli confirma reunião com Autuori para definir futuro no Santos

A campanha “Fica, Sampaoli” ganha cada vez mais força entre os torcedores do Santos. No empate contra o São Paulo, neste sábado, foi possível ouvir os gritos na Vila Belmiro pedindo a permanência do treinador, quando ele entrou em campo.

Após a partida, Sampaoli confirmou que fará uma reunião na próxima semana com o superintendente Paulo Autuori para definir o seu futuro no clube.

“Sobre 2020 e planejamento, antes do clássico adiamos reunião com o Paulo Autuori. Para ele manifestar seu ponto de vista e eu o meu, analisando o ano para saber se há possibilidade de estarmos juntos no projeto do Santos 2020. Devemos ter a reunião na próxima semana. Ideia é se classificar para a Libertadores, objetivo importante para clube e cidade. Veremos se essa semana teremos reunião para ver algo.”, declarou.

Sampaoli ainda definiu o que espera para poder continuar no Peixe no ano que vem.

“Clube tem que definir a postura para meu segundo ano. Não posso estar pendente de um sonho sem outorgar o que a torcida quer. Se posso me erradicar onde gosto e tenho projeto bom, não há motivo para não ficar. Depende do planejamento e se coincide. Amanhã esse carinho se transformará em ódio se não ganharmos. Não quero que digam que sou mal, por isso temos que ganhar sempre, ou ao menos com jogadores baseados num estilo. Se não posso dar o que a torcida quer, não posso ficar”, disse o argentino.

A campanha com Sampaoli no Campeonato Brasileiro coloca o Santos na terceira colocação com 65 pontos até aqui. O Peixe volta a campo no próximo sábado, às 21h, quando recebe o Cruzeiro na Vila Belmiro.

Venda de cativas funciona, e Santos tem maior público e renda na Vila em 2019

O Santos teve o maior público e renda de 2019 na Vila Belmiro no empate em 1 a 1 com o São Paulo no último sábado, pela 33ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O Peixe esgotou os ingressos na terça-feira e recebeu 14.062 torcedores no clássico, com arrecadação bruta de R$ 602.192,50.

“O que me deixou feliz foi o público de hoje… Mais de 14 mil. Melhor público do Santos na Vila nos últimos anos”, disse o presidente José Carlos Peres, à Gazeta Esportiva.

O Alvinegro comercializou cerca de 1000 cadeiras e potencializou o setor social do estádio. A medida de colocar no sistema de vendas as cativas inadimplentes surtiu efeito.

Sampaoli comenta visita de Bolsonaro à Vila e defende democracia

A presença de Jair Bolsonaro na Vila Belmiro, para assistir ao clássico entre Santos e São Paulo, causou polêmica. Entre notas de repúdio das torcidas organizadas e pedido de respeito do presidente José Carlos Peres, o técnico Jorge Sampaoli também comentou sobre o tema.

Auto-declarado como de “centro-esquerda” no espectro político, Sampaoli falou que não poderia proibir a presença de Bolsonaro no estádio. O treinador colocou as diferenças políticas de lado e entendeu o direito do Presidente comparecer ao jogo.

“É democracia. Temos que defender liberdade e democracia. Sou treinador. Não sei em que cabeça cabe que posso proibir a presença do Bolsonaro, vindo de outro país é até uma falta de respeito”, iniciou o treinador.

Sampaoli voltou a falar sobre defender a democracia. O argentino foi ativista político na sua juventude, nos tempos de ditadura militar no país vizinho, e relembrou a época, fazendo um paralelo com a situação política na Bolívia.

“Mais do que pensamentos políticos, temos que defender a democracia. Vivi ditadura no país e nunca deixarei de defender a democracia. Olhem a Bolívia. O que eu mais desejo é não voltar a um lugar de execução como vivi na minha infância”, finalizou.

Bolsonaro chegou à Vila Belmiro minutos antes da bola rolar. O Presidente visitou o Memorial das Conquistas do clube, passou pelas cativas, onde tirou fotos com alguns torcedores, e assistiu a partida no camarote da presidência, com a camisa do Santos.

“Minha vontade era ter dado um soco na cara dele”, diz Sasha após confusão com Jorge ( Em 18/11/2019 )

Eduardo Sasha foi sincero em coletiva realizada nesta segunda-feira. Quando questionado sobre o desentendimento com Jorge no clássico com o São Paulo, o atacante do Santos revelou que passou por sua cabeça dar um soco no companheiro e ainda disse que perdeu o respeito pelo defensor.

No primeiro tempo, Jorge optou por finalizar uma jogada a gol em vez de tocar para Sasha, que reclamou da opção do defensor. O lateral foi em direção ao centroavante e colocou o dedo no rosto do companheiro durante a confusão.

“Admito que fiquei muito chateado pela situação que aconteceu, por eu ser um cara que respeito muito as pessoas, principalmente meus companheiros. Confesso que a minha vontade foi de, na hora, ter dado um soco na cara dele, mas o profissionalismo falou mais alto, porque eu sabia que se eu reagisse da forma que eu quisesse, ou de cabeça quente, eu ia acabar prejudicando demais a equipe. Depois do jogo ele me pediu desculpas, para os companheiros, mas o carinho e o respeito que eu tinha por ele acabou naquele momento”, disse Sasha.

“No meu ponto de vista, eu poderia estar errado na hora do jogo. Eu estava sozinho e ele poderia ter efetuado o passe para eu ter a oportunidade de finalizar. Não foi o que aconteceu, reclamei, normal do jogo, mas ele se excedeu”, completou.

Sasha ainda refletiu sobre a postura de não prolongar a discussão, uma vez que o atacante saiu de perto do lateral. “Se eu tivesse tido a mesma atitude de reagir no calor do jogo, todo o grupo seria prejudicado. O juiz acabaria expulsando os dois. Eu tive calma. Com o tempo eu aprendi que a gente deve bem pensar antes de falar alguma coisa. Pensando bem, foi a melhor coisa que eu fiz”, analisou.

Por fim, o atacante afirmou que o desentendimento não prejudicará a equipes no decorrer da temporada, revelou que Jorge pediu desculpas pela atitude e declarou Sampaoli não interviu na situação mesmo depois da partida.

“Não (vai afetar a equipe), até porque, se eu consegui me controlar naquele momento que estava de cabeça quente e não atrapalhou muito, daqui para frente não acontecerá mais nenhum incômodo dessa postura que aconteceu no jogo”, ponderou.

“Muita gente acabou nem vendo. Apenas algumas pessoas, não sei se na hora do intervalo ele (Sampaoli) estava ciente da situação. Ele (Jorge) me pediu desculpa particularmente, depois na frente do grupo. Como sou uma pessoa tranquila e tenho respeito, aceitei a desculpa. Já passou, mas o respeito que eu tinha por ele acabou naqueles segundos que ele tomou a atitude”, finalizou.


Santos 4 x 1 Botafogo

Data: 03/11/2019, domingo, 19h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 30ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 7.524 pagantes
Renda: R$ 295.827,00
Árbitro: Rodrigo Dalonso Ferreira (SC)
Auxiliares: Alex dos Santos e Éder Alexandre (ambos de SC).
Árbitro de vídeo: Andre Luiz de Freitas Castro (GO)
Cartões amarelos: Marinho (S).
Gols: Eduardo Sasha (02-1), Marinho (12-1) e Igor Cássio (33-1); Soteldo (22-2) e Soteldo (23-2).

SANTOS
Everson; Pará, Lucas Veríssimo, Gustavo Henrique e Jorge; Diego Pituca, Evandro (Jobson) e Carlos Sánchez; Marinho (Venuto), Soteldo e Eduardo Sasha (Tailson).
Técnico: Jorge Sampaoli

BOTAFOGO
Gatito Fernández; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Yuri; Wenderson, João Paulo e Gustavo Bochecha (Alex Santana); Marcinho (Leonardo Valencia), Igor Cássio e Victor Rangel (Vinicius Tanque).
Técnico: Alberto Valentim



Santos goleia o Botafogo na Vila Belmiro com show de Marinho e Soteldo

O Santos venceu o Botafogo por 4 a 1 na noite deste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Soteldo (2), Eduardo Sasha e Marinho. Os cariocas fizeram o de honra com Igor Cássio.

O Peixe contou com alto nível de Soteldo e Marinho para construir a goleada. O camisa 10 fez dois gols, enquanto o dono do “mini míssil” anotou um e deu uma assistência.

Com a vitória, o Alvinegro da Vila segue na terceira colocação do Brasileirão, agora com 58 pontos, a cinco do Palmeiras e a 13 de distância para o líder Flamengo. Ameaçado pelo rebaixamento, o Fogão é o 14º, com 33.

O jogo

O Santos começou a partida on fire. O Botafogo foi acuado logo nas primeiras ações do Peixe e o gol não demorou a sair. Carlos Sánchez cobrou escanteio, Lucas Veríssimo escorou e Eduardo Sasha apareceu no segundo pau para abrir o placar no segundo minuto de jogo.

O Alvinegro seguiu em cima do Botafogo e Marinho marcou o segundo, em mais um gol de fora da área. O atacante fez seu primeiro diante dos cariocas, no primeiro turno, também da intermediária ofensiva.

O Santos diminuiu o ritmo após ampliar e o Fogão, aos poucos, equilibrou. As melhores jogadas foram criadas pelo alto. E foi assim que Igor Cássio marcou aos 33, depois de saída ruim de Everson em escanteio.

O Peixe “acordou” e criou chances com Evandro e Eduardo Sasha, mas parou em Gatito. 2 a 1 no intervalo.

O Santos voltou para a etapa final como começou a inicial. Aos 5, Soteldo cruzou e Marinho quase fez. No minuto 8, Marinho fez fila e chutou forte. Gatito defendeu essa finalização e também o rebote de Soteldo.

O Botafogo voltou a assustar quando o placar marcava 21. Jobson errou, João Paulo roubou e chutou para Everson espalmar. Jorge fez corte providencial no rebote. E aí brilhou a estrela de Soteldo.

O camisa 10 aproveitou passe de Marinho no contra-ataque e fez o terceiro. Um minuto depois, recebeu pela esquerda, driblou e fez um golaço no ângulo de Gatito. 4 a 1. O venezuelano ainda acertou a trave aos 27.

Os dois gols em dois minutos acabaram com qualquer chance do Botafogo. O Santos seguiu em cima e poderia ter feito ainda mais. Vitória merecida dos donos da casa.

Bastidores – Santos TV:

Sampaoli se emociona com goleada e revela “dívida” com o Santos

O técnico Jorge Sampaoli ficou emocionado com a goleada do Santos por 4 a 1 sobre o Botafogo neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O argentino destacou a superioridade do Peixe em relação ao Fogão e a busca incessante por mais gols.

“Não conhecia o torneio, tratei de aprender. Estou muito feliz pelo que a equipe fez em 11 meses. Não só pelos pontos, mas pela campanha com jogadores novos, jovens. Fomos primeiro, segundo ou terceiro ano. Por partidas como a de hoje, que emocionam. Equipe poderia ter feito cinco ou seis. Foi muito superior ao rival, não renuncia ao ataque por nada. Tomara que isso fique marcado com o tempo. Equipe que representa bem o Santos e a eles mesmos em campo e também a cidade. Esse tipo de jogo é o que nos entusiasma. Não negociar a forma. É o mais importante e que nos levou a esse lugar”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

Sampaoli fez elogios, mas também alertou a equipe sobre a queda do ritmo. O Santos fez 2 a 0, sofreu o primeiro e quase se complicou na Vila.

“Tem que ser mais intenso, jogar rápido, passar mais rápido a bola. Demoramos no centro de campo para encontrar o passe seguinte. Isso torna a equipe um pouco lenta. Temos que encontrar quem está bem posicionado para fazer dano. Primeiros 20 minutos foram incríveis, depois 10 minutos que não nos encontramos com o gol sofrido e nos encontramos. É a evolução coletiva, individualmente não acho que faremos diferente do resto. Coletivamente, podemos fazer o que o povo santista quer”, afirmou.

“Volto a sentir que tentamos evoluir nosso estado de ânimo. Nos gerou o gol de bola parada, voltou a nos afetar. Foram 15 minutos quase cegos sem encontrar linha de passe, gerir o jogo. Depois no segundo tempo tivemos clareza conceitual com argumentos que nos permitiram ganhar com diferença”, emendou.

Por fim, Jorge Sampaoli falou sobre a autocobrança para ver o Santos igual na Vila Belmiro ou em qualquer outro lugar. O Peixe enfrentará Avaí e Goiás fora na sequência do Brasileirão. O Alvinegro é o terceiro colocado, com 58 pontos, a cinco do Palmeiras e a 13 do líder Flamengo.

“É uma dúvida pendente comigo, de não desfrutar o ataque em outros lugares como na Vila. Todas minhas equipes jogaram igual em todos os campos. Para nós custa um pouco desenvolver fora. Mandos são fortes no Brasil, se sente um pouco. Muita paixão pela casa e ambientes difíceis. Seguiremos trabalhando. Esses seis pontos são muito importantes. Equipes estão ganhando e nos obrigam a ganhar para irmos para a Libertadores. Então temos que ganhar”, concluiu.

“Fantásticos”: Sampaoli explica opção por Evandro e Sánchez “sócios” no Santos

O técnico do Santos, Jorge Sampaoli, está satisfeito com a presença de Evandro e Sánchez juntos no meio-campo do Santos. Eles atuaram na armação nas vitórias sobre Bahia e Botafogo.

O treinador admite a dificuldade defensiva de escalar a dupla, mas valoriza a construção ofensiva dos experientes jogadores. Evandro tem 33 anos. Sánchez, 34.

“Jogar com Sánchez e Evandro é tratar de jogar com quem gera muito em todo o ano. Sánchez na direita e Evandro na esquerda, a bola chega, não voltam para buscar. Dois jogadores com clareza para o ataque. Sánchez fez grande jogo, faltou o gol, mas gerou muito desconforto a João Pedro, volante central do Botafogo. Evandro teve complicação, não fez o que esperávamos, mas nos dá a clareza que necessitamos. Custa um pouco a marcação no defensivo, podemos sofrer, mas controlamos o jogo, nos dão muito ataque e compromisso com a equipe. São fantásticos e importante que estejam juntos e se complementem, que sejam sócios do ataque do Santos”, disse Sampaoli, em entrevista coletiva.

A complicação citada por Sampaoli foi um corte na nádega de Evandro. Nas redes sociais, vários torcedores alertaram sobre a possibilidade de ser uma hemorroida, inclusive o youtuber botafoguense Felipe Neto – fato negado pela assessoria de imprensa do Peixe.

Marinho desabafa e conta com apoio de Sampaoli no Santos: “Parte da evolução”

Marinho foi um dos destaques em campo e fora dele durante a vitória do Santos por 4 a 1 sobre o Botafogo neste domingo, na Vila Belmiro, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro.

O atacante fez um golaço contra o Fogão, no primeiro turno, e classificou o chute como “mini míssil aleatório”. Ao marcar novamente diante dos cariocas, a reportagem do Premiere pediu para ele dar o nome ao gol no intervalo. E a resposta foi surpreendente.

“Hoje não vou dar nome para esse gol, não. Gol é gol. É o trabalho que venho fazendo. Muita gente me conhece só por meme. Então, vocês têm de começar a olhar um pouquinho pra mim também como jogador de futebol, porque sou bom pra c…, entendeu?”, disse Marinho, irritado.

No apito final, Marinho mudou o tom e pediu desculpa ao jornalista. O carismático atleta explicou o desabafo.

“Resultado do trabalho. Peço desculpa, fui um pouco grosso (com o repórter). Nome do gol é trabalho. Me conhecem por ser brincalhão, tudo vira meme. Foi um desabafo. Aqui tem um cara que joga para caramba, se dedica”, afirmou.

Em entrevista coletiva, Jorge Sampaoli concordou com o Marinho e encheu seu jogador de elogios.

“Parte da evolução. Tudo com Marinho é risonho, mas ele é um grande jogador. Aprende a buscar companheiro, habilitar, soma assistências e gols. É importante que se valorize não só por extrovertido, mas pelo potencial como atacante. Espero que esteja assim na próxima partida para ajudar o Santos na classificação para a Libertadores. Aprende a não ser individual e jogar para os companheiros. Ser reconhecido como jogador e não só pelas piadas é um bom passo”, avaliou.

Marinho foi contratado neste ano e tem quatro gols e três assistências pelo Santos. O contrato vai até 2022.