Campeão contra tudo e contra todos

Péssimas arbitragens, diversos gols anulados, STJD, Atlético-PR e até seqüestro não foram páreos ao Santos FC



Muitos gols regulares anulados, perdas de mando no tapetão e o Atlético-PR não obtiveram êxito em derrotar um elenco predestinado a ser campeão.

Em três anos, foram dois títulos de campeão brasileiro e um vice. O Santos, hoje, é quem dá a bola no futebol brasileiro. E a atropelada no Atlético-PR nas últimas rodadas este ano ficará para sempre na memória dos santistas.

A trajetória do Peixe não foi nada tranqüila. Além dos obstáculos naturais, o Santos precisou lidar com as perdas de mando de campo (foram cinco neste Brasileiro) além de duro fator externo: o seqüestro da mãe de Robinho. O Rei do Drible desfalcou o time da 40ª à penúltima rodada devido ao rapto de Marina de Souza, no dia 6 de novembro.

Além disso, ao contrário do Cruzeiro em 2003, que levou o título por antecipação, o Santos repetiu apenas em parte o domínio da Raposa no ano anterior. Embora tenha liderado o Brasileirão em 20 rodadas contra 10 do Atlético-PR, a equipe de Vila Belmiro assumiu a primeira colocação de maneira definitiva no penúltimo jogo com os 3×0 sobre o São Caetano. A primeira vez do Peixe no topo da tabelafoi na 15ª rodada, após bater o flamengo por 2×0. Este triunfo, por sinal, foi o sétimo consecutivo na oportunidade. Se não tivesse perdido para o Fluminense na partida seguinte (1×0), o Santos igualaria a maior seqüência vitoriosa do Clube na história do Brasileiro, obtida em 1990.

O duelo travado com o Furacão também foi um capítulo à parte. No segundo jogo, quando empataram por 1×1 na Vila Belmiro, as duas equipes praticamente começaram um briga que se estenderia até o final. Na época, o Santos liderava logo à frente do time paranaense graças ao número de vitórias. A partir de então, apenas os dois times se alternaram na primeira colocação até o final.

Outro capítulo da guerra entre paulistas e paranaenses se deu no dia 15/11/2004 faltando 5 rodadas para o fim do campeonato, quando o Atlético liderava o campeonato com 78 ponto, dois a mais que o Santos. O técnico atleticano Levir Culpi disse que a equipe dele estava no “piloto automático” rumo ao título Brasileiro. A declaração não repercutiu bem na Vila Belmiro, e alguns jogadores irritados responderam a declaração.

“Ouvi dizer que o Levir falou isso. Mas, se ninguém fizer nada, esse avião pode cair”, ironizou o lateral-esquerdo Léo. “Se continuarmos vencendo, poderemos ser campeões, porque acho que o Atlético vai bobear. Acho que podemos mandar um míssil nesse avião”, completou Léo, que tem o apoio de outros companheiros.
“Eu acho que ainda não tem nada definido. Estamos só a dois pontos do Atlético-PR. Se eles acham que já ganharam, podem quebrar a cara”, emendou o atacante Deivid.

Em pé: Mauro, Preto Casagrande, Deivid, Ávalos, André Luis, Leonardo, Flávio, Tápia, Zé Elias e Fabinho. Agachados: Paulo César, Ricardinho, Elano, Léo, Robinho, William, Marcinho e Basílio.






































O Santos conquistou o seu segundo título do Campeonato Brasileiro em três anos na tórrida São José do Rio preto, mas a conquista foi de desenhada uma semana antes. A cena final da vitória de 3×0 sobre o São Caetano, que fez o time ultrapassar o Atlético na penúltima rodada, tinah muito a dizer. O goleiro chileno Tápia (titular da seleção de seu país), o zagueiro Antônio Carlos (ex-seleção e futebol europeu) e o volante Zé Elias (idem), todos reservas absolutos do time, embora consagrados, pulavam feito garotos no centro do campo, comemorando o triunfo junto aos colegas, muitos menos famosos, que haviam roubado suas posições.

Talvez esta tenha sido a mais exata descrição da trajetória do Santos no campeonato. Um time que uniu forças e superou vaidades. O Peixe, que desmanchou o time no início da competição (com as vendas de Diego, Renato, Alex, Paulo Almeida e Claiton, entre outros) chegou a ocupar a 20ª colocação. Depois de uma grande arrancada, chegou à liderança, mas foi ultrapassado pelo Atlético-PR.
Luxemburgo diz ter topado com ao menos dois obstáculos inesperados. O primeiro foi a diretoria santista “ter se curvado à pressão da TV Globo” e desistido de escalar um time reserva na Copa Sul-Americana. “Se não tivéssemos cedido ao interesse da televisão, o time estaria voando nas sete rodadas finais, com condições de ser campeão com antecedência.” Segundo Luxa, apenas após a eliminação na Sul-Americana frete o Cienciano que a equipe pôde voltar o foco para o Brasileiro e encostar novamente no Atlético-PR.

O segundo obstáculo segundo Luxa foi o seqüestro da mãe do Robinho, o craque do time. “Aquilo arrebentou com todo mundo”, afirmou o treinador, que contornou com habilidade o episódio, isolando o atacante do grupo.

O fato é que, com tudo jogando contra, o Santos não perdeu o foco: o título brasileiro. O jogo chave foi contra o Goiás, a segunda partida após o seqüestro. O craque estava escalado, mas não jogou. O time perdia por 1×0 mas, faltando 10 minutos para o fim do jogo, conseguiu uma virada espetacular. O resultado manteve o Santos na briga pelo título e provou que o time (desfalcado ou não, esfacelado ou não, abalado ou não) podia, de fato, tudo.

Perdas de mando de campo

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

Elenco:
Clique aqui e conheça o elenco que disputou o Brasileirão de 2004.

Campanha:
Clique na ficha técnica para ver o resumo da partida e o vídeo, se disponível.

#
Data
Ficha Técnica
Local
Vídeo
1º Turno
1 21/04/2004 Paraná 3 x 2 Santos
Pinheirão
2 25/04/2004 Santos 2 x 0 Botafogo
Vila Belmiro
3 28/04/2004 Figueirense 2 x 1 Santos
Orlando Scarpelli
4 02/05/2004 Santos 1 x 3 Cruzeiro
Vila Belmiro
5 08/05/2004 Santos 2 x 1 Juventude
Vila Belmiro
6 15/05/2004 Atlético-PR 1 x 0 Santos
Arena da Baixada
N/D
7 23/05/2004 Santos 0 x 4 Palmeiras
Vila Belmiro
N/D
8 30/05/2004 Atlético-MG 3 x 3 Santos
Mineirão
9 13/06/2004 Vitória 1 x 2 Santos
Barradão
10 20/06/2004 Santos 3 x 0 Internacional
Vila Belmiro
11 26/06/2004 Santos 2 x 1 Guarani
Pacaembu
12 04/07/2004 Corinthians 2 x 3 Santos
Pacaembu
13 07/07/2004 Ponte Preta 0 x 4 Santos
Moisés Lucarelli
14 10/07/2004 Santos 2 x 1 São Paulo
Vila Belmiro
15 13/07/2004 Santos 2 x 0 Flamengo
Vila Belmiro
16 17/07/2004 Fluminense 1 x 0 Santos
Maracanã
N/D
17 20/07/2004 Santos 5 x 2 Criciúma
Vila Belmiro
18 24/07/2004 Goiás 3 x 3 Santos
Serra Dourada
19 29/07/2004 Santos 4 x 2 Coritiba
Vila Belmiro
20 01/08/2004 Santos 6 x 0 Paysandu Vila Belmiro
21 04/08/2004 Grêmio 3 x 1 Santos
Olímpico
22 07/08/2004 Santos 0 x 1 São Caetano
Vila Belmiro
23 11/08/2004 Vasco 2 x 3 Santos
São Januário
2º Turno
24 15/08/2004 Santos 5 x 1 Paraná
Vila Belmiro
25 18/08/2004 Botafogo 2 x 0 Santos
Caio Martins
26 22/08/2004 Santos 4 x 1 Figueirense
Wilson de Barros
27 29/08/2004 Cruzeiro 4 x 4 Santos
Mineirão
28 01/09/2004 Juventude 1 x 2 Santos
Alfredo Jaconi
29 08/09/2004 Santos 1 x 1 Atlético-PR
Vila Belmiro
30 12/09/2004 Palmeiras 1 x 2 Santos
Pacaembu
31 18/09/2004 Santos 2 x 0 Atlético-MG
Vila Belmiro
32 26/09/2004 Santos 4 x 1 Vitória
Vila belmiro
33 29/09/2004 Internacional 2 x 1 Santos
Beira-Rio
34 02/10/2004 Guarani 0 x 1 Santos
Brinco de Ouro
35 06/10/2004 Santos 1 x 1 Corinthians
Vila Belmiro
36 16/10/2004 Santos 4 x 0 Ponte Preta
Vila Belmiro
37 24/10/2004 São Paulo 1 x 0 Santos
Morumbi
38 27/10/2004 Flamengo 1 x 1 Santos
Maracanã
39 30/10/2004 Santos 5 x 0 Fluminense
Teixeirão
40 07/11/2004 Criciúma 1 x 1 Santos
Heriberto Hülse
41 14/11/2004 Santos 2 x 1 Goiás
Prudentão
42 21/11/2004 Coritiba 0 x 1 Santos
Couto Pereira
N/D
43 28/11/2004 Paysandu 1 x 1 Santos
Mangueirão
N/D
44 05/12/2004 Santos 5 x 1 Grêmio
Teixeirão
45 12/12/2004 São Caetano 0 x 3 Santos
Anacleto Campanella
46 19/12/2004 Santos 2 x 1 Vasco
Teixeirão


Classificação Geral
 
PG
J
V
E
D
GP
GC
SG
%
1 Santos
89
46
27
8
11
103
58
45
64.5
2 Atlético-PR
86
46
25
11
10
93
56
37
62.3
3 São Paulo
82
46
24
10
12
78
43
35
59.4
4 Palmeiras
79
46
22
13
11
72
47
25
57.2
5 Corinthians
74
46
20
14
12
54
54
0
53.6
6 Goiás
72
46
21
9
16
81
68
13
52.2
7 Juventude
70
46
20
10
16
60
66
-6
50.7
8 Internacional
67
46
20
7
19
66
59
7
48.6
9 Fluminense
67
46
18
13
15
65
68
-3
48.6
10 Ponte Preta
64
46
19
7
20
43
73
-30
46.4
11 Figueirense
63
46
17
12
17
57
59
-2
45.7
12 Coritiba
62
46
15
17
14
53
48
5
45
13 Cruzeiro
56
46
16
8
22
69
81
-12
40.6
14 Paysandu
56
46
14
14
18
56
76
-20
40.6
15 Paraná
54
46
15
9
22
52
73
-21
39.1
16 Vasco
54
46
14
12
20
64
68
-4
39.1
17 Flamengo
54
46
13
15
18
51
53
-2
39.1
18 São Caetano*
53
46
23
8
15
65
49
16
38.4
19 Atlético-MG
53
46
12
17
17
60
66
-6
38.4
20 Botafogo
51
46
11
18
17
62
71
-9
37
21 Criciúma
50
46
13
11
22
61
78
-17
36.2
22 Guarani
49
46
11
16
19
43
55
-12
35.5
23 Vitória
48
46
13
9
24
68
87
-19
34.8
24 Grêmio
39
46
9
12
25
60
80
-20
28.3


  Zona de classificação para a Libertadores
  Zona de classificação para a seletiva da Libertadores
  Zona de rebaixamento

* O São Caetano foi punido pelo STJD com a perda de 24 pontos por causa da morte do zagueiro Serginho.



Artilharia:
34 gols – Washington (Atlético-PR)
22 gols – Alex Dias (Goiás)
21 gols – Deivid e Robinho (Santos)
19 gols – Obina (Vitória)

Artilheiros do Santos FC:
21 gols – Deivid
21 gols – Robinho
16 gols – Elano
15 gols – Basílio
11 gols – Ricardinho
04 gols – Diego
03 gols – Preto Casagrande
02 gols – Léo e William
01 gol – Paulo César, André Luis, Ávalos, Fabinho, Claiton e Domingos

Obs: João Paulo (Goiás) e Laerte (Fluminense) marcaram contra para o Santos.

Galeria de fotos:
Para mais fotos vire as páginas que estão abaixo da galeria.





Créditos:
Vídeos: Comunidade Santos FC – Acervo Digital
Fichas técnicas: Jornal Folha de São Paulo e internet.
Fotos: Retiradas da internet e acervo pessoal do Rodrigo Ferreira.