Navegando Posts marcados como Zé Roberto

Santos 3 x 1 Grêmio

Data: 06/06/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Copa Libertadores – Semifinal – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Renda: R$ 471 540,00
Público: 19.788 pagantes
Árbitro: Carlos Torres (PAR)
Auxiliares: Manuel Bernal e Nicolas Yegros (ambos do PAR).
Cartões amarelos: Marcos Aurélio e Cleber Santana (S); Sandro Goiano (G).
Gols: Diego Souza (23-1), Renatinho (46-1); Renatinho (15-2) e Zé Roberto (32-2)

SANTOS
Fábio Costa, Alessandro (Rodrigo Tabata), Adaílton, Domingos e Kléber; Rodrigo Souto, Cléber Santana, Pedrinho (Moraes) e Zé Roberto; Renatinho (Jonas) 0e Marcos Aurélio.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GRÊMIO
Saja, Patrício, William, Teco e Lúcio; Gavilán, Sandro Goiano, Diego Souza e Tcheco (Edmílson); Carlos Eduardo (Ramon) e Douglas (Lucas).
Técnico: Mano Menezes



Grêmio perde para o Santos mas está na final da Libertadores

Precisando de três gols de diferença, o Santos, que contou com a torcida especial de Pelé, começou atacando e desperdiçou boa chance logo aos cinco minutos com Renatinho. Depois de boa jogada de Marcos Aurélio, o jovem atacante santista chutou, mas o goleiro Saja salvou o Grêmio. O Santos ainda perdeu outra oportunidade de abrir o placar aos 12 com Zé Roberto.

O Grêmio só chegou ao ataque aos 23 mas, ao contrário do Santos, foi preciso. Diego Souza, de fora da área, acertou um belo chute e aumentou a vantagem do tricolor gaúcho.

O Santos ainda teve um gol anulado aos 41. O zagueiro do Grêmio marcou contra, depois de cobrança de escanteio, mas o jogador do Santos que participou da jogada estava impedido e o assistente anulou. O empate santista saiu aos 47 com Renatinho.

Na saída para o intervalo, o técnico Vanderlei Luxemburgo reclamou do lance do gol do Grêmio, em que teria havido falta no jogador santista.

O Santos quase virou o jogo logo aos dez minutos, em chute de Renatinho que passou à direita do gol de Saja. Aos 16, novamente Renatinho, em um lance de oportunismo, marcou o segundo do Santos depois de confusão na área.

O time da Vila Belmiro passou a pressionar ainda mais e o terceiro gol saiu aos 31 em um bonito chute de Zé Roberto de fora da área. Precisando de mais um gol para se classificar para a final, o Santos deixou o jogo mais eletrizante mas, o gol que daria a vaga na final não veio.

Santos 3 x 2 Caracas

Data: 10/05/2007, quinta-feira, 18h30.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de volta
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 10.826 pagantes
Renda: R$ 168.960
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Atilio Invernizzi e Manuel Bernal (ambos do PAR)
Cartões amarelos: Vizcarrondo, Luis Vera, González e Rojas (C); Zé Roberto (S).
Cartão vermelho: Adaílton (S)
Gols: Rey (22-1), Carpintero (32-1), Adaílton (34-1) e Zé Roberto (40-1); Zé Roberto (21-2).

SANTOS
Fábio Costa; Maldonado, Ávalos, Adaílton e Kléber; Rodrigo Souto, Cléber Santana, Pedrinho (Rodrigo Tabata) e Zé Roberto; Marcos Aurélio (Marcelo) e Jonas (Renatinho)
Técnico: Wanderley Luxemburgo

CARACAS
Javier Toyo; Vizcarrondo, Rey, Rouga e Pérez; Luis Vera (Vera), Weymar Olivares (Depablos), Jorge Rojas e Cesar González; Iván Velásquez (Castellín) e Carpintero
Técnico: Noel Sanvicente



Santos leva susto, mas avança na Libertadores e enfrenta o América-MEX

O Santos levou um susto nesta quinta-feira na Vila Belmiro. Favorita no confronto, a equipe do técnico Vanderlei Luxemburgo chegou a estar perdendo por 2 a 0, mas virou, venceu o Caracas (Venezuela) por 3 a 2 e avançou às quartas-de-final da Taça Libertadores.

O próximo adversário santista será o América-MEX. Os jogos estão previstos para os dias 16 e 23 de maio, segundo o calendário da Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol).

Após assegurar o título do Campeonato Paulista no último domingo, diante do São Caetano, o técnico Vanderlei Luxemburgo optou por uma formação ofensiva na partida de hoje, com Pedrinho e Zé Roberto na armação das jogadas e Jonas e Marcos Aurélio no ataque.

Com a vantagem de poder empatar por 0 a 0 ou 1 a 1 –houve empate em 2 a 2 na Venezuela–, o Santos procurou tocar a bola no início da partida, e as chances demoraram a sair.

A primeira foi do Caracas, aos 23min do primeiro tempo, e o time venezuelano abriu o placar. O zagueiro Rey cobrou falta com violência e a bola entrou no canto do goleiro Fábio Costa.

Após o susto, o time da Baixada tentou atacar e criou uma boa oportunidade aos 29min, quando o atacante Marcos Aurélio dominou bola dentro da área e chutou cruzado, mas o goleiro Toyo defendeu.

Aos 32min, no entanto, o time venezuelano chegou aos segundo gol. Após cruzamento da direita, Carpintero se antecipou à zaga do Santos e marcou de cabeça, 2 a 0.

O Santos, então, reagiu. Aos 35min, após jogada pela direita, a bola sobrou para o zagueiro Adaílton, que tirou do alcance do goleiro e marcou o primeiro gol santista.

Aos 42min, com outra atitude em campo, o Santos empatou. Zé Roberto conseguiu desviar com o calcanhar um chute cruzado e a bola entrou devagar.

“Tomamos dois gols de bobeira, mas depois acordamos e conseguimos o empate”, disse Zé Roberto, na saída para o intervalo.

Na etapa final, o Santos virou e assegurou a classificação. Zé Roberto recebeu a bola na entrada da área e chutou forte, no canto, marcando seu segundo gol na partida, aos 21min.

Antes da Libertadores, o Santos se prepara para a estréia no Campeonato Brasileiro-2007. No domingo, a equipe de Luxemburgo enfrenta o Sport, no Recife.

Caracas 2 x 2 Santos

Data: 02/05/2007, quarta-feira, 17h15.
Competição: Copa Libertadores – Oitavas-de-final – Jogo de ida
Local: Estádio Olímpico, em Caracas, Venezuela.
Árbitro : Maurício Reinoso (EQU)
Auxiliares: Alfredo Intriago e Carlos Herrera (ambos do EQU)
Cartões amarelos: Jorge Rojas (C); Dionísio, Marcerlo, Zé Roberto (S).
Cartão vermelho: Dionísio (S)
Gols: Zé Roberto (16-1); Velásquez (10-2), Kléber (19-2) e Vielma (40-2).

CARACAS
Javier Toyo; Vielma, Rey, Rouga e Pérez; Luis Vera, Weymar Olivares, Jorge Rojas (Caraballo) e Cesar González; Iván Velásquez e Escobar (Carpintero)
Técnico: Noel Sanvicente

SANTOS
Fábio Costa; Adailton, Antônio Carlos (Ávalos) e Marcelo; Denis (Dionísio), Rodrigo Souto, Maldonado, Cléber Santana e Kléber; Zé Roberto e Marcos Aurélio (Rodrigo Tabata)
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Santos empata na Venezuela, mas se aproxima das quartas na Libertadores

O Santos empatou com o Caracas, da Venezuela, por 2 a 2, nesta quarta-feira, no estádio Olímpico, em Caracas, e se aproximou de uma vaga nas quartas-de-final da Taça Libertadores da América.

Agora, os brasileiros jogam por empate sem gols ou em 1 a 1 para assegurarem a classificação na segunda partida. Nesta fase, em caso de igualdade de gols nos dois jogos, leva a vaga o time que marcar mais fora de casa.

As duas equipes voltam a se enfrentar, pelo jogo de volta, no dia 10, às 18h30, no estádio da Vila Belmiro, em Santos.

Antes disso, os santistas decidem o título do Campeonato Paulista, no domingo, no Morumbi, contra o São Caetano. O time deve ter problemas na decisão, já que o lateral Denis e o zagueiro Antônio Carlos deixaram a partida de hoje machucados e não devem jogar.

O técnico Vanderlei Luxemburgo optou por uma escalação mais defensiva e sacou do time o meia-atacante Rodrigo Tabata para a entrada de mais um zagueiro, Marcelo, que formou trio com Antônio Carlos e Adaílton.

O jogo

Os santistas tiveram um problema logo aos 5min, quando o lateral-direito Denis sofreu contusão e teve que deixar o campo. Dionísio entrou em seu lugar.

Apesar de jogar fora de casa, o Santos adotou postura ofensiva no início da partida e criou as melhores chances. O time brasileiro abriu o placar logo aos 16min, quando Zé Roberto recebeu passe dentro da área e chutou cruzado, de pé direito, para abrir o placar.

Após o gol, a equipe brasileira diminuiu a intensidade e procurou cadenciar mais a partida. Os venezuelanos aproveitaram o momento para pressionar os rivais. Aos 25min, Escobar arriscou de fora da área e a bola passou perto do gol de Fábio Costa. Aos 38min, Velásquez chutou de fora da área, mas a bola subiu muito.

O Santos voltou a ter problemas de contusão aos 39min, quando Antônio Carlos tentou fazer um desarme, mas se contundiu e teve que deixar o gramado. Ávalos entrou em seu lugar.

Na segunda etapa, o Caracas voltou ainda mais disposto e quase marcou aos 8min, quando Rey cobrou falta e exigiu ótima defesa do goleiro Fábio Costa. Na seqüência do lance, o lateral Dionísio, que havia entrado no lugar de Denis, fez falta em Rojas, recebeu seu segundo cartão amarelo e foi expulso.

Em momento delicado no jogo, o Santos sofreu o gol de empate logo em seguida. Aos 9min, Velásquez cobrou falta da entrada da área, por baixo da barreira, e empatou o jogo: 1 a 1.

Mas, apesar de estar com um homem a menos, o time brasileiro conseguiu desempatar a partida aos 17min, quando o lateral-esquerdo Kléber chutou colocado de fora da área e a bola entrou no ângulo do goleiro Toyo.

Os venezuelanos ainda empatariam a partida faltando poucos minutos para o fim. Aos 42min, Vielma chutou forte de dentro da área, a bola desviou na zaga e entrou no canto direito de Fábio Costa.


Vídeos: (1) Gols e (2) Melhores momentos

Santos 2 x 1 Corinthians

Data: 28/03/2007, quarta-feira, 21h45.
Competição: Campeonato Paulista – 1ª fase – 16ª rodada
Local: Estádio da Vila Belmiro, em Santos, SP.
Público: 14.110
Renda: R$ 216.705,00
Árbitro: José Henrique de Carvalho
Cartões amarelos: Adaílton, Antônio Carlos, Dionísio, Rodrigo Souto, Zé Roberto, Pedrinho e Jonas (S); Marinho, Gustavo e Marcelo Mattos (C).
Cartões vermelhos: Gustavo e Amoroso (C).
Gols: Zé Roberto (10-1), Adaílton (23-1, contra); Jonas (36-2).

SANTOS
Fábio Costa; Dênis, Adaílton (Leonardo), Antônio Carlos (Dionísio) e Carlinhos; Rodrigo Souto, Adriano, Zé Roberto e Pedrinho; Marcos Aurélio e Rodrigo Tiuí (Jonas).
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

CORINTHIANS
Jean; Marinho, Betão e Gustavo; Rosinei (Daniel), Marcelo Mattos, Magrão, Willian e Wellington (Bruno Octávio); Wilson (Rafael Fefo) e Amoroso.
Técnico: Émerson Leão



Santos vence clássico na Vila e complica Corinthians no Estadual

O Santos soube aproveitar o fator casa e a vantagem numérica para vencer o Corinthians por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, e complicar ainda mais a situação do arqui-rival no Campeonato Paulista-2007.

O time da Baixada teve como “ajuda” a expulsão de dois atletas rivais –Amoroso e Gustavo– para construir a vitória com um gol de Jonas aos 35min da etapa final.

Agora, com a derrota, o time do Parque São Jorge permanece com 24 pontos, cinco atrás do Bragantino, quarto colocado e que hoje seria a última equipe classificada para a segunda fase da competição –o Palmeiras, com 28, joga na quinta-feira contra o América.

Já o Santos foi a 41 e manteve a distância de quatro pontos na liderança para o São Paulo, que hoje goleou o Rio Branco no Morumbi.

Com a derrota, o Corinthians segue com o tabu de não vencer o Santos pelo Estadual há seis anos. A última vitória foi nas semifinais de 2001, em competição que seria vencida depois pelo time da capital.

Além do tabu no Estadual, os corintianos não vencem os santistas há quatro jogos –os outros três foram realizados em 2006 e todos com vitórias do time da Vila, uma pelo Paulista, e outras duas vezes no Campeonato Brasileiro.

Em campo, o Corinthians teve a volta do zagueiro Marinho, que estava suspenso, e o técnico Emerson Leão manteve esquema com três zagueiros [os outros dois foram Betão e Gustavo].

Já o Santos teve problemas na escalação. O time não contou com o lateral-esquerdo Kléber, que está com a seleção brasileira, e com o meia Cléber Santana, suspenso. Assim, Luxemburgo escalou Carlinhos na lateral e apostou no jovem Adriano no meio-campo.

O jogo

O Santos começou melhor e teve boa chance nos minutos iniciais. Aos 3min, Carlinhos recebeu bola na esquerda e chutou para a área, a bola chegou em Marcos Aurélio, que chutou em cima do goleiro Jean.

Mais confiante na partida, o time da casa não demoraria para abrir ao placar. Aos 10min, em rápido contra-ataque, Rodrigo Tiuí partiu do meio-campo e lançou para Zé Roberto que recebeu na área e deu um leve toque na saída de Jean: 1 a 0.

Mesmo pior em campo, o Corinthians conseguiu chegar ao empate. Aos 22min, também em jogada de contra-ataque, o meia Willian fez boa jogada individual, passou por Antônio Carlos e cruzou. O zagueiro Adaílton tentou fazer o corte e chutou contra as próprias redes.

Mas a situação do time do Parque São Jorge se complicou aos 40min. Após fazer bela jogada e dar um chapéu em Rodrigo Souto, o atacante Amoroso deixou a sola na perna do volante Adriano e foi expulso pelo árbitro José Henrique de Carvalho.

Mesmo com um homem a mais, o time da Vila Belmiro, sem criatividade, pouco produzia e demorou para assustar o rival na etapa final. A primeira boa chance veio aos 21min, quando Pedrinho cruzou da esquerda e Jonas, sozinho, cabeceou para fora.

Outra nova boa chance surgiu aos 25min, quando o mesmo Jonas arriscou de fora da área e a bola assustou o goleiro Jean.

O Corinthians perdeu mais um jogador aos 28min, após Gustavo fazer falta por trás e receber seu segundo cartão amarelo e ser expulso pelo árbitro.

Com mais espaços em campo, o time da Baixada conseguiu marcar o gol da vitória aos 35min. Marcos Aurélio recebeu bola na direita, girou fácil em cima de Marinho e cruzou da direita para Jonas bater forte: 2 a 1.

Depois disso, o time da casa passou a administrar a partida diante de um Corinthians que não teve mais chances de assustar.

Gimnasia y Esgrima 1 x 2 Santos

Data: 22/03/2007, quinta-feira, 19h00.
Competição: Copa Libertadores
Local: Estádio Cidade de La Plata, em La Plata, Argentina.
Público e renda: N/D
Árbitro: Roberto Silvera (URU)
Auxiliares: Olivier Viera e Edgardo Acosta (ambos do URU)
Cartões amarelos: Rodrigo Tiuí, Rodrigo Souto, Fábio Costa (S); Romero, Alderete, Leguizamón (G).
Gols: Marcos Aurélio (02-1), Sergio Leal (43-2) e Zé Roberto (45-2).

GIMNASIA Y ESGRIMA
Carlos Kletnicki, Germán Basualdo, Gustavo Semino, Lucas Landa e Daniel Romero (Leal); Ignacio Piatti, Reinaldo Alderete, Antonio Pacheco (Leguizamón) e Sebastián Dubarbier; Antonio Pierguidi e Santiago Silva.
Técnico: Pedro Troglio

SANTOS
Fábio Costa; Adaílton, Antônio Carlos e Leonardo (Marcelo); Denis (Pedro), Rodrigo Souto, Cléber Santana, Zé Roberto e Kléber; Marcos Aurélio (Pedrinho) e Rodrigo Tiuí.
Técnico: Wanderley Luxemburgo



Santos mantém 100% de aproveitamento e avança na Libertadores

O Santos continua imbatível na Taça Libertadores da América. Apesar de perder a invencibilidade de sua defesa, o time da Baixada mantém os 100% de aproveitamento –quatro vitórias no Grupo 8– e está matematicamente classificado para a segunda fase da competição. Nesta quinta-feira, a equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo venceu o Gimnasia y Esgrima, em La Plata (Argentina), por 2 a 1.

O caminho para a vitória diante dos argentinos foi aberto logo no primeiro ataque santista. Aos 5min, Zé Roberto e Kléber tabelaram pela esquerda e o lateral acionou Rodrigo Tiuí, que foi até a linha de fundo e cruzou para o meio da área. A marcação adversária falhou e Marcos Aurélio, sozinho, teve tempo de dominar e bater forte para marcar.

Ainda no primeiro tempo, aos 35min, a equipe treinada por Vanderlei Luxemburgo teve a chance de marcar o segundo. Rodrigo Tiuí sofreu pênalti, que Cléber Santana perdeu.

No segundo tempo, o Gimnasia pressionou desde o início, mas não conseguiu marcar até os 43min. Quando o jogo caminhava para o placar de 1 a 0, Leal, de cabeça, empatou a partida e vazou pela primeira vez a defesa santista na competição.

O 1 a 1 parecia sacramentado, mas o principal jogador santista não parecia pensar assim. Aos 45min, após passe de calcanhar de Pedrinho, Zé Roberto bateu forte para marcar o segundo gol do Santos.

O jogo

Disposto a manter os 100% de aproveitamento na Libertadores, o Santos abriu o placar logo no início do jogo. Aos 3min, o lateral-esquerdo Kléber lançou Rodrigo Tiuí, que avançou pela esquerda e cruzou para a área argentina. Após falha da defesa, Marcos Aurélio dominou e, sozinho, bateu forte para abrir o placar.

Depois do gol, o Santos passou a esperar o Gimnasia em seu campo de defesa, esperando por boas oportunidades nos contra-ataques. Aos 10min, Rodrigo Tiuí teve a chance de fazer o segundo, mas chutou em cima da defesa argentina.

O Santos levou perigo novamente aos 25min, mais uma vez pela esquerda do ataque. Zé Roberto lançou Kléber, que levantou na área para Rodrigo Tiuí. O atacante cabeceou bem, mas o goleiro Kletnicki defendeu. O Gimnasia respondeu no minuto seguinte. Piatti chutou forte da entrada da área, para ótima defesa de Fábio Costa.

Aos 34min, Daniel Romero errou na saída de bola e Rodrigo Tiuí se aproveitou para invadir a área do Gimnasia y Esgrima. O atacante foi derrubado pelo goleiro Kletnicki e o árbitro uruguaio Roberto Silvera marcou pênalti. Na cobrança, Cléber Santana chutou na trave.

No segundo tempo, a primeira boa chance foi do Gimnasia. Aos 5min, Pacheco cobrou falta na entrada da área e a bola bateu na trave do gol de Fábio Costa. Oito minutos depois, novamente em cobrança de falta, o time argentino levou perigo –em bola levantada na área, o zagueiro Semino tentou desviar, mas a zaga santista cortou.

Pressionado, o Santos se segurava bem na defesa até os 25min, quando –mais uma vez em jogada de bola parada– Semino desviou um cruzamento para o fundo das redes. O gol, que seria o primeiro sofrido pelos santistas na competição, foi anulado. O zagueiro estava impedido.

Aos 43min, o Gimnasia conseguiu o empate, com Leal, de cabeça. O time argentino mal teve chance para comemorar –aos 45min, em grande jogada de Pedrinho, Zé Roberto marcou para o time da Vila.