Navegando Posts marcados como Wesley

Santos 2 x 1 Mirassol

Data: 21/02/2010, domingo, 17h00
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio José Maria de Campos Maia, em Mirassol, SP.
Público: 8.370 pagantes
Renda: R$ 314.570,00
Árbitro: Fabio de Jesus Volpato Mendes (SP).
Auxiliares: Felippe Cirillo Penteado e Tercio Roberto Thomson Nogueira (ambos de SP)
Cartões amarelos: Anderson Paim, Bruno Perone, Bosco, Diogo Orlando e Alex Silva (M); Roberto Brum, André, Maikon Leite, Felipe e Rodrigo Mancha (S).
Gols: Wesley (27-1), Gérson (36-1) e Madson (13-2).

MIRASSOL
Renê; Bosco (Erick), Bruno Perone, Douglas e Anderson Paim; Diogo Orlando, Gérson (Anderson Luís), Alex Silva e Éder (Pablo Escobar); Lins e Evando.
Técnico: Pintado

SANTOS
Felipe; Roberto Brum, Edu Dracena, Durval e Pará; Rodrigo Mancha, Wesley, Madson (Germano) e Marquinhos (Maranhão); Robinho (Maikon Leite) e André.
Técnico: Dorival Júnior



Robinho passa em branco, mas Santos bate Mirassol

Peixe encontrou algumas dificuldades, mas com gols de Wesley e Madson, venceu fora de casa e manteve a vantagem de quatro pontos para o segundo colocado

Líder do Campeonato Paulista, o Santos entrou em campo para abrir maior vantagem na ponta da competição, e conseguiu. Diante do Mirassol, os alvinegros venceram por 2 a 1, em pleno Estádio José Maria de Campos Maia e chegaram aos 25 pontos, quatro a mais que o agora vice-líder Santo André. Já a equipe do interior segue com apenas dez pontos.

O jogo

Mesmo jogando fora de casa, o Santos mostrou o mesmo futebol ofensivo de outras rodadas e foi ao ataque, criando boas chances de gol. Porém, também dava espaços para os anfitriões chegarem com perigo. Aos 26 minutos, Wesley puxou rápido contra-ataque, a defesa do Mirassol vacilou e o atleta soltou a canhota. O goleiro Renê ainda foi mal e não conseguiu defender.

Dez minutos após marcar um belo gol, Wesley não levou sorte e acabou sendo fundamental para o empate dos locais. Em cobrança de falta de Gerson, a bola desviou no meia, que estava na barreira, e enganou o goleiro Felipe, que ficou parado no lance.

Para a segunda etapa, ambos os treinadores usaram seus bancos de reservas. Enquanto Dorival Júnior colocou Maranhão no lugar de Marquinhos, Pintado sacou Eder para dar chance a Pablo Escobar, boliviano que defendeu o Santo André na última temporada do futebol brasileiro.

Com 12 minutos de bola rolando, o Santos voltou a tomar a dianteira do marcador, e novamente em falha de Renê. Em falta da ponta da grande área, o baixinho Madson bateu direto para o gol e o arqueiro adversário pulou mal, deixando a bola entrar em suas redes.

Atrás do marcador, o Mirassol partiu para o ataque e levou perigo à defesa santista. Aos 17 minutos, Felipe apareceu para fazer bela defesa em chute do atacante Lins. Pouco depois, foi Pablo Escobar quem fez o goleiro trabalhar. Mas a equipe praieira conseguiu resistir à pressão.


Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) Reportagem do Globo Esporte.

Santos 6 x 3 Bragantino

Data: 18/02/2010, quinta-feira, 21h00.
Competição: Campeonato Paulista
Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 11.794,00 pagantes
Renda: R$ 262.850,00
Árbitro: Leonardo Ferreira Lima
Auxiliares: Reinaldo Rodrigues dos Santos e Fábio Aparecido Gomes Ribeiro
Cartões amarelos: Roberto Brum, Edu Dracena, Neymar e Paulo Henrique (S); Da Silva, Paulinho, Francis e Juninho Quixadá (B).
Gols: Wesley (23-1), Robinho (28-1), André (42-1); André (02-2), Diego Macedo (08-2), Robinho (12-2), Frontini (29-2, de pênalti), Rodriguinho (39-2) e Zé Eduardo (45-2).

SANTOS
Felipe; Roberto Brum, Edu Dracena, Durval e Pará; Rodrigo Mancha, Wesley e Paulo Henrique; Neymar (Madson), André (Giovanni) e Robinho (Zé Eduardo)
Técnico: Dorival Júnior

BRAGANTINO
Gilvan;Marcelo Godri, Da Silva e Maurício; Diego Macedo, Francis (Danilo Gomes), Paulinho, Lúcio (Rodriguinho) e Giba (Esquerdinha); Juninho Quixadá e Frontini
Técnico: Marcelo Veiga



Em sua volta à Vila, Robinho comanda show e Santos goleia

Atacante marcou dois dos seis gols do Peixe, que levou três do Bragantino, mas venceu e se mantém líder do Paulistão

Em seu reencontro com a Vila Belmiro, após pouco mais de quatro anos, Robinho deu show. O atacante comandou a goleada do Santos sobre o Bragantino, por 6 a 3, nesta quinta-feira. Autor de dois gols e tendo participado do terceiro e quarto tentos santistas, marcados por André, o ‘Rei das Pedaladas’ foi o grande destaque do jogo.

Com mais este triunfo, o sexta consecutivo, o Peixe se consolidou na liderança do Paulistão, agora com 22 pontos ganhos – quatro a mais que Botafogo-SP, Corinthians e Santo André, segundo, terceiro e quarto colocados, respectivamente. Já o Braga caiu duas posições em relação ao começo da rodada: está no 12° lugar, com nove pontos.

O jogo

Empurrado pela torcida, que compareceu em bom número à Vila, o Santos começou a partida levando perigo ao gol de Gilvan. Aos quatro minutos, Robinho tocou para Neymar, que devolveu a bola, com um toque de categoria. O ‘Rei das Pedaladas’ bateu cruzado, mas a bola saiu à esquerda do gol, rente à trave esquerda.

Aos 20, o Peixe, com seu esquema ofensivo, teve mais uma boa oportunidade de balançar as redes adversárias. Neymar começou a jogada, tentando passar a bola para o centroavante André. A zaga visitante tentou afastar o perigo, mas a bola caiu nos pés do próprio Neymar que, da entrada da área, soltou a bomba. A bola explodiu no travessão, assustando mais uma vez o arqueiro do Braga.

Se em duas chances os santistas quase tinham aberto o placar, aos 23, o gol saiu. Wesley começou a jogada, tocando para Neymar, que driblou a marcação e rolou para a entrada da pequena área, procurando André. A defesa do Bragantino cortou parcialmente e, no rebote, Wesley ajeitou e arriscou de fora da área. O meia pegou muito bem na bola e com um chute forte, rasteiro, venceu o goleiro Gilvan: 1 a 0 para o Alvinegro Praiano.

Com a vantagem no marcador, o Santos passou a jogar com mais tranquilidade. E o segundo gol não demorou a sair. Aos 28, Neymar cobrou uma falta do lado direito, André desviou a bola e Robinho, livre, completou para o gol. O tento anotado pelo ‘Rei das Pedaladas’ levou o torcedor ao delírio, em sua primeira apresentação, desde que retornou ao clube, na Vila Belmiro.

Mais solto em campo, o camisa 7 passou, junto com Neymar, a realizar lances de efeito, em alta velocidade, que confundiam a zaga rival. Aos 42, o ‘Rei das Pedaladas’ iniciou a jogada do terceiro gol santista. O atacante, com grande visão de jogo, encontrou André, na grande área. O jovem centroavante protegeu bem a bola, girou sobre a marcação e concluiu, sem chances para Gilvan, que nada pôde fazer e o Peixe foi para o intervalo, goleando por 3 a 0.

Na volta para a etapa complementar, os donos da casa não diminuíram o ritmo e continuaram em busca do gol, que veio novamente com André. Logo aos dois minutos do segundo tempo, Robinho tocou de calcanhar para Neymar, que chutou da entrada da área. Gilvan defendeu, porém, na sobra, o centroavante completou para o fundo das redes, marcando o quarto do Alvinegro Praiano na Vila.

Procurando diminuir a empolgação santista, o Bragantino se aventurou no campo de ataque e conseguiu o seu primeiro gol. Aos oito, o lateral direito Diego Macedo cobrou falta com perfeição, no canto direito de Felipe, descontando para o time de Bragança Paulista.

No entanto, o gol do Braga não fez com quem o Santos parasse de atacar. Aos 12, depois de uma falta no meio-campo, Paulo Henrique cobrou rapidamente para Robinho. Sozinho e com bastante espaço para escolher o que iria fazer, o ‘Rei das Pedaladas’ encobriu o goleiro do Bragantino, com um toque sutil por debaixo da bola, para marcar o quinto de sua equipe, o seu segundo gol na partida.

Mais relaxado em campo com a grande vantagem a seu favor, o Peixe acabou diminuindo a sua velocidade – muito em conta pela saída de André e Neymar para as entradas de Giovanni e Madson, respectivamente. Com isso, os visitantes aproveitaram para marcar mais um gol. Aos 29, em cobrança de pênalti, Frontini anotou o segundo gol do Braga.

Se aproveitando do bom momento, o Bragantino chegou a mais um gol. Aos 39, Rodriguinho recebeu na intermediária e bateu, com categoria, no canto esquerdo de Felipe, sem chances para o goleiro santista.

Mas a reação dos visitantes parou por aí. Em contra-ataque, o Alvinegro Praiano definiu o confronto. Aos 45, Zé Eduardo tocou para Madson, que recebeu livre no lado esquerdo da grande área. O ‘baixinho’ rolou de volta para o meia, que antes da zaga do Braga chegar, tocou para o gol vazio, marcando o sexto gol do Santos e assegurando mais uma vitória do Peixe na competição.



Vídeos: (1) Melhores momentos, (2) Reportagem do Globo Esporte e (3) Bastidores Santos TV.

Santos 5 x 0 Grêmio Barueri

Data: 27/01/2010, quarta-feira, 19h30.
Competição: Campeonato Paulista – 4ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 5.294 pagantes
Renda: R$ 116.280,00
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Hilton Francisco de Melo e Daniel Luis Marques
Cartões amarelos: Éder, Diego e Daniel Marques (B); Bruno Rodrigo, Rodrigo Mancha e Neymar (S).
Cartão vermelho: Diego e Marcelinho (B).
Gols: André (33-1); Wesley (25-2), Zé Eduardo (28-2), Neymar (33-2) e Neymar (42-2, de pênalti).

SANTOS
Felipe; Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Léo; Rodrigo Mancha, Wesley, Marquinhos (Breitner) e Paulo Henrique (Alan Patrick); Neymar e André (Zé Eduardo)
Técnico: Dorival Júnior

GRÊMIO BARUERI
Márcio; Eder, Daniel Marques, Diego e Jefferson; Anderson (João Vitor), Marcos Assunção, Marcelo Oliveira e Carlos Eduardo (Ji Paraná); Flavinho (Marcelinho) e Tadeu
Técnico: Vinícius Eutrópio



Com exibição de gala, Santos se recupera e goleia o Barueri

Neymar comandou o passeio santista na Vila, marcando dois na goleada por 5 a 0 sobre o adversário

Com uma grande exibição, o Santos se reabilitou na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, após perder para o Mogi Mirim. O Peixe goleou o Barueri, por 5 a 0, com um bom futebol de toda a equipe, principalmente do atacante Neymar, que marcou dois gols. André, Wesley e Zé Eduardo completaram a goleada, em confronto válido pela quarta rodada do Campeonato Paulista.

Na próxima rodada, os santistas recebem o Oeste, sábado, a partir das 19h30 (horário de Brasília), na Vila Belmiro. O duelo, que inicialmente estava marcado para o Pacaembu, foi re-agendado para o estádio alvinegro. No mesmo dia, só que às 17 horas, a Abelha recebe o Rio Claro, no Estádio Eduardo José Farah, em Presidente Prudente.

O jogo

O jogo começou com o Santos pressionando os visitantes, desde o início. Logo aos 6 minutos, cobrança de falta de Marquinhos. Na sequência, o próprio Marquinhos tabelou com Paulo Henrique e na hora da finalização o desvio do zagueiro ajudou o goleiro do Barueri, Márcio, a realizar boa defesa, evitando assim o primeiro gol santista.

Pouco depois, aos oito, foi a vez de Neymar quase deixar a sua marca. O atacante driblou três adversários e na hora do arremate, o desvio da zaga evitou que o camisa 7 inaugurasse o marcador.

Insistindo na pressão sobre a Abelha, o Peixe não parava de criar oportunidades para abrir o placar. Com 20 minutos, o atacante André tocou de calcanhar para Ganso, que exagerou no preciosismo, ao tentar driblar o seu marcador, dentro da área. Na sobra, André bateu com força, para grande defesa de Márcio, que espalmou a bola para fora da grande área.

Em cima do Barueri, os alvinegros mais uma vez chegaram com perigo. Aos 22, Neymar chutou para defesa parcial de Márcio, que ainda teve tempo de se recuperar e defender a finalização de André, no rebote, salvando o Barueri.

Apresentando um grande volume de jogo, o Santos desperdiçou outra grande oportunidade de abrir o placar. Aos 25, Pará tocou para André, que fez o corta-luz para Paulo Henrique. Só que o meia não soube aproveitar a chance que teve, batendo de perna esquerda, para fora.

Mas, de tanto insistir, finalmente os santistas abriram a contagem. Aos 33, o lateral Léo dominou a bola pela esquerda, fez boa jogada individual, brilhando quatro defensores, antes de chutar de perna direita para o gol. A bola bateu na trave e no rebote, livre, sem marcação, o jovem André teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o fundo das redes: 1 a 0.

Depois de um grande primeiro tempo, a Abelha voltou com uma postura mais agressiva para a etapa complementar, tentando esboçar uma reação. Com João Vitor no lugar de Anderson, os visitantes ganharam em criatividade, incomodando um pouco mais a defesa do Peixe.

Logo aos 5 minutos, o Barueri quase chegou ao empate. Flavinho fez bom lance individual e na saída do goleiro Felipe, mandou a bola no travessão. No decorrer da jogada, o meia Carlos Eduardo ainda arriscou um chute no canto esquerdo de Felipe, que espalmou a bola para escanteio.

No entanto, apesar da Abelha tentar exercer uma pressão sobre os alvinegros, a expulsão do zagueiro Diego pôs tudo a perder. Com um a mais em campo, os santistas não deram mais chances ao seu oponente.

Aos 25, Neymar iniciou a jogada, Marquinhos tocou para trás e Wesley, da entrada da área e contando com um desvio na defesa, marcou o segundo gol do Santos. Três minutos depois, Neymar fez novamente uma jogada pelo lado esquerdo e tocou para Zé Eduardo, que fazia a sua estreia e havia acabado de entrar no lugar de André, vencer o goleiro, anotando o terceiro gol do time da Vila Belmiro. Inspirado, o atacante Neymar deixou para o final do confronto o seu show particular.

Aos 33, o jovem avante fez grande jogada, ao receber um lançamento pelo lado esquerdo, driblar o lateral Éder, deixando-o no chão, antes de mandar a bola para o fundo do gol.

Antes do final do jogo, Neymar ainda teve tempo para fazer mais um. Em cobrança de pênalti, aos 42, o garoto santista anotou o seu segundo gol na partida, definindo o placar e fazendo a alegria da torcida que compareceu a Vila Belmiro.



Vídeos: (1) Melhores momentos e (2) torcida organizada protesta contra Émerson Leão.

Santos 3 x 1 Guarani

Data: 21/02/2008, quinta-feira, 20h30.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 10ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.469 pagantes
Renda: R$ 43.685,00
Árbitro: Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral
Auxiliares: Márcio Luiz Augusto e Alex Alexandrino
Cartões amarelos: Marcinho Guerreiro (S); Juliano e Roger Bernardo (G).
Gols: Kléber Pereira (16-1) e Wesley (46-1); Paulo Santos (10-2) e Kléber Pereira (29-2).

SANTOS
Fábio Costa; Denis, Adaílton, Betão e Carleto; Marcinho Guerreiro, Rodrigo Souto e Molina (Paulo Henrique); Wesley (Quiñonez), Kléber Pereira e Trípodi (Tiago Luís).
Técnico: Emerson Leão

GUARANI
Gisiel; Lucas (Henrique), Xandão, Danilo Silva e Roque (Jônathas), Roger Bernardo, João Paulo, Paulo Santos e Marcinho; Fábio Pinto (Andrézinho) e Juliano.
Técnico: Jair Picerni



Kléber Pereira brilha, Santos vence Guarani e deixa zona de risco

Kléber Pereira havia atraído os holofotes na véspera de Santos x Guarani, quando perdera um dente após dividida com seu colega Domingos. O atacante novamente virou notícia nesta quinta-feira, desta vez por participar dos três gols do time na vitória sobre o adversário por 3 a 1, na Vila Belmiro, resultado que tirou o Santos da zona de risco.

Para espantar boatos sobre uma eventual desavença com Domingos, Kléber Pereira tratou de destacar a amizade entre ambos. Em tom irônico, Pereira disse depois do jogo que Domingos não precisará pagar o dentista.

“O Domingos é um irmão que eu tenho no clube. Sempre o ajudo e o mesmo acontece com ele. Sobre o dentista, a conta é do Santos”, disse o goleador da noite.

Com esta vitória, o Santos fica um posto acima da zona de rebaixamento e ameniza as críticas da torcida ao técnico Emerson Leão.

Precisando vencer para se livrar da incômoda posição na tabela, o time da Baixada entrou em campo com a formação 4-3-3. O Santos abriu o marcador, aos 16 min, com Kléber Pereira, que recebeu um bonito passe em profundidade de Denis. O atacante se jogou para colocar a bola no canto do goleiro Gisiel.

Estreante no Santos, Mariano “Leão” Tripodi fez jus à fama de batalhador, se movimentando bastante no ataque. Aos 40 min, o argentino cabeceou ao gol do Bugre, levando perigo.

Nos acréscimos da etapa inicial, Pereira arrumou espaço na área para criar a jogada do segundo gol alvinegro. O atacante bateu cruzado na pequena área. Livre, Wesley não teve trabalho para anotar seu primeiro gol como profissional. Na comemoração, o jovem chorou.

Definitivamente recuperado de lesão no joelho, Denis novamente apareceu bem na linha de fundo. Desta vez, o ala cruzou para Tripodi, que perdeu gol inacreditável de cabeça, livre na pequena área, aos 3 min do segundo tempo.

Jogador mais lúcido do ataque do Guarani, Juliano quase diminuiu o marcador, aos 7 min, mas a bola bateu no travessão. Três minutos depois, a equipe campineira chegou ao primeiro gol. Paulo Santos acertou no canto direito de Fábio Costa cobrança de pênalti, cometida por Marcinho Guerreiro.

Muito mais presente no ataque em comparação a jogos anteriores, o Santos abusou dos erros de finalização. Assim como Tripodi, Adaílton também perdeu gol na pequena área, furando após passe do argentino, aos 17 min.

De tanto tentar, o Santos chegou ao terceiro gol novamente com Kleber Pereira, em uma jogada espetacular, driblando marcador e o goleiro, tocando sem ninguém para a meta bugrina.