Navegando Posts marcados como William

Santos 3 x 0 Paraná

Data: 04/09/2004
Competição: Copa Sul-Americana – Fase Preliminar – Jogo de Volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.949 pagantes.
Renda: R$ 32.040,00.
Árbitro: Alício Pena Júnior (MG).
Cartões amarelos: Deivid, Lelo, Elano (S), Fernando Lombardi (P).
Gols: Elano (43-1); Basílio (14-2) e William (23-2).

SANTOS
Mauro; Flávio (Bóvio), Ávalos, Domingos (André Luís), Márcio; Lelo, Marcinho, Luís Augusto, Elano; Deivid (Basílio) e William.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

PARANÁ CLUBE
Flávio; Alex Silva (Etto), Fernando Lombardi, João Paulo, Edinho; Messias, Beto, Fernando (Marcel), Cristian; Maranhão (Sinval) e Galvão.
Técnico: Paulo Campos.

Bahia 4 x 7 Santos

Data: 22/10/2003, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 38ª rodada
Local: Estádio da Fonte Nova, em Salvador (BA).
Público: 17.545 pagantes
Renda: R$ 124.257,50
Árbitro: Jorge Fernando Rabello (RJ)
Cartões amarelos: Ramos, Preto e Guto (B); Alex (S)
Gols: Didi (09-1), Robinho (14-1), Léo (16-1), Didi (22-1), Robinho (27-1) e Cícero (36-1); Preto (07-2), Diego (19-2), Diego (21-2), William (35-2) e Fabiano (46-2, de pênalti).

BAHIA
Émerson; Guto (Paulinho), Accioly, Marcelo Souza e Lino; Neto, Ramos, Preto e Cícero (Danilo); Jean Carlos (Nonato) e Didi
Técnico: Lula Pereira

SANTOS
Fábio Costa; Neném (Reginaldo Araújo), Alex, André Luís e Léo; Paulo Almeida, Renato, Elano (William) e Diego; Robinho e Fabiano
Técnico: Émerson Leão



Santos bate o Bahia em jogo de 11 gols e se aproxima do Cruzeiro

Equipe santista fica a 6 pontos do líder

O Santos está vivo no Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira à noite, o alvinegro da Vila Belmiro conquistou uma vitória histórica sobre o Bahia, por 7 a 4, no estádio da Fonte Nova, em Salvador.

Somado com a derrota do Cruzeiro para o Internacional, o time santista aproximou-se da equipe mineira, líder do Brasileirão. Após 38 rodadas, o Cruzeiro soma 76 pontos, enquanto o Santos chegou aos 70.

O resultado superou o jogo entre Vasco e Goiás, no primeiro turno da competição, que teve vitória vascaína por 6 a 4. Com os 11 gols, Santos e Bahia proporcionaram o jogo com o maior número de gols do torneio.

A vitória santista foi conquistada em grande estilo. O grande destaque do Santos na partida foi o atacante Robinho, relembrando seus melhores momentos da última temporada. Sem firulas e com um futebol objetvo, jogador marcou dois gols e participou das principais jogadas de sua equipe.

A partida, porém, não foi fácil para o Santos, que só conseguiu abrir dois gols de diferença ao marcar seu sexto gol. Até então, os times alternaram-se na liderança do placar. Só o primeiro tempo terminou com um empate por 3 a 3.

Na próxima rodada, o time do Santos terá outro difícil desafio fora de casa. O alvinegro irá até a capital paranaense para enfrentar o Coritiba, no Couto Pereira. O aliverde paranaense venceu seus últimos quatro jogos em casa.

Se o Santos vive um grande momento, o mesmo não se pode dizer do time do Bahia. Com a derrota e a vitória do Fluminense sobre o Corinthians, o tricolor baiano, com 39 pontos, caiu para a zona de rebaixamento do Brasileirão.

No próximo final de semana, o Bahia terá uma ótima oportunidade para ultrapassar novamente o time do Rio de Janeiro. Bahia e Fluminense irão se enfrentar na Fonte Nova, pela 39ª rodada do torneio.

O jogo

Logo aos 9min de partida, Preto cruzou da direita e Didi, bem colocado, subiu mais que a defesa santista e fez o primeiro gol da equipe baiana na partida.

Com as duas equipes indo ao ataque, o empate santista não demorou para acontecer. Aos 14min, em uma linda jogada, Robinho, da intermediária e marcado por três jogadores, surpreendeu o goleiro Emerson, que estava adiantado e marcou.

Ainda baqueada pelo gol de empate do Santos, a equipe baiana nem respirou e levou mais um. Aos 15min, Robinho, que tinha acabado de fazer um golaço, cruzou na cabeça de Léo, que virou para a equipe da baixada santista.

Perdido na partida, o time baiano passou a assistir o Santos tocar a bola. Mas, justamente num momento ruim em campo, o Bahia empatou novamente. Aos 22min, Preto arriscou ao gol, a bola resvalou na zaga santista e sobrou para Didi que, de primeira, empatou novamente para os tricolores.

Após o empate a partida continuou em ritmo alucinante. Mais uma vez a torcida nem respirou e novamente a bola balançou a rede. Aos 29min, Neném cruzou da direita e Robinho não desperdiçou. Santos mais uma vez na frente.

Se cinco gols já era muito para apenas 45 minutos, o sexto gol fez da etapa a mais movimentada de todo o Campeonato Brasileiro até então. Aos 37min, Cícero passou nas costas de Renato, aproveitou cruzamento e, de cabeça, empatou novamente para a equipe do técnico Lula Pereira.

Para quem esperava um segundo tempo morno após seis gols, a segunda etapa começou como a primeira. Aos três minutos, Jean Carlos obrigou Fábio Costa a uma bela defesa e que, parcialmente, garantiu o empate para a equipe paulista.

Mais uma vez o ataque levou a melhor sobre a defesa. Aos 7min, Preto bateu falta, a bola quicou na frente de Fábio Costa e enganou o goleiro. Bahia 4 a 3.

Após sete gols, até quem não tinha feito nenhum gol de bola rolando no campeonato resolveu aparecer. Aos 19min, Diego recebeu bom passe de Robinho e chutou forte, no canto direito do goleiro Emerson, que aceitou.

No que pode ser considerado o jogo das viradas, Diego fez mais um. Aos 21min, Robinho fez ótima jogada pela esquerda e cruzou para Diego, sozinho, empurrar para a rede no nono gol da partida.

O décimo gol foi o que tranqüilizou a equipe santista na partida. Fabiano deu de calcanhar para Diego, que chutou forte. O goleiro Emerson fez a defesa parcial e, no rebote, Willian fez o sexto do Santos.

Mesmo após 10 gols o jogo continuou movimentado. Aos 47min, o Santos chegou ao sétimo gol. Robinho tentou encobrir o goleiro Emerson, que defendeu. Na volta, a bola foi cruzada na área do Bahia e sobrou para William tocar para o gol. Marcelo Souza cortou com a mão. Fabiano cobrou a penalidade e fechou o placar.

Mesmo assim, Leão deixou o campo furioso após a vitória –havia 11 anos o Santos não vencia na Fonte Nova. “É inadmissível um time como o Santos tomar quatro gols em uma partida.”

Léo disse que foi uma das melhores atuações do ano. “O Santos repetiu uma atuação dos tempos de Pelé. A defesa tomou quatro gols, mas o ataque fez sete.”

São Paulo 1 x 2 Santos

Data: 04/10/2003, sábado, 18h00.
Competição: Campeonato Brasileiro – 34ª rodada
Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo, SP.
Público: 35.790
Renda: R$ 526.565,00
Árbitro: Paulo César de Oliveira (FIFA SP)
Auxiliares: Valter José dos Reis (FIFA SP) e Ednilson Corona (FIFA SP).
Cartões amarelos: Fábio Simplício e Lugano (SP); Reginaldo Araújo, Daniel, Diego, Elano e Alexandre (S).
Cartão vermelho: Carlos Alberto (SP).
Gols: William (37-1); William (10-2) e Luís Fabiano (21-2).

SÃO PAULO
Rogério Ceni; Gabriel (Galo), Júlio Santos, Diego Lugano e Fabiano; Adriano, Carlos Alberto, Fábio Simplício e Ricardinho (Fábio Santos); Diego Tardelli (Rico) e Luís Fabiano.
Técnico: Roberto Rojas

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo (Fabiano), Alex, André Luís e Léo; Daniel (Alexandre), Renato, Elano e Diego; Robinho e William.
Técnico: Emerson Leão



Em jogo movimentado, Santos vence São Paulo e volta a sonhar com o bi nacional

O Santos voltou a sonhar com o bicampeonato brasileiro neste sábado à noite. Jogando no estádio do Morumbi, a equipe venceu o clássico contra o São Paulo por 2 a 1 e diminuiu a diferença aberta pelo líder Cruzeiro na tabela de classificação na corrida pelo título.

A arbitragem do paulista Paulo César de Oliveira foi bastante contestada, especialmente por parte dos são-paulinos, que viram irregularidade nos dois lances que resultaram nos gols santistas.

Com o resultado, o Santos se isolou provisoriamente na vice-liderança da competição, com 62 pontos (cinco a menos do que o Cruzeiro, que joga neste domingo). Já o São Paulo permaneceu na quarta posição (e não poderá ser ultrapassado mais nesta rodada), com 58 pontos.

A partida começou aberta, com ambos os times jogando e deixando jogar. O Santos, porém, dominou até os 20min, quando tomou a iniciativa de atacar e perdeu três grandes chances, especialmente com Elano, logo aos 4min.

Nervoso em campo, o São Paulo não conseguia se encontrar. Quando conseguiu equilibrar a partida foi castigado com gol de William, aos 37min, que aproveitou falha da defesa são-paulina. Para piorar, Carlos Alberto foi expulso aos 46min.

O Santos continuou melhor no segundo tempo e chegou a acertar uma bola no travessão, aos 9min. Dominando a partida, os santistas ampliaram aos 10min, com William novamente.

O São Paulo não se entregou e, mesmo com um a menos, descontou aos 21min, com o artilheiro do campeonato, Luís Fabiano.

O jogo

O Santos começou a partida eletrizante. Aos 4min, Elano perdeu grande oportunidade. Ele recebeu bola na direita e, sozinho, chutou para fora.

Um minuto depois, William aproveitou cobrança de escanteio e cabeceou com perigo à direita de Rogério Ceni.

O time santista voltou a assustar aos 10min. Diego, em cobrança de falta da entrada da área, colocou a bola próxima à trave direita do goleiro são-paulino.

O São Paulo deu a resposta somente aos 23min e quase fez o gol. Simplício colocou Diego Tardelli, que estava em posição duvidosa, na frente do gol, sem marcação. Ele driblou Fábio Costa e demorou a chutar. Com isso, o goleiro santista se esticou e fez bela defesa, mandando a bola para escanteio.

Mais um bom ataque do tricolor. Aos 30min, Carlos Alberto fez boa jogada na entrada da área e abriu para Ricardinho. O meia cruzou para Luís Fabiano, livre, cabecear por cima do gol santista.

O Santos voltou a pressionar e chegou ao gol aos 37min. A jogada foi iniciada por Diego, que, da intermediária, cruzou para Léo na esquerda. Os são-paulinos ficaram reclamando de uma posição irregular do santista, não marcado pelo árbitro, que ainda conseguiu escanteio. Na cobrança, William aproveitou falha da defesa do tricolor e subiu na pequena área para abrir o placar. Rogério Ceni e Carlos Alberto apenas assistiram ao gol.

O goleiro do São Paulo ainda evitou o segundo gol santista aos 40min, após sair nos pés de William, que ia ficar com a bola sem marcação na pequena área, pela direita.

Aos 46min, Carlos Alberto segurou Robinho na esquerda, que ia sair na frente de Rogério Ceni, e foi expulso. na Na cobrança da falta, Diego quase ampliou para o Santos. A bola passou raspando a trave direita de Rogério Ceni.

O segundo tempo começou como o primeiro, com o Santos pressionando. Aos 3min, William recebeu cruzamento da esquerda e, de frente para o gol, desperdiçou grande chance. Com Rogério Ceni batido no lance, Júlio Santos apareceu e mudou a trajetória da bola, que ia entrando no gol.

Aos 9min, após boa troca de passes do ataque santista, Elano fez boa jogada na entrada da área e acertou o travessão de Rogério Ceni.

O segundo gol do Santos saiu aos 10min. O lance foi bastante contestado pelos são-paulinos. Robinho, após ter dominado a bola na esquerda com o braço, tocou para Diego, que invadiu a área e chutou. Rogério Ceni fez a defesa e, no rebote, William cabeceou para o fundo do gol. Era o segundo dele na partida.

Após Júlio Santos, aos 18min, quase marcar gol contra, o São Paulo conseguiu descontar em contra-ataque rápido. Luís Fabiano saiu em velocidade, deixando André Luís para trás, e saiu de frente para o gol, tocando na saída de Fábio Costa: 2 a 1.

O Santos voltou a assustar aos 24min. Léo recebeu na esquerda e arriscou de fora da área. A bola passou próxima à trave esquerda do goleiro são-paulino.

William, aos 37min, perdeu nova oportunidade de ampliar. Após receber cruzamento da esquerda de Léo, ele subiu sozinho na grande área, mas cabeceou para fora.

Aos 46min, Galo saiu na frente do gol santista e chutou. Fábio Costa fez grande defesa, mandando bola para escanteio.

Santos 1 x 1 Juventude

Data: 24/09/2003, quarta-feira, 21h40.
Competição: Campeonato Brasileiro – 32ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 3.557 pagantes
Renda: R$ 40.445,00
Arbitro: Clever Assunção Gonçalves (MG)
Auxiliares: Marco Antônio Martins (MG) e Marco Antônio Gomes (MG)
Cartões amarelos: Preto e Elano (S); Renatinho, Raone e Camazzola (J).
Gols: Índio (10-1) e William (30-2).

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo (Marcelo), Preto, Alex e Léo; Daniel (Alexandre), Renato, Elano e Jerri (Wellington); Robinho e William
Técnico: Emerson Leão

JUVENTUDE
Márcio; Donizete Amorim, Índio, Neto e Raone; Evandro, Léo Ignácio, Marcelo e Hugo; Geufer (Felipe) e Renatinho (Camazzola)
Técnico: José Luiz Plein



Santos só empata na Vila e perde terreno na luta pelo bicampeonato

O Santos não fez uma apresentação de gala nesta quarta-feira e sofreu para conseguir o empate por 1 a 1 diante do Juventude, na Vila Belmiro, em partida válida pela 32ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Com o empate, o time santista, que vinha de uma derrota por 3 a 0 para o Cruzeiro, chega aos 59 pontos e permanece na segunda colocação, já que a equipe mineira passou pelo Corinthians e agora soma 64.

Mesmo com a igualdade no placar, o Santos mantém um bom retrospecto em partidas disputadas na Vila Belmiro. No Brasileiro deste ano, foram 16 jogos em casa, com 11 vitórias, quatro empates e duas derrotas.

Já o Juventude permanece em situação difícil na tabela de classificação. A equipe gaúcha, que na última rodada goleou o Atlético-PR por 4 a 0, contabiliza 33 pontos ganhos, apenas dois à frente do 23º colocado, o Fluminense, que nesta quinta enfrenta o Figueirense.

Na próxima rodada, a 33ª do Brasileiro, o Santos terá pela frente o Internacional, sábado, no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre. O Juventude buscará um resultado positivo contra o Corinthians, domingo, no estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.

O jogo

O Santos deu pinta de que iria massacrar o time gaúcho. Logo no primeiro minuto, Alex soltou a bomba em cobrança de falta da intermediária. O goleiro Márcio rebateu, mas Robinho não conseguiu alcançar.

No entanto, o time santista não conseguia fazer a bola chegar ao ataque e levou o primeiro aos 10min. Depois de escanteio cobrado da esquerda por Renatinho, Índio ganhou no alto de Preto e desviou de cabeça no canto esquerdo de Fábio Costa.

Aos 20min, Elano cruzou da direita e a bola desviou na zaga. William aproveitou o rebote e, mesmo sem ângulo, bateu forte, com perigo, para fora. O Juventude deu o troco aos 30min: em jogada semelhante à do gol, Renatinho bateu escanteio e Geufer cabeceou rente à trave esquerda.

Mesmo sem empolgar e sendo vaiado pela torcida, o Santos desperdiçou grande chance para empatar aos 43min. Elano lançou Robinho, que invadiu a área, se livrou de dois marcadores apenas na ginga de corpo e tocou para William. O atacante, livre na marca do pênalti, bateu de pé esquerdo na saída de Márcio e mandou por cima do gol.

No intervalo, o técnico Emerson Leão tirou Daniel e Jerri e colocou em campo Alexandre e Wellington. O time cresceu de produção e, logo aos 5min, Elano cobrou falta da direita e Renato cabeceou com perigo, rente à trave esquerda de Márcio.

Dois minutos depois, Wellington partiu para o ataque pelo meio e lançou para William, que tocou na saída de Márcio. O goleiro conseguiu a defesa parcial e, no rebote, Robinho tentou bater, mas o arqueiro fez nova intervenção e salvou o Juventude.

Aos 15min, Renato fez boa jogada individual pela direita e cruzou com efeito, mas Léo, dentro da pequena área, mandou por cima. Elano, aos 18min, cobrou falta da meia-direita e acertou o travessão.

O Santos seguiu pressionando, mas o gol só saiu aos 30min. Elano recebeu na esquerda e cruzou no segundo pau. William entrou sozinho e, de cabeça, desviou na saída de Márcio, empatando a partida.

Depois do gol, a equipe santista seguiu pressionando o Juventude, que por todo o segundo tempo apenas se defendeu. Mesmo mantendo a posse de bola, o Santos não conseguiu finalizar com perigo e marcar o gol que daria a vitória na Vila Belmiro.

Santos 5 x 2 Criciúma

Data: 13/09/2003
Competição: Campeonato Brasileiro
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 6.821 pagantes
Renda: R$ 88.880,00
Árbitro: Wilson de Souza Mendonça (PE).
Cartões amarelos: Reginaldo Araújo (S); Paulo Baier, Léo Mineiro e Alonso (C).
Gols: William (02-1), Dejair (02-1), William (06-1), William (17-1), Renato (20-1), Renato (23-1) e Dejair (34-1).

SANTOS
Fábio Costa; Reginaldo Araújo, Preto, André Luís e Léo; Daniel, Renato, Elano (Fabiano) e Diego (Jerri); Robinho e William (Marcelo)
Técnico: Emerson Leão

CRICIÚMA
Fabiano; Duílio, Alex Xavier (Cléber) e Luciano; Paulo Baier, Léo Mineiro, Cléber Gaúcho, Sandro Fonseca (Douglas) e Luciano Almeida (Alonso); Tico e Dejair
Técnico: Gílson Kleina.



Santos atropela Criciúma em 23 minutos

Em uma apresentação de gala, o Santos atropelou o Criciúma na tarde deste sábado, na Vila Belmiro, ao golear os catarinenses por 5 a 2. O resultado manteve o Santos na ponta da tabela do Brasileirão, com 58 pontos.

Apesar da goleada, os santistas não conseguiram assumir a liderança. Com o mesmo número de pontos do Cruzeiro, que também goleou na tarde deste sábado, o time paulista perde no saldo de gols.

A partida começou muito quente. Em dois minutos de jogo, estava 1 a 1 e em 23 minutos, o Santos já havia feito cinco gols. William marcou três, Renato dois e Dejair, do Criciúma, dois – sendo um do meio de campo. A etapa inicial terminou com o placar de 5 a 2.

Na próxima rodada, o Santos protagoniza no sábado um dos jogos mais esperados da competição. O time paulista vai a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro, também líder do Brasileiro. Já o Criciúma enfrenta o Corinthians em casa, no domingo.

O jogo

A partida começou atípica na Vila Belmiro. Em seis minutos, o jogo já estava 2 a 1 para o Santos.

Logo a 1min, Elano recebeu bola na entrada da área, pela direita, e chutou cruzado. O goleiro Fabiano espalmou e, na sobra, William abriu o placar.

Na saída de bola, quando os santistas ainda comemoravam, o time catarinense deu a saída rápida – alguns jogadores do Santos ainda estavam no círculo central do campo, voltando para o campo de defesa – e Dejair, do meio de campo, viu Fábio Costa adiantado e deixou tudo igual.

Aos 6min, Reginaldo Araújo avançou pela direita e cruzou rasteiro para a área. William, novamente, apareceu para colocar o Santos em vantagem novamente.

O Santos continuou a pressionar. Aos 14min, Robinho dominou na entrada da área e chutou forte. A bola passou raspando a trave direita e Fabiano, que já estava batido no lance.

Aos 17min, após boa triangulação do time santista, William, novamente, fez o terceiro dele e o terceiro do Santos na partida. A jogada foi iniciada com Robinho que, da esquerda, cruzou para Preto na direita. O zagueiro, de cabeça, ajeitou para William fazer mais um.

Estava muito fácil. Aos 19min, Diego avançou pela direita, tocou para trás, Daniel chutou errado, mas mesmo assim a bola sobrou para Renato, na esquerda, sem marcação, fazer o quarto do Santos.

Um minuto depois, Fábio Costa salvou o time paulista, quando Tico recebeu bola dentro da área e chutou à queima-roupa para a boa defesa do goleiro santista.

Atordoada, a defesa do time catarinense não se encontrava em campo. Com isso, o Santos chegou ao quinto gol aos 23min. Elano tocou para Renato na direita que, driblou o goleiro e tocou para o fundo da rede para fazer o segundo dele no jogo: 5 a 1.

O alvinegro praiano continuou melhor, mas diminuiu o ritmo. O Criciúma, já recuperado dos gols que tomara, colocou a cabeça no lugar e partiu para cima.

Aos 25min, Dejair chutou da entrada da área e Fábio Costa fez boa defesa. Na seqüência, Robinho arrancou em velocidade e chutou da intermediária. Fabiano se esticou e mandou a bola para escanteio.

Mesmo sendo pressionado, os catarinenses descontaram antes do final do primeiro tempo, após bobeada da defesa santista. Aos 34min, Dejair recebeu bola sem marcação na grande área e tocou na saída de Fábio Costa.

No segundo tempo, o Santos perdeu a chance de aumentar a diferença logo aos 6min. Robinho chutou travado na grande área e a bola sobrou para William que, de cabeça, desperdiçou a chance de frente para o goleiro Fabiano.

O Santos diminuiu o ritmo e permitiu ao adversário crescer em campo. Aos 19min, após cobrança de falta em dois lances, Paulo Baier rolou bola para Dejair que, da entrada da área, chutou forte para a difícil defesa de Fábio Costa, assustando a torcida santista.

Dois minutos depois, contra-ataque rápido do time do litoral paulista, e a bola ficou com Elano na direita. Meio desequilibrado, ele chutou cruzado, mas Fabiano fez a defesa.

O goleiro do Criciúma voltou a salvar seu time aos 24min. Desta vez, após chute forte de Robinho da entrada da área.

Aos 34min, foi a vez do goleiro santista fazer boa defesa. Paulo Baier cabeceou à queima-roupa e Fábio Costa se esticou para afastar o perigo. Os catarinenses aproveitaram o rebote e, na seqüência, Léo Mineiro cabeceou para fora.

O Santos chegou ao sexto gol com Marcelo, aos 42min, mas foi anulado pela arbitragem, marcando impedimento. Fabiano ainda acertou a trave de Fabiano aos 46min.